Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Papa Francisco na Hungria.  O Papa Viaja Novamente – Il Tempo

Papa Francisco na Hungria. O Papa Viaja Novamente – Il Tempo

O Papa Francisco confirmou a Visita Apostólica, prevista para o final de abril, à Hungria. “Dentro de duas semanas, se Deus quiser, partirei para realizar a quadragésima primeira peregrinação para visitar a Hungria”, disse o pontífice ao receber os dirigentes e funcionários da ETA Airlines. Mas não só. O papa também deve fazer viagens futuras porque “haverá Marselha e Mongólia e todas as coisas que estão na lista de espera”.

Em suma, Bergoglio se prepara para partir novamente com uma bolsa preta nas “Asas do Papa”. É mais um sinal do restabelecimento da saúde do pontífice argentino que, mais uma vez, demonstra querer que todas as suas obrigações sejam respeitadas. E também porque o livro é importante “para confirmar os irmãos e irmãs na fé, para estar perto de quem sofre e para ajudar quem está comprometido com a paz”.

Falando de compromissos, durante a audiência o Papa recordou as 104 viagens de João Paulo II. Mesmo Wojtyla nunca parou, apesar de suas condições de saúde, a ponto de se tornar o “Papai das viagens”. Viagens, em alguns casos, que ficaram para a história, como a viagem a Cuba em 1998 ou a viagem ao “Muro das Lamentações” em 2000, sem esquecer as Jornadas Mundiais da Juventude. As viagens são capazes de se transformar em “eventos informativos” e podem influenciar a linguagem. João Paulo II foi a todos os lugares, chegou a cantos remotos da terra e por isso foi definido como uma fé “universal”: 104 viagens, muitos povos visitados. No entanto, João Paulo II não conseguiu desembarcar na China. Quem sabe se entre as coisas da lista de espera do Papa Francisco também está a ideia de uma viagem a Pequim. Francisco, como sabemos, é o Papa das Surpresas.

READ  “Kiev poderia usar armas dos EUA contra a Rússia.” "Ele vai se arrepender." É uma luta entre Biden e Moscou