Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Gina Lombroso: Quando as mulheres praticam a ciência

Turin e suas mulheres

As histórias geralmente começam onde termina.

O termo “sexo fraco” refere-se ao sexo feminino. A diferença entre os sexos está radicada na expressão “o sexo mais fraco” que pressupõe um estado de subordinação de uma mulher que necessita da proteção do chamado “sexo mais forte”, estereótipo que impõe a exclusão social e cultural há séculos. Mas as mulheres foram gradualmente conquistando direitos importantes, abrindo espaço em uma sociedade que há muito era dominada pelos homens. Esta “categoria” inclui notáveis ​​como Joana d’Arc, Elizabeth I da Inglaterra, Emmeline Pankhurst, que travou a batalha mais dura do Ocidente pelos direitos das mulheres, Amelia Earhart, pioneira da aviação, e Valentina Tereskova, a primeira mulher a viajar ao espaço. Marie Curie, laureada com o Nobel de 1911 e a primeira mulher a estudar na Sorbonne em Paris, também se enquadra nesta definição, assim como Rita Levi-Montalcini ou Margherita Hack. A lista também inclui Coco Chanel, a órfã revolucionária que derrubou o conceito de elegância e estilo, Rosa Parks, uma figura icônica do movimento pelos direitos civis, ou Patti Smith, a cantora de rock inesquecível. O repertório é decididamente longo e recheado com os nomes daquele “sexo mais fraco” que “não se domava”, nas palavras de Alda Merini. Mulheres que nunca desistiram, assim como alguns personagens famosos de filmes como Sarah Connor ou Ellen Ripley, ou se pensarmos nos mais jovens, Mulan desistiu. Aqueles que usam esta frase para expressar o “belo sexo” são convidados a pesquisar no dicionário a etimologia da palavra “mulher”: “domna”, uma forma simultânea da palavra latina “domina” = senhora, amante. Não há mais nada a acrescentar. (uma)

***

2 Gina LombrosoQuando as mulheres fazem ciência

No artigo anterior, quis relembrar brevemente a história de “Vênus” (se quisermos seguir o mito segundo o qual as mulheres vêm de “Vênus” e os homens de “Marte”) e enfatizar as muitas batalhas e esforços sem precedentes que eles bravamente enfrentaram o passado e ainda estão enfrentando com as cabeças erguidas no eterno desafio da vida cotidiana. Muitas heroínas deram sua contribuição revolucionária para mudar o mundo nos mais diversos campos, da política à cultura, da literatura à ciência. Torino também teve seus bravos heróis, que com o tempo deixaram uma forte marca, pensando, por exemplo, o quanto a Real Madame contribuiu para o desenvolvimento das artes e do esplendor da cidade, promovendo a construção de igrejas, palácios e residências. Recentemente, as mulheres de Torino também se destacaram por seu pensamento, na verdade, Maria era de Torino verni Phileda, a segunda mulher a se formar em medicina no Reino italiano, em 1878, e também de Turim, foi a genial Rita Levi-Montalcini, que é conhecida por suas descobertas no campo das neurociências, mas que também nos deixou com profundas e instrutivas pensamentos sobre a condição feminina, que, talvez, devêssemos fazer uma pequena pausa Para meditar de vez em quando. Uma consideração final na chave poética esotérica de nossa cidade, que sempre foi dividida em duas, onde a esfera masculina representada por Po sempre foi equilibrada por uma esfera feminina lunar, silenciosa mas não menos importante, representada pela Dora. Não é por acaso que Turim é uma das poucas cidades onde existe uma igreja dedicada especificamente à Grande Mãe: cada um tira as suas próprias conclusões. Muitos eventos e Você tem que escolher e começar de algum lugar. Felizmente vou Ela conta a história de algumas mulheres de Turin, com a intenção de que suas histórias inspirem o nascimento de outras.
Gina Lombroso Ela nasceu em Pavia em 1872 por Nina de Benedetti e Cesar Lombroso. A família pertence à alta e culta burguesia associada à tradição judaica, na qual a figura do padre César, o famoso antropólogo, sociólogo e filósofo, pai da criminologia moderna, é central. Quando adolescente, Gina participou do trabalho científico do pai como secretária e assistente, continuou a correspondência e o apoiou no trabalho editorial da famosa revista.“”Arquivo de Psiquiatria”, Fundada em 1880. Um fator essencial para o crescimento de Gina foi a personalidade de Anna Kuleshov, uma hóspede frequente na sala de estar da casa dos Lombroso. Graças à influência de Anna, Gina aproximou-se de ideais socialistas, que mais tarde seriam incorporados em alguns estuda com a irmã Paola, temas como As condições de vida dos trabalhadores, o problema do analfabetismo e as greves. No mesmo período, Gina colaborou com revistas ”crítica social“e”socialismoEm 1895, Gina formou-se em literatura pela Universidade de Torino e depois ingressou na faculdade de medicina. Depois publicou alguns artigos, entre os quaisAtafisemia no crime“e”Origem das especiesEm 1901, ele terminou seus estudos médicos com louvor ao discutir uma tese intituladaVantagens degeneraçãoDiante de um painel que incluiu o especialista em higiene Luigi Ballyani e o fisiologista Angelo Musso. O tema da tese mostrou-se tão relevante para o debate científico da época, que seria aprofundado em um volume com o mesmo título publicado em 1904. O jovem Lombroso aborda a questão da degeneração de uma nova forma, abordando as perspectivas biológicas a partir do social. perspectiva. As características da decadência não são lidas como uma degradação gradual da humanidade, mas sim como a capacidade do homem de se adaptar às consequências da industrialização, com particular atenção à relação entre o homem e o meio ambiente.

READ  A Web e a Inteligência Artificial ajudam as empresas - Ciência e Tecnologia

*

Após a formatura, continua a sua atividade de investigação com a função de assistente voluntário na clínica psiquiátrica da Universidade de Torino, cargo que duraria até os primeiros anos do seu casamento, em 1901, com Guglielmo Ferrero, colega de Cesare Lombroso, com quem ele colaborou na escrita da monografia em 1893 “A mulher delinquente, a prostituta, a mulher comumTambém neste período, Gina realiza estudos clínicos sobre loucura moral, epilepsia e crime, nunca desprezando uma ampla cooperação com o diário de seu pai. Em 1907, ela acompanhou o marido em uma viagem à América do Sul, onde visitou prisões, escolas e asilos. Suas reflexões sobre esta experiência serão publicadas. No ano seguinte, em um volume intitulado “na América do Sul (Brasil, Uruguai, Argentina). Gina, para não perder nada, é também pesquisadora de línguas estrangeiras e, graças a essa competência, mantém um contato estreito com o meio científico internacional e também com o italiano. Com a morte do pai, em 1909, Gina se dedicou com carinho à reorganização e republicação das obras do pai, com o objetivo de manter vivo o pensamento deles na comunidade acadêmica. Em 1916 saiu de Torino e mudou-se com a família para Florença, onde a sua casa se tornou um local de encontros e intercâmbios com o meio intelectual da cidade. Salvmini e Roselles estão entre os visitantes mais frequentes. Nestes anos, Lombroso dedicou-se ao estudo da condição feminina e teorização da“”centralização alternativaPara uma mulher, esse é um altruísmo inato e biologicamente fundamentado, associado à “mensagem” da maternidade. Em muitos escritos sobre este assunto, Gina pretende negar A convicção prevalecente da inferioridade da mulher, em nome de uma forte diferenciação dos sexos, que devia ser concebida não numa relação hierárquica mas numa relação “integrativa”. Em 1917 ele publicou l“”alma de mulher‘, um texto com muitas traduções e reimpressões exibidas na Itália e no exterior; no mesmo ano fundou com Amalia Rosselli e Olga Monsani O “Associação Italiana de Circulação Feminina(ADDI) com o objetivo de “induzir as mulheres italianas a participarem do desenvolvimento científico, social, político e filosófico do país”. Após perseguições políticas pelo regime, em 1930, Gina e seu marido Guglielmo foram forçados a se mudar para Genebra, enquanto permanece em contato com o ambiente antifascista. Durante o exílio, Jenna investiga o problema da relação homem-máquina e aborda os desenvolvimentos A Nova Era Industrial de uma Perspectiva Social. no “As tragédias do progresso“e”O Retorna no florescerDiante das profundas transformações provocadas pela industrialização, a confiança positivista no progresso ilimitado foi posta em questão.
A história de Gina não tem final feliz, o amor pela ciência que a acompanha desde a juventude não pode salvá-la nem trazê-la para casa. Os anos de exílio viram a morte de seu filho, Leo Ferrero, um jovem poeta e pensador. Gina Lombroso morreu em 1944, dois anos após a morte do marido, com a ajuda da irmã Paula, que se juntou a ela na cidade suíça. A ignorância violenta vence a guerra de vez em quando, e o obscurantismo expande um pouco sua sombra, mas não devemos nos esquecer disso ”.Sem cultura e a relativa liberdade que vem com ela, a sociedade, mesmo que perfeita, seria uma selva. ”(Albert camo) Gina ajudou a se livrar, mesmo de longe.

READ  Combinação Vaccines of Hope e "I Believe in Science" - OP-ED

Alicia Cagnotto