Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Mulher é morta em Trapani e marido é preso por assassinato

Mulher é morta em Trapani e marido é preso por assassinato

A vítima foi morta com doze facadas

A vítima foi assassinada com doze facadas no abdômen. Isso foi confirmado pelo legista durante o primeiro exame post-mortem da mulher. Uma autópsia ordenada pelo advogado de Marsala será realizada no Instituto Forense de Palermo.

A motivação do crime é desconhecida

Perante o Ministério Público, a pessoa exerceu o seu direito de não responder. Durante a audiência da magistrada Stefania Tredici na noite de sábado, o pescador aposentado não forneceu elementos úteis para identificar o motivo. O homem foi preso por homicídio e transferido para a prisão de Trapani. Um perito forense Carabinieri fez descobertas na casa onde a mulher foi assassinada.

Uma relação tensa entre os cônjuges

Não era uma relação pacífica entre as duas esposas. “O conflito entre os dois era evidente”, relata o capitão dos Carabinieri de Castelvetrano Pietro Calabro. Talvez este assassinato seja o culminar de outra controvérsia. Uma história de amor nascida há cinco anos, entre os dois. Ele é pescador e ela, por outro lado, é de Palermo.

Crianças na comunidade há um ano

Ambos tinham histórias de casamento por trás deles. Ernesto Favara tem dois filhos de um casamento anterior (sua esposa morreu de doença), e Maria Amatuso tem dois filhos de histórias anteriores que não moram mais com ela. Há quatro anos, Favara e Amatusso se casaram no civil e, no mesmo ano, nasceram gêmeos. “As crianças foram entregues à comunidade habitacional por quase um ano”, explica o capitão Calabro. O casal continuou morando em uma modesta casa no bairro pesqueiro de Marinella di Selinunde, onde ocorreu o massacre.

READ  As últimas notícias sobre a crise aberta pelo governo Draghi, Conte e o M5S. direto

Irmão do assassino: “Ele tinha uma faca ensanguentada”

“Eu estava em casa, estava dormindo e ouvi alguém gritando ‘socorro, socorro’, olhei para o quintal da varanda do primeiro andar e vi meu irmão no quintal com uma faca na mão.” Antonino Favara, 56 anos, diz irmão de Ernesto Favara. Os dois irmãos moram no mesmo apartamento há 5 anos: “Mas é grande, então cada um tem seu espaço”, diz. Antonino Favara voltou de Marsala para almoçar, onde fez alguns exames médicos. “Perguntei ao meu irmão o que iríamos preparar para a festa de Natal – diz o irmão do assassino – e depois fui para a cama. À tarde ouvi um choro, levantei-me, vesti as calças, peguei nas muletas. Olhei para fora e vi meu irmão ainda com uma faca ensanguentada na mão.” Antonino Favara, já ouvido pelos Carabinieri, explica: “Perguntei ao meu irmão o que ele fazia e ele respondeu: me fez perder mulheres”. O homem explica: “A esposa do meu irmão não vem para casa desde segunda-feira. Ernesto não está tolerando.
Nunca deu sinais de depressão”. As gêmeas foram entregues à sociedade habitacional.

A comunidade de Marinella di Selinunde está chocada

Favara “foi um dos pescadores históricos da frota Selinunde, faz esta atividade há décadas, mas nos últimos tempos o vimos algumas vezes, muito raramente participava de nossas atividades”, diz Giacomo Russo, presidente da ‘ Sagrado’. Hart’ Comité de Maria’ reúne pescadores dedicados à Madonna na aldeia. Um assassinato em uma casa em uma vila de pescadores deixou a comunidade marítima em luto. “Depois de se aposentar, Ernesto não andava de barco – Rousseau ainda se lembra – comprou um triciclo e vendia peixe na aldeia, escolhendo pontos estratégicos onde pararia para os clientes. Sua esposa o ajudava”.

READ  Ansio, uma briga na escola entre alunos de 13 anos. Chutes e socos e insultos racistas, uma mulher com o nariz quebrado - Corriere.it