Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Ucrânia e Putin: “As relações EUA-Rússia estão em profunda crise” – América do Norte

Ucrânia e Putin: “As relações EUA-Rússia estão em profunda crise” – América do Norte

Presidente russo Vladimir Putin Ele está de volta ao centro do palco, em sua capacidade habitual de defensor da Rússia contra a agressão de potências estrangeiras hostis. O alvo é sempre o Ocidente, e especialmente os Estados Unidos, que foram muito além do quadro da Guerra Fria. Ao entrar em um verdadeiro “conflito quente” com Moscou. Na frente oposta, Volodymyr Zelensky parou em Varsóvia, aproveitando uma nova concessão de caça de seu principal patrocinador europeu. Boas notícias para os ucranianos, que reforçam seu arsenal militar com o objetivo declarado de reconquistar todo o território ocupado pelo inimigo. A Crimeia também, em seis meses.

ataques ao Kremlin
Os Estados Unidos apoiaram as revoluções coloridas nas ex-repúblicas soviéticas e o “golpe de Kiev” em 2014, episódio “Sobre a Origem da Crise Atual”. O presidente russo disse isso Presidente russo Vladimir Putin Dirigindo-se ao Embaixador dos EUA em Moscou, Lynn Tracy, durante a cerimônia de credenciamento dos novos embaixadores. As relações entre a Rússia e os Estados Unidos são “em profunda crise”, acrescentou Putin.

Entre a Rússia e os Estados Unidos, uma fase de “conflito quente”Enquanto isso, o vice-ministro das Relações Exteriores de Moscou, Ryabkov, diz, alertando que estamos de fato testemunhando uma guerra híbrida, algumas das quais sem precedentes. O Kremlin diz que faltam pré-condições para negociações com a Ucrânia.

Além disso, acrescentou o presidente russo Putin, as relações UE-Rússia “se deterioraram” porque a UE “iniciou um confronto geopolítico” com Moscou, disse o líder do Kremlin durante a cerimônia. Mas a Rússia “não quer se isolar” O presidente russo enfatizou sua “cooperação” contínua com todos os países com base no princípio da “igualdade”.

No encontro com os embaixadores, o presidente russo disse aos embaixadores dinamarqueses que espera que “Copenhague apoie” a proposta de Moscou de “formar uma comissão internacional independente” sobre as explosões que destruíram o gasoduto Nord Stream que liga os dois países em setembro. Rússia para a Alemanha através das águas do Báltico.

READ  Ucrânia, cobertura ao vivo - Putin visita o front em Kherson e Luhansk. Acordo de trigo entre Kyiv e Varsóvia

Tensão em áreas anexadas
Então encabeçado por A Reunião do Conselho de Segurança NacionalPutin, que contou com a presença dos chefes dos departamentos pró-russos nas quatro regiões ucranianas anexadas por Moscou, disse que as capacidades dos serviços especiais ocidentais estão sendo usadas para preparar atos terroristas de Kiev na Rússia. Ele destacou que a situação nas áreas anexadas “ainda está tensa” devido aos atentados a bomba e terroristas em Kiev, que “não pouparam ninguém”. Portanto, Putin apelou às forças do regime, ao judiciário e aos serviços de inteligência “para garantir a segurança da população local”.

Zelensky em Varsóvia
O Presidente ucraniano encontra-se em Varsóvia, onde foi condecorado com a Ordem da Águia Branca pela defesa dos direitos humanos. O presidente polonês, Andrzej Duda, disse que a Polônia já transferiu um total de oito caças MiG-29 para a Ucrânia e está se preparando para transferir mais seis caças. Ele enfatiza que Varsóvia pedirá mais garantias de segurança para a Ucrânia na próxima cúpula da OTAN, a ser realizada em Vilnius, em julho. Duda informou que a Polônia “poderá no futuro transferir toda a frota de MiG-29”, cerca de trinta caças, para a Ucrânia “após acordo com os parceiros da OTAN”, porque atualmente é usado em missões periódicas pela aliança.

Em Kiev, continuam a ser traçados planos para um contra-ataque em grande escala, para o qual já estão preparados 40.000 homens. Segundo o assessor presidencial Mykhailo Podolyak, será possível libertar todos os territórios ocupados: “A Rússia – disse – não tem recursos suficientes
Lidar com a situação na Crimeia e na Ucrânia reconquistará a península em muito pouco tempo: seis meses, cinco meses, sete meses”.

READ  Um dos arranha-céus mais emblemáticos de Cartum pegou fogo durante combates entre o exército sudanês e as forças paramilitares

O presidente polonês indicou que Varsóvia ainda precisa dos MiGs, mas quando novos FA-50s e F-16s encomendados pela Coréia do Sul e pelos Estados Unidos chegarem, ele poderia considerar entregar toda a sua velha frota de caças para a Ucrânia.

OTAN
Durante o Conselho Atlântico de hoje, os Aliados decidiram “oferecer à Ucrânia um programa de apoio plurianual, a fim de fortalecer as Forças Armadas em Kiev, a interoperabilidade e um caminho para os padrões da OTAN, dado que o futuro da Ucrânia está na família euro-atlântica”. O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse isso, especificando que no momento os Aliados estão atendendo a “necessidades urgentes” enquanto agora é necessário “fortalecer as instituições, normas e doutrina” para apoiar o caminho para a OTAN em Kiev.

Além disso, de acordo com Stoltenberg, “a China se recusa a condenar a agressão da Ucrânia, subsidia a economia russa e faz eco de sua propaganda: qualquer ajuda fatal seria um erro histórico com profundas ramificações, e aliados, incluindo grandes corporações, deixaram claro quais serão as consequências. .” Vai ser.”

Quanto aos gastos com defesa, de acordo com o Secretário-Geral da OTAN “2% do PIB para defesa não deve ser uma meta em um futuro distante, mas sim um forte compromisso, de modo que 2% seja realmente o mínimo, e estou ansioso para deixar isso claro na língua na Cimeira de Vilnius”.