Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Natal, profecias sobre Jesus que surpreendem a ciência: o mistério por trás da natividade

Natal, profecias sobre Jesus que surpreendem a ciência: o mistério por trás da natividade

No Natal discutimos muitas coisas, mas nunca discutimos o acontecimento que aconteceu há dois mil anos. Todos pensamos que “já sabemos” tudo sobre o Cristianismo. Mas na realidade sabemos muito pouco. Até mesmo os textos bíblicos que ouvimos na igreja durante anos.

Consideremos, por exemplo, um detalhe que é quase dado como certo. O evangelista Mateus escreve que os Magos chegaram do Oriente a Jerusalém em busca do “rei nascido dos judeus”. Ao ouvi-los, Herodes ficou preocupado com a estabilidade de seu poder: “E reuniu todos os principais sacerdotes e escribas do povo”, diz Mateus, “e perguntou-lhes sobre o lugar onde o Messias nasceria. eles lhe responderam: Em Belém da Judéia, pois assim está escrito pelo profeta: E você, Belém, na terra de Judá “Você não é a menor em Judá, porque de você virá o governante que pastoreará meu povo Israel .” (Mateus 2:1-6).

Esta notícia não deveria ser surpreendente? Houve uma profecia. Todos os judeus sabiam que o Messias nasceria em Belém porque isso foi previsto por Miquéias (5.1), que viveu nos séculos VIII e VII a.C. (Herodes não era de origem judaica, tinha pai edomita e mãe nabateia, e era um dos reis mais antigos da terra) Profecias – Gênesis 49:10 – Declarava que o Messias nasceria quando a casa de Judá não tivesse mais o reino.)

Na verdade, Jesus nasceu durante o reinado de Herodes e da ocupação romana. Em Belém, porque nos dias em que Maria iria dar à luz – como afirma o Evangelho de Lucas para ser lido no Natal – “César Augusto mandou fazer um censo”: foi realizado “quando Quirino era governador da Síria”, então “ele foi Cada um ser registrado, cada um em sua cidade (sua origem)” e “até José da Galiléia, da cidade de Nazaré, subiu à Judéia, à cidade de Davi, que se chama Belém”. “ele era da casa e família de Davi”.

READ  Há uma chamada para o Prêmio L'Oréal Italia para Mulheres e Ciência

Não existe apenas esta profecia. Poucas pessoas sabem que no Antigo Testamento existem centenas de profecias messiânicas, expressas ao longo de muitos séculos. A história milenar do povo judeu, contada na Bíblia, é inteiramente motivada pela expectativa do Messias predita pelos profetas de Israel.
Pesquisei a fundo o tema ao escrever o livro “Investigando Jesus” anos atrás e fiquei surpreso. Listei mais de cem profecias e todas concordam exatamente com Jesus de Nazaré.

Mesmo aqueles que pareciam contradizer-se: por exemplo, a profecia de Isaías segundo a qual o Messias seria morto (“Por injustiça e julgamento injusto serei removido do meio… Sim, serei removido da terra dos vivos”). ) e a profecia de Natã de que, em nome de Deus, ele disse a Davi que o Messias teria um reino eterno (“Eu suscitarei depois de ti uma descendência de teus filhos, e estabelecerei para ele o reino… Eu assegurarei para lhe o trono para sempre”).

Limitemo-nos às profecias relacionadas com o nascimento de Cristo: não só o local de nascimento e a sua linhagem eram da tribo de Judá (um dos doze filhos de Jacó) e da família de David, mas também a época em que nasceria (e morreria), o sinal no céu que “iluminaria” aquele nascimento, os reis do Oriente que viriam, as crianças chorando que viriam acompanhá-lo (o massacre de os inocentes) e até a fuga para o Egito. Estas são apenas algumas das inúmeras profecias da Bíblia sobre o Messias. O mais impressionante e detalhado diz respeito à sua paixão e morte.

Devemos compreender que historicamente existe apenas um homem em quem todas estas antigas profecias foram cumpridas: Jesus de Nazaré. É um caso único na história. Nenhuma figura histórica, nem antes nem depois de Jesus, teve o nascimento e a vida em todos os seus detalhes previstos, séculos antes de sua vinda ao mundo, em textos sagrados que apresentavam formalmente essas expressões como profecias, textos difundidos e conhecidos pelo mundo. Séculos antes dele.

READ  Noite dos Pesquisadores, Ciência na Rua - Teramo

É surpreendente que tantos homens de Deus, vivendo em tempos e lugares distantes, independentemente uns dos outros, tenham contribuído juntos para uma identidade de Cristo que é totalmente compatível com Jesus de Nazaré, e somente com Ele. É um mistério histórico incomum para a mente secular, porque nenhum ser humano é dono do tempo e conhece os séculos vindouros. Deveria ser Deus, então como isso pôde acontecer?

Jean Guitton chegou a esta conclusão: “Nenhuma mente científica, muito menos filosófica, deveria considerar-se em paz até que a questão seja resolvida”. Poderia ser este um caso, uma série de coincidências surpreendentes? Anos atrás, em um de seus livros, o cientista e matemático Peter W. Stoner considerou oito profecias bíblicas, calculando para cada uma (e, portanto, como um todo) as chances de cumprimento. Então, partindo do número aproximado de pessoas que viveram desde a época dos profetas até hoje, ele calculou o número de chances que um homem vivendo daquela época até hoje teria de cumprir todas as oito profecias.

A conclusão a que chegou ao calcular as probabilidades foi: 1 em 10 a 17, ou seja, 1 em 100.000.000.000.000.000, ou um em cem milhões de bilhões. Pelos mesmos cálculos de probabilidade, de acordo com a estimativa conservadora de Stoner, as chances de um homem cumprir as quarenta e oito profecias messiânicas contidas na Bíblia são de 1 em 10 em 157 (este número é 1 seguido de 157 zeros, que é um número indescritível). . ).

Em termos práticos, isto significa que não há possibilidade. No entanto, um deles os criou. É claro que a crença em Jesus Cristo não deriva deste relato, que questiona a lógica. Faz-nos compreender o mistério escondido naquele gigante humilde, compassivo e poderoso que folheia as páginas da Bíblia. Aquele cujo nascimento mudou o mundo será comemorado amanhã.

READ  O Ministério: A terceira dose da população com base nos dados epidemiológicos e tendência