Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

“Os sacrifícios e os baixos salários, o jaleco não é mais atraente.  Nós, médicos, esquecemos depois da Covid” – Corriere.it

“Os sacrifícios e os baixos salários, o jaleco não é mais atraente. Nós, médicos, esquecemos depois da Covid” – Corriere.it

“Entrei em greve no dia 5 de dezembro com os sindicatos dos hospitais, então trabalhei hoje, mas espiritualmente estive lado a lado com meus colegas anestesistas. As razões que nos obrigam a realizar estes atos de protesto são as mesmas”, afirmou, e concorda plenamente com as reivindicações de todo o grupo. Domenico Gabrielli, Chefe do Departamento de Cardiologia do San Camillo Forlanini de Roma, um dos principais centros nacionais de referência em cardiologia. Nascido em 1961, formado pela Universidade Católica, trinta anos em Marche, é presidente Fundação Coração AnemcoAssociação Nacional de Cardiologistas Hospitalares.

quais são as razões?
“Não é de natureza meramente económica, como se poderia pensar. “Antes de obterem melhores salários, os médicos de saúde pública querem receber a devida consideração, o que está em falta há anos e não é um problema atual.”

em detalhe?
“Durante demasiado tempo, os governos tenderam a subestimar os grandes sacrifícios feitos pelas nossas figuras profissionais, que foram apreciados durante a pandemia e depois esquecidos. Estou preocupado com o futuro. Nosso trabalho deixou de ser um trabalho atraente. É difícil trazer jovens especialistas para os hospitais, a menos que sejam grandes departamentos de referência, como o que dirijo. As cidades pequenas estão sofrendo.”

Médicos e manobras do governo

Você não está reclamando da falta de pessoal?
“Claro! O número de cardiologistas é de 29 em 34, e tenho sorte que os médicos de outros lugares estejam de prontidão para cobrir as lacunas. Isso acontece em todas as regiões, não é apenas no norte e no sul, está acontecendo em Palermo como está em Roma e Milão. “A qualidade do trabalho é péssima. Nosso caráter perdeu o respeito dos políticos e dos pacientes.”

READ  Para se livrar de um nariz entupido e escorrendo, aqui está um remédio natural que você pode fazer para ajudá-lo a ter uma boa noite de sono.

Não é sua culpa também se você perder energia?
“O interrogatório pode ser uma coisa boa quando feito de maneira civilizada, e não com agressão física. Acontece que cometemos erros, não somos infalíveis, mas muitas vezes os erros dos quais reclamamos são pretextos para iniciar disputas que pelo menos 99 em 100 vezes terminam em nada. O médico investigado sempre declara sua inocência ao final das investigações, mesmo sem precisar ir a julgamento.”

Mas o fardo da greve, em última análise, recai sobre os cidadãos. Você não se importa com eles?
“Estamos preocupados com isso a ponto de fazermos uma greve branca. No dia 5 de dezembro eu estava de plantão regularmente e, como médico-chefe, não poderia ter feito outra coisa senão abrir mão do salário de um dia. Muitos aplicam este método para evitar prejudicar os interesses dos mais fracos. Em última análise, o assédio nos hospitais é limitado. Mas chega um momento em que precisamos levantar a voz.”

É evidente que existe uma grande oposição à redução das pensões, apesar do governo ter flexibilizado a regra prevista na lei orçamental e alterado a mesma. Que planos você tem?
“Recuperei o diploma universitário e já cheguei aos 42 anos e 10 meses de contribuição. Eu poderia partir amanhã e ainda ficar. “Adoro esta profissão e, mesmo que fosse punido pelo novo regulamento, teria decidido não sair.”