Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Técnica típica de espada dupla da facção Khorasan – Corriere.it

Técnica típica de espada dupla da facção Khorasan – Corriere.it

Da Campanha das Mil Peças, com uma série de pequenos ataques, até a temporada dos grandes ataques. Isto refere-se ao massacre de Moscovo, que foi precedido pelo massacre de Khorman no Irão. Ambos foram conduzidos por mujahideen do Estado Islâmico nascidos nas antigas repúblicas soviéticas, especialmente no Tajiquistão.

Frente europeia

Estes ataques são perigosos não só para o grande número de vítimas, mas também para elas PerigoO especialista Ricardo Valle alerta ainda que isso se repete em outras frentes, Europa Ocidental incluída: “É só uma questão de tempo.” Não podemos sequer excluir o impacto disto sobre grupos concorrentes, a começar pela Al-Qaeda. Com uma simulação servindo de impulso para gestos “impressionantes” semelhantes aos do concerto em Moscou.

Os comandos tinham dois rifles Kalashnikov, uma pistola Makarov, uma adaga para cortar gargantas e suas jaquetas estavam cheias de pentes.Mochilas e materiais incendiários. Um videoclip mostrou os terroristas confiantes e implacáveis ​​na sua perseguição de alvos indefesos, facilitada pelas operações de reconhecimento dos dias anteriores. Após a sua detenção, pareciam confusos e abalados, mas cumpriram a sua missão cumprindo uma ameaça de longa data. Não importa a que abreviatura eles pertençam.

ISIS-K – confirma Vali – anunciou suas ambições desde 2020 Com ações locais e regionais e depois pensando na ação global. Por esse motivo, você deve sempre ler a sinopse, pois ela é funcional para a atividade. Exemplo: Uma operação contra um alvo chinês em Cabul foi precedida por mais de um ano de textos duros contra Pequim. O mesmo se aplica à Rússia ou aos países ocidentais que estão agora na linha de fogo através da presença de simpatizantes e membros, que podem ter entrado fazendo-se passar por refugiados.

READ  Viagens: as novas regras para a União Europeia, Estados Unidos e Grã-Bretanha

Com um ponto de contato crucial representado por TürkiyeHospitaleira para muitos muçulmanos vindos do Cáucaso, da China e da Ásia Central, é de facto uma plataforma para muitos movimentos.

Eixo turco

A partir daqui você pode avançar em direção à Síria e ao Iraque, em direção à Grécia ou até mesmo atingir a Rússia: um dos atacantes afirmou que chegou depois de parar em território turco. Arrecadações de fundos, comunicações operacionais e abrigos também estão localizados aqui. Em alguns casos, a Turquia torna-se o local mais fácil para o derramamento de sangue: um tadjique atacou uma igreja italiana em Istambul.

É difícil determinar quão extenso é o controlo por parte dos líderes jihadistas, que em algumas situações têm muito cuidado na preservação dos dados. O ISIS obscureceu os rostos dos assassinos no vídeo e usou a identificação geográfica de “soldados do califado russo” para assumir a responsabilidade.

A fim não só de dar indicações precisas sobre qual “secção” planeou o ataque, mas também de abordar um grande conjunto de potenciais recrutamentos. A ligação hierárquica pode ser fraca, deixando autonomia aos implementadores e apenas parecendo colher os frutos.

Líderes

Não faltam líderes. Sanaullah Ghafari, ex-engenheiro, família indianaEle é um ex-membro do clã Talibã Haqqani e é o líder de Khorasan. A sua especialidade são ataques urbanos combinados com tácticas de guerrilha, a dupla “espada” que os heróis somalis da Al-Qaeda usam com igual força em ataques em Mogadíscio e no vizinho Quénia.

Os Estados Unidos ofereceram uma recompensa de US$ 10 milhões para quem fornecer informações sobre Al-GhafariDemonstrando as suas capacidades, com subsidiárias dentro das fronteiras da União Europeia ou nas Maldivas. Ele parece ter morrido em 2023 e parece ainda estar no comando, o arquitecto do plano que levou os seus homens longe demais e transformou a organização numa máquina de guerra.

READ  Israel, confisco de equipamento da Associated Press. "Um Ato de Loucura", Tempestade Interior - El Tempo

No campo competitivo, o papel de Saif al-Adl, o egípcio, parece mais modesto, com experiência em unidades de elite, com propensão para ações em larga escala, dirige a Al-Qaeda. Dizem que poderia ser no Irão e foi ajudado por colaboradores residentes em áreas “quentes”. Diz-se que Abdul Rahman Al-Ghamdi é o tenente de operações no Afeganistão, enquanto um dos filhos de Saif foi enviado ao Iêmen, onde existe um pilar “histórico” do movimento fundado por Osama. Os mais teimosos, no passado, na busca de alvos internacionais, desde navios de grande porte até aviões de passageiros.