Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Os belgas Kevin De Bruyne e Eden Hazard foram excluídos dos quartos-de-final pela Itália devido a lesão.

Kevin De Bruyne com o seleccionador da Bélgica, Roberto Martinez, após substituição após lesão frente a Portugal – Reuters

Kevin De Bruyne e Eden Hazard foram proibidos de participar da partida das quartas-de-final do Euro 2020 contra a Itália na Bélgica, em um golpe para suas esperanças no torneio.

O seleccionador da Bélgica, Roberto Martinez, confirmou na segunda-feira que De Bruyne e Hazard vão falhar o jogo de sexta-feira contra o Mónaco, depois de se terem lesionado durante a vitória por 1-0 sobre Portugal no domingo.

Embora nenhum dos jogadores tenha sido eliminado automaticamente do resto do torneio e a Bélgica tenha ficado aliviada porque os resultados da pesquisa não revelaram nenhum dano maior, Martinez admitiu que havia apenas uma chance “50-50” de dois de seus principais jogadores se recuperarem a tempo. As semifinais em Wembley na próxima terça-feira se vencerem a Itália.

A meia do Manchester City De Bruyne sofreu uma lesão no tornozelo e teve que ser substituída aos 48 minutos após um confronto ruim com João Balanha no primeiro tempo e venceu Martinez e Real Madrid, e Hazard foi forçado a se retirar nos últimos minutos após a retirada. Com tendões tensos.

Martinez teme que os dois sejam eliminados do torneio e agora espera que um ou os dois estejam de volta a tempo para a semifinal se a Bélgica chegar tão longe.

“Ele é muito bom para nós – Eden e Kevin não sofreram nenhum dano estrutural – disse ele – eles estarão com a equipe. Não os colocaremos totalmente em forma na sexta-feira. Na próxima fase, eles estarão pronto para jogar. Estamos levando-o dia após dia. “

“Vamos ficar de olho neles, mas se chegarmos às semifinais, eles podem jogar. As chances de eles jogarem são de 50-50.”

READ  "Marco, o Profeta, nu na frente da minha filha"

A última partida de Hazard contra a Finlândia, há seis dias, foi a primeira vez que ele completou 90 minutos em 19 meses, após duas temporadas em que se machucou, mas Martinez defendeu sua decisão de manter o jogador do Real em campo.

“Esta é a fase a eliminar, você está à frente por um gol e foi a melhor partida do Eden em dois anos”, disse ele. “Ele jogou de forma muito inteligente e inteligente para não mudar isso. Não trabalhamos com bolas de cristal, isso mudaria tudo.”

Martinez sentiu que Pallini já deveria ter recebido um cartão amarelo por uma falta sobre Romelu Lukaku e, como tal, estava chateado porque o meio-campista português De Bruyne, desafiador, não lhe deu o segundo cartão amarelo. “Deveria ter sido uma ballinha amarela na época”, disse ele.