Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

10 mortos, incluindo um padre, 25 feridos e pelo menos 6 terroristas mortos

Sangue e horror em Daguestão. Dois ataques quase simultâneos abalaram as duas principais cidades do extremo sul da república russa. Por volta das 18h00 locais, 17h00 em Itália, terroristas armados com espingardas automáticas deslocaram-se em Derbent, no Mar Cáspio, e na capital, Makhachkala.. Os canais russos do Telegram foram imediatamente preenchidos com imagens de uma sinagoga em chamas e de uma igreja ortodoxa sob ataque em Derbent. Mensagens de cidadãos chocados com o tiroteio e notícias das autoridades deram uma sensação de caos. O pároco, padre Nikolai, foi uma das primeiras vítimas. O orçamento é totalmente temporário Ele fala sobre o assassinato de civis, 8 agentes e 6 terroristas. Pelo menos 25 feridos. A luta continuou por horas.

Por volta das 20h Dezenas de fiéis da Igreja de Derbent ainda estão presosTalvez sejam reféns de terroristas, talvez sejam refugiados num quarto, mas ainda assim não conseguem escapar. Tarde da noite, a busca pelos agressores ainda estava em andamento. Veículos blindados de transporte de tropas percorriam as ruas da cidade e disparavam metralhadoras pesadas. Um “estado de emergência” foi declarado em todo o Daguestão E à noite procuramos Volkswagen Polo Branco Para onde alguns terroristas fugiram.

Na ausência de reivindicações, é razoável duvidar Extremismo islâmicoE talvez diretamente Estado Islâmico de Khorasan (Isis-K) que já em março atingiu a Câmara Municipal de Crocus, nos arredores de Moscovo. Naquela época, as baixas de um punhado de terroristas crédulos totalizaram 145 mortos e mais de 500 feridos. Essa também é a hipótese apoiada pela agência impostoSegundo o relatório, os ataques simultâneos a locais de culto em Derbent e a um posto de controlo em Makhachkala foram perpetrados por uma “organização terrorista internacional”.

READ  CIA revela nome do segundo agente da missão Argo no Irã – Corriere.it

ISIS-K pode ter atacado Não apenas como parte da sua luta contra o poder “imperialista e infiel” de Vladimir Putin, mas também em solidariedade com os palestinianos em Gaza.

No entanto, o que o ISIS-K oferece é apenas a primeira introdução. Os ataques de ontem também poderão ter um impacto Composição interna do Daguestão. Entre os terroristas que foram abatidos ontem também estavam Dois filhos e um neto Magomed Umarov, governador da região do DaguestãoEle é uma figura política conhecida que há anos coopera com Moscou sem problemas. De acordo com a mídia local A polícia prendeu UmarovEle foi “chamado” a renunciar imediatamente e ter sua casa revistada.

O Daguestão tem uma esmagadora maioria muçulmana sunita e, na década de 1990, tornou-se a espinha dorsal da guerra pela independência da Chechénia e dos ataques, detenções e do estado policial que se seguiram. Ontem as palavras do presidente lutador chegaram da vizinha Chechênia Ramzan KadyrovFamoso pela sua dura repressão ao separatismo e pela sua participação na guerra contra a Ucrânia. O fiador da paz de Putinyana na Chechênia também finge ser um líder muçulmano: “Os ataques covardes no Daguestão visam criar discórdia entre as religiões”. Kadyrov acrescentou, como é seu estilo, que os terroristas “não têm credo ou nação”, não são pessoas que “deveriam ser mortas imediatamente”.

Mas a condenação dos tiroteios por parte de Moscovo colocou a Ucrânia em causa Assim como a “inteligência estrangeira”, especialmente americana, como aconteceu por ocasião do massacre da Prefeitura de Crocus. É uma narrativa útil que o Kremlin esteja a mobilizar a opinião pública interna na guerra contra Kiev: o maior inimigo da América está a tentar enfraquecer a Rússia de Putin, armando a Ucrânia e financiando o terrorismo islâmico.

READ  Clubes de pesca experimental (Nápoles e Lecce) também fazem o mercado de transferências graças às distorções do capitalismo

Isto é o que disse o vice-presidente do Conselho de Segurança em Moscou: Dmitri MedvedevEle relacionou o “massacre no Daguestão” com o bombardeio ucraniano na Crimeia ontem. Medvedev os descreveu como “ataques terroristas covardes contra nosso povo, cometidos em um feriado ortodoxo”. O regime ucraniano e os seus “fanáticos loucos não são diferentes de nós”. Muitos meios de comunicação russos sugerem que os terroristas no Daguestão usaram “armas fornecidas pela NATO”, tal como os mísseis usados ​​para atacar a Crimeia foram mísseis ATAK americanos. As imagens que circulam no Telegram não confirmam a tese. As metralhadoras caídas no chão, ao lado dos corpos de terroristas mortos, parecem ser mais comumente Kalashnikovs russos do que rifles de assalto ocidentais.