Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

O real impacto e repercussões da abolição do sistema nacional de direitos humanos

O real impacto e repercussões da abolição do sistema nacional de direitos humanos

Durante este ano, o governo português encerrou dois grandes programas destinados a investimentos estrangeiros. Em 6 de outubro, a Lei da Habitação de Mays pôs fim à via do Golden Visa, e dois dias depois anunciou a decisão de acabar com o sistema de residência não habitual (NHR), com efeitos práticos a partir de 2024.

Para “substituir” o RNH, foi criado um novo incentivo fiscal à investigação científica e à inovação no desenvolvimento empresarial, dirigido a “investigadores e trabalhadores altamente qualificados”, que terá requisitos e benefícios semelhantes aos do Registo Nacional de Direitos Humanos: beneficiários deve residir em Portugal há pelo menos 183 dias anualmente para usufruir de uma taxa especial de IRS de 20% durante 10 anos, válida apenas para quem não tenha sido residente fiscal do nosso país nos últimos 5 anos. Esta medida parece positiva mas é muito restritiva, pois exclui muitos talentos e muitos profissionais qualificados que vieram para Portugal com a Organização Nacional de Direitos Humanos.

O programa RNH contribuiu para o aumento dos preços das casas?

O principal argumento utilizado pelo governo para acabar com este programa, que foi criado em 2012, é que contribuiu para a inflação do mercado imobiliário em Portugal e para a atual crise deste setor.

Mas antes de analisar o tema, destaco que ainda existem as características que fazem de Portugal um dos melhores países para viver e trabalhar. Na Athena Advisers, continuaremos a antecipar tendências e a entregá-las aos nossos clientes uma oportunidade exclusivo Investimento e estilo de vida Neste país maravilhoso.

Dito isto, é importante deixarmos claro que o mercado imobiliário em Lisboa e em Portugal não foi inflacionado devido ao RNH. Se tiveram impacto nos aumentos dos preços da habitação, o seu impacto foi pequeno e concentrou-se principalmente nos centros das cidades, especialmente em certos bairros e unidades habitacionais maiores.

O aumento dos preços em Portugal foi generalizado. Isso aconteceu não apenas no centro da cidade, mas também nos subúrbios das grandes cidades e em todo o país. É, portanto, uma questão macroeconómica e não uma questão estreita e directamente ligada à Comissão Nacional dos Direitos Humanos.

Apenas 7,9% dos estrangeiros em Portugal compraram casa e obtiveram o estatuto de RNH.

De acordo com o HMRC, em 2022, havia mais de 35.000 beneficiários de RNH em Portugal, principalmente do Reino Unido, França, Brasil e EUA.

READ  Amêndoas, se você comê-las todos os dias, não terá ideia do que está acontecendo com seu corpo: nós lhe revelaremos toda a verdade

Um inquérito realizado pela Global NHR Association em 2021 revelou que 40% dos proprietários de NHR tinham adquirido um imóvel em Portugal, enquanto 60% estavam a arrendar. O mesmo inquérito indicou que cada proprietário de RNH gastou em média cerca de 1 milhão de euros na aquisição de imóveis em Portugal.

Créditos: Imagem fornecida; Autor: Cliente;

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), 110.158 estrangeiros compraram imóveis em Portugal entre 2012 e 2019. Portanto, se considerarmos que no mesmo período, 22 mil estrangeiros obtiveram o estatuto de RNH [vedi tabella] Apenas 40% adquiriram imóveis, enquanto os estrangeiros que compram imóveis e obtêm o estatuto de RNH são apenas 8.000. Isto significa que de um total de 110.158 compradores estrangeiros, os titulares de RNH representam 7,9% do mercado nestes oito anos.

É um número muito residual para poder inflacionar os preços dos imóveis em todo o país. São ainda inferiores aos 8% dos compradores do Golden Visa.

Então, o que é a inflação dos preços das casas?

Embora a subida dos preços tenha sido impulsionada pela redução das taxas de juro, o movimento generalizado em toda a Europa, especialmente depois do Brexit, quando as capitais europeias começaram a inflacionar – o principal problema e a principal razão para o aumento dos preços das casas em Portugal foi a falta de nova oferta . Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o número de novas licenças de construção emitidas em Portugal no primeiro semestre de 2023 foi 24% inferior ao mesmo período de 2022. Não há novos edifícios a chegar ao mercado nem novos projetos. Eles permanecem durante anos nas Câmaras Municipais para obter licenças.

E aqui enfrentamos outro grande problema que amplifica o setor imobiliário em Portugal: a preguiça da administração pública. Este é um problema que não foi resolvido da melhor forma. Acho que o governo ainda precisa atender às necessidades de um país em crescimento econômico. Mas ninguém quer resolver este problema porque não traz votos.

O dinheiro que entra no país através do programa RNH é provavelmente o melhor que alguma vez tivemos. Ou seja, é um investimento de empreendedores, empreendedores e pessoas ativas que se mudam para Portugal, iniciam novos negócios, abrem escritórios, contratam pessoas e consomem bens e serviços. Isto tem um impacto muito positivo na economia portuguesa.

READ  Após a pandemia, três em cada quatro trabalhadores italianos estão prontos para fazer uma mudança radical em sua carreira

Especificamente no domínio da economia, Portugal teve um bom desempenho em comparação com outros países europeus. Em 2022, o PIB do país cresceu 2,6%, superior à média da UE de 2,5%. Da mesma forma, a taxa de desemprego de Portugal também é relativamente baixa, de 5,8%.

Além disso, o boom tecnológico continua. O setor tecnológico português cresceu 12% em 2022, tornando-se um dos setores que mais cresce na Europa. [Fonte: Portugal Digital]É agora o décimo maior exportador de serviços TIC do mundo [Fonte: World Trade Organization].

Na nossa opinião, o crescimento da economia portuguesa deve-se também aos estrangeiros que viram um mercado interessante em Portugal, acreditaram no nosso país e na nossa economia e escolheram viver e investir aqui. nós estamos em Conselheiros de Atenas Temos muitos exemplos: acompanhamos pessoas do Brasil, Reino Unido, África do Sul, França, Suécia, EUA e outros… que vieram para cá e criaram restaurantes, hotéis, empresas de tecnologia e muitas outras empresas.

Afinal, qual é a verdadeira razão do desaparecimento da Comissão Nacional de Direitos Humanos?

Na nossa opinião, do ponto de vista económico e financeiro, não existe nenhum argumento válido que justifique a extinção da Instituição Nacional dos Direitos Humanos. Acreditamos que é absolutamente errado assumir que a Autoridade de Recursos Humanos é responsável por todos os problemas do setor imobiliário português. É apenas uma desculpa.

O fim do regime de direitos humanos é, portanto, uma medida míope, preconcebida, populista, em que o governo pretende culpar alguém (ou algo) para ganhar votos, sacrificando e derrubando programas que contribuíram para a economia do país. Portugal no mundo.

Créditos: Imagem fornecida; Autor: Cliente;

Qual é o impacto do fim do RNH?

Acreditamos que o impacto do fim do regime dos RNH será enorme não só no sector imobiliário, mas em toda a economia do país.

Aos investidores que têm contribuído para o crescimento da economia portuguesa, o governo está a enviar a mensagem errada, e ninguém os poderá criticar se deixarem de acreditar no mercado nacional, que está sempre a mudar as regras, e se deixarem de acreditar no o mercado nacional. Um país cujos executivos culpam os investimentos estrangeiros por inflacionarem os preços da habitação e causarem a crise do sector. Muitos deles poderão sair de Portugal com grandes custos para a nossa economia, porque, como referimos anteriormente, além de investidores imobiliários, são empresários, empresários, empregadores e consumidores.

READ  Pnrr, estações de carregamento de veículos elétricos falham: sem sistemas rodoviários

No que diz respeito à promoção imobiliária, o mercado já vive uma crise e, com o fim do programa, muitos projetos poderão ser adiados. Além das perdas para a economia e o emprego, isto irá agravar a crise imobiliária e inflacionar os preços, uma vez que a oferta será menor.

nós estamos em Conselheiros de Atenas Queremos acreditar que este cenário mais pessimista não se concretizará, porque trabalhamos todos os dias para oferecer aos nossos clientes o melhor de Portugal e os produtos com maior potencial.

Algumas regras do RNH deveriam ser alteradas?

Sabemos que o principal problema do regime especial de RNH é o facto de um estrangeiro com residência fiscal em Portugal não suportar os mesmos impostos que um cidadão português. Neste sentido, é importante ressaltar que estamos… Conselheiros de Atenas Apoiamos a igualdade porque somos todos europeus. Portanto, acreditamos que se um estrangeiro obtiver rendimentos em Portugal, por exemplo rendimentos de imóveis localizados em território nacional, deverá estar sujeito exatamente aos mesmos impostos que um cidadão português.

No entanto, somos de opinião que se uma pessoa com rendimentos provenientes de diversas fontes espalhadas pelo mundo decidir instalar-se em Portugal, não deverá ser tributada da mesma forma. Geralmente são profissionais altamente qualificados que escolhem Portugal para se instalar, contribuindo para a riqueza e economia do país.

Esta é, portanto, uma vantagem para Portugal, razão pela qual foi suficiente ao executivo alterar algumas regras do Programa Nacional de Serviços de Direitos Humanos, em vez de o encerrar completamente.

Isenção de responsabilidade:
As opiniões expressas nesta página são do autor e não do Portugal News.