Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Ucrânia, G7: “Putin não deve vencer a guerra”. Jill Biden conhece a esposa de Zelensky – Mundo

Países do G7 prometem parar de importar petróleo russo: relatórios da Casa Branca após videochamada entre líderes A luz verde da UE ainda está sendo adiada Por um embargo de petróleo gradual de Moscou. Enquanto isso, a diplomacia está a caminho. Jill Biden Ele fez uma viagem surpresa ao oeste da Ucrânia para conhecer a primeira-dama Olena Zelenska Em uma escola em Uzhhorod, uma cidade de 100.000 pessoas a poucos quilômetros da fronteira com a Eslováquia. A esposa do presidente ucraniano agradeceu à primeira-dama dos EUA por sua visita, que ela descreveu como um “ato muito corajoso”. Primeiro-ministro canadense Justin Trudeau Está localizado em Irbin, nos arredores de Kiev.

Ucrânia, Jill Biden encontra inesperadamente a esposa de Zelensky


G7: Putin não deve vencer a guerra
“Estamos unidos em nossa decisão de que o presidente Putin não deve vencer esta guerra contra a Ucrânia. Devemos isso à memória daqueles que lutaram pela liberdade na Segunda Guerra Mundial, continuar lutando por ela hoje, pelo povo da Ucrânia. Europa. e a comunidade global”: é a conclusão declaração de encerramento A videochamada entre os líderes do Grupo dos Sete, que prometeram aumentar os custos para Putin impondo novas sanções ou agravando as já existentes. As ações de Putin na Ucrânia são uma “desgraça” para a Rússia e seu povo. Isso veio na declaração do Grupo dos Sete principais países após uma videoconferência com o líder ucraniano Zelenski que reafirmou a “firme determinação” da Ucrânia de proteger sua soberania e integridade territorial. “O objetivo final da Ucrânia – como ele disse – é garantir a retirada completa das forças russas de todo o território da Ucrânia e garantir sua capacidade de se proteger no futuro”, disse ele.

Novas sanções dos EUA
Os Estados Unidos anunciaram novas sanções contra três emissoras de TV e executivos russos no… Gazprombank Eles também impediram que os americanos prestassem serviços a empresas russas. Estas são as últimas medidas tomadas contra a invasão russa da Ucrânia. A Casa Branca informa. No total eles 27 pessoas foram punidas, incluindo oito executivos do Sberbank. As TVs que acabaram na lista negra dos EUA são o Channel One da Rússia, a TV-1 russa e a NTV, que estão direta ou indiretamente ligadas ao Kremlin. Sanções também foram impostas à Promtekhnologiya, uma fabricante de armas, junto com oito companhias de navegação. A Comissão Reguladora Nuclear também suspenderá as licenças para exportar materiais nucleares especiais para a Rússia.

Azov não desiste
“Render-se a nós é inaceitável”, diz Batalhão Azov De uma siderúrgica sitiada. distância evacuando civisWebconferência Azovstal: “Há muitos soldados feridos a serem evacuados, mas vamos lutar até o fim”, declarou o comandante do batalhão, Denis Radis Prokopenko. “As forças russas continuam a bombardear a área e estão tentando invadir a fábrica”, disse o capitão. Svyatoslav Kalina PalamarVice-comandante do batalhão Azov. Ele acrescentou que não pôde confirmar a evacuação de todos os civis do local, conforme relatado ontem. “Os inimigos querem destruir os ucranianos, e isso está muito claro para nós”, acrescenta. O vice-comandante acrescentou: “Nossos políticos estão agora tentando negociar com esses animais. Mas eles não se lembram do que fizeram? Não podemos falar com essas pessoas. Nosso objetivo é eliminar a ameaça”. Ele acrescenta: “Aqui estamos defendendo o mundo livre. Não estamos apenas defendendo a Ucrânia, mas também o mundo livre”.

READ  Moscou está toda vermelha para o desfile de 9 de maio - Corriere.it

Ucrânia: Kharkiv, é o que resta do Museu Literário após o ataque russo


A guerra no campo não para
“Explosões poderosas” foram relatadas em Odessa e Mykolaiv, Ucrânia 24 relatórios. Um professor idoso foi morto e outros 27 civis ficaram gravemente feridos em ataques de mísseis russos em áreas residenciais da região de Mykolaiv nas últimas 24 horas, escreve no Telegram o chefe do conselho regional Hanna Zamazeva, citando Ukrinform. De acordo com Zamazieva, o exército de Moscou bombardeou a região de Mykolaiv à noite. Mas as sirenes antiaéreas soaram esta manhã em quase todas as regiões ucranianas, relata o jornal Kyiv Independent. Dois meninos de 11 e 14 anos foram mortos e duas meninas de 8 e 12 anos ficaram feridas ontem no bombardeio russo da cidade de Previlia, região de Severodonetsk na região de Lugansk, segundo a Procuradoria de Kiev. Telegrama citado por Ukrinform. Mais de 200 crianças foram mortas, segundo estimativas oficiais.

e encontrei Sophia morreu e a menina de 13 anos desapareceu Dois dias atrás, o exército russo bombardeou um comboio de veículos que evacuava civis na região de Kharkiv. Seus parentes a procuraram em apelos nas redes sociais. O chefe da investigação do departamento de polícia regional, Sergei Polvinov, anunciou isso no Facebook, conforme relatado pelo Ukrinform. “Infelizmente, os restos do corpo e um colar que seus parentes indicaram foram encontrados no carro em que ele viajava”, disse Polvinov. Sophia estava no carro com a irmã e a mãe de seis meses. A mulher ficou gravemente ferida como resultado do bombardeio, e cerca de 60 civis estão desaparecidos devido ao bombardeio aéreo do exército russo ontem ao meio-dia em uma escola com um abrigo de aldeia. Belohrivka, Sempre na região de Lugansk. O anúncio foi feito pelo chefe da Administração Militar Regional, Sergei Gaidai, no telegrama recebido pela Ukrinform. “É provável que todas as 60 pessoas deixadas sob os escombros dos edifícios tenham morrido”, escreve Gaidai. Ontem, os serviços de emergência ucranianos falaram de pelo menos duas vítimas. Noventa pessoas estavam escondidas no porão e, à noite, pelo menos trinta pessoas foram resgatadas.

soldados mortos
Pelo menos 25.500 soldados russos foram mortos na Ucrânia desde o início da invasão, segundo o exército de Kiev. Em sua atualização sobre as perdas sofridas por Moscou até agora, o exército observa que após 74 dias de conflito, 199 combatentes, 156 helicópteros e 360 ​​drones foram abatidos. Além disso, as forças de Kiev afirmam ter destruído 1.130 tanques russos, 509 peças de artilharia, 2.741 veículos de transporte de tropas, 92 mísseis de cruzeiro, 179 lançadores de mísseis, 12 navios, 1.961 veículos e navios-tanque para transporte de combustível, 86 unidades antidefesas da Força Aérea e 39 unidades de equipamentos especiais.