Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Destaque para Portugal – Portugal News

Destaque para Portugal – Portugal News

Miguel Nunes, estrela da nova série portuguesa da Netflix, Glória, falou ao The Portugal News sobre a sua atuação na série de sucesso mundial.

“Glória” não é apenas a primeira série portuguesa a estrear na Netflix, mas também a maior série de baixo orçamento da história da produção portuguesa. Segue uma narrativa muito interessante focada na espionagem da KGB na década de 1960, no auge da Guerra Fria e durante a ditadura portuguesa.

Para dar forma a esta obra-prima, o realizador Thiago Guedes escolheu Miguel Nunes para o papel de João Vidal, personagem principal, um jovem de família abastada ligada ao regime ditatorial, que decidiu lutar contra o regime político então vigente em Portugal. . .

Embora seja uma série fictícia, o pano de fundo por trás da série é real. Na altura em que Portugal estava sob regime ditatorial, na vila da Glória do Ribatejo existia uma estação de rádio (RARET) onde funcionava a Rádio América do Norte com o objetivo de transmitir propaganda ocidental aos países do Bloco de Leste.

Na primeira temporada da série, composta por 10 episódios, João Vidal torna-se espião da KGB (polícia secreta de Moscovo), recrutado após regressar da Guerra da Guiné-Bissau. Posteriormente, João Vidal começa a trabalhar na RARET, utilizando o seu trabalho como engenheiro para obter informações.

O ator por trás de João Vidal

A história do ator Miguel Nunes começou há muitos anos. Miguel Nunes era um menino de 10 anos que brincava na rua com os primos gémeos (alguns meses mais velho que Miguel) quando uma senhora que precisava de trigémeos para um papel encontrou os rapazes certos de que precisava. Esta foi a sua primeira experiência e seriam os primeiros passos para uma carreira de sonho no cinema português.

READ  Golos e entretenimento, Portugal e Espanha acendem a Rússia 2018! Cristiano Ronaldo dá 3 tiros... e o fiscal: Roja não passa de um veículo blindado

Embora quando estávamos no ensino médio ele decidiu fazer um curso de contabilidade porque lhe deu a oportunidade de estudar línguas, o que ele gostou muito, e ele não tinha certeza se queria ser ator. Depois um amigo de Miguel Nunes incentivou-o a candidatar-se a um emprego morangos com açúcar (uma série de televisão juvenil popular no início dos anos 2000 em Portugal), e após o casting foi aceite. Mais tarde formou-se em teatro Escola Superior de Teatro e Cinema Ele trabalha como ator desde então.

Antes de Glória, Miguel Nunes participou em vários filmes como O Cisne, de Teresa Villaverde, o que o levou a receber o prémio de Melhor Ator Jovem no Festival de Cinema do Estoril de Lisboa. Ao longo desta interessante carreira, o teatro foi também uma das suas grandes paixões que o ajudou a libertar a imaginação e a criatividade.

“Minha escolha foi abrir mão da identidade.”

Nesta exigente função, Miguel Nunes estudou muito para garantir que tudo corria na direção certa. O ator de 33 anos reuniu-se com várias pessoas ligadas à Revolução dos Cravos para perceber como entrar na personagem: “Fui conhecer pessoas que lutaram contra a ditadura, muitas pessoas que trabalharam secretamente – graças a essas pessoas escondidas, agora viver em liberdade.”

Como o papel que interpreta é sobre um jovem que desiste da sua identidade para se tornar outra pessoa, com uma ideologia e valores diferentes, “a sua escolha foi desistir de uma identidade e encontrar outra”, disse o ator principal.

Na verdade, esta série é uma grande oportunidade para aprender mais sobre a herança portuguesa e a Guerra Fria em Portugal, e não deixar morrer a história de Portugal: “A narrativa tem um pano de fundo interessante porque não era do conhecimento geral que existia um Centro de Radiodifusão Americano ( RARET) localizada em Portugal.”, que também é dedicada ao povo português.

READ  Por dentro do casamento de Diletta Liotta e Loris Karius: fotos e vídeos sociais postados pelos convidados

“Esta história ajuda a aumentar a consciência sobre a nossa história como um país que sofreu uma ditadura severa e uma guerra colonial que durou muitos anos e ainda hoje tem impacto. Ainda temos pessoas a viver as suas vidas com traumas de guerra por causa de uma guerra que não puderam’. não conseguir”, disse ele. “Eu não escolho ir até mim”.

“É por isso que também acho interessante. Através desta série, podemos ver onde estamos agora e quais problemas enfrentamos naquele momento, o que é importante para evitar que aconteçam novamente. Temos a oportunidade de refletir sobre o que aconteceu, incluindo questões como A Guerra Colonial: Os Homens que Foram para a Guerra, as Mulheres que Ficaram e Nossas Relações entre Negros e Brancos.

Em suma, interpretar o personagem do engenheiro João Vidal, segundo o ator, foi divertido pelo “desafio e pela oportunidade de trabalhar com uma excelente equipe”.

GlóriaNetflix

O cinema português no mercado internacional

“O cinema português está no mercado internacional há muito tempo”, disse o ator. No entanto, acredita que o facto de se falar português e inglês ao longo da série, aliado ao enquadramento político internacional, pode ter contribuído para o maior sucesso deste projeto.

No entanto, apesar da excelente qualidade dos filmes portugueses apreciada por muitas pessoas em todo o mundo, a falta de investimento continua a ser um dos maiores desafios que impede o cinema português de dar um passo em frente.

“O maior obstáculo é não ter mais dinheiro e penso que se tivéssemos sempre este investimento – como fizemos no Glória – teríamos mais tempo, e o tempo é fundamental porque no nosso trabalho permite-nos tentar”, disse Miguel Nunes. “Isso nos permite repetir, e esse é o trabalho do ator”.

READ  DAZN, acordo internacional de direitos de TV da Premier League Feminina do eBay

Você já assistiu a primeira temporada da série? Nesse caso, você deve estar se perguntando se há alguma informação sobre a segunda temporada. No entanto, ainda não temos informações sobre isso – fique ligado!

Glória


Paula Martinez é uma jornalista totalmente qualificada que considera a escrita um meio de autoexpressão. Estudou Jornalismo e Comunicação na Universidade de Coimbra e mais recentemente Direito no Algarve. Cartão de imprensa: 8252

Paula Martinez