Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Milan – Lecce 2-0, dois gols de Liao

Um flash de cabeça para baixo no “estilo napolitano” dos portugueses. Rossoneri sobe para 56 pontos e já está chegando a Roma

2 flashes para afastar os fantasmas e vencer novamente. Liao novamente se disfarça de Liao homem do jogo, marca dois gols e expulsa o Lecce em San Siro, e presenteia Pioli com dois presentes: o primeiro é a centésima vitória desde que treinou o Milan, e o segundo é ultrapassar o Inter, vitorioso em Empoli. Chamada e resposta do Derby. Até porque o San Siro de hoje é um precursor do que veremos nas semifinais da Liga dos Campeões: mais de 72.000 espectadores.

aumentar a pena

O primeiro tempo do Milan cheirava a “gostaria, mas não posso”, enfraquecido por uma barreira de Lecce levantada por Baroni e assistida por Pacherotto e Umtiti, que provocou Rebic do início ao fim. O croata é um perdedor, nunca indeciso, só joga na lateral. Um parente do Anti-Halal foi visto há dois anos. Os rossoneri tentam picar de forma diferente. Tonali tenta de direita de fora aos dez minutos, depois Chevy fecha o San Siro com impaciência. Aos 13 minutos – após bela combinação na esquerda entre Theo e Leo – o Milan cobrou pênalti por falta de Paccherotto sobre o francês, que entrou em campo com cabelos rosas deslumbrantes, assim como as chuteiras. O central do Lecce simula várias vezes que bateu na bola, e fá-lo com a calma de quem sabe que tem razão. Theo responde, apontando para a marca do pênalti, mas Chevy revisa tudo no Var, e Pachirotto “ganha”: sem pênalti.

Chega de Lião

Lecce compensa e Maignan quase congela aos 19. Cruzamento de Gendry no trocarte direito, alisado por Krunic e poste completo de Banda a seis metros. O extremo provocou Kalulu várias vezes, Waltrawl arrancou com facilidade e também conteve Messias na cobertura, mas faltou-lhe o ímpeto decisivo. E no final, Lião aproveitou: aos 40, escanteio da esquerda, cruzamento de Tonali, e o português cabeceou em Falcone. Este é o segundo gol dos rossoneri, que caiu desta forma. o primeiro? Em Lecce, em junho de 2020. O bonito é que chega após cerca de quarenta minutos de jogo relaxado, entre mudanças de jogo falhadas e jogadas malsucedidas. Mas no final ele marca. Lião é isso também.

READ  16 febbraio l'esordio con la Danimarca

Rafael de novo

O texto de tiro parece o mesmo. O Milan tenta fechar bem, aproveitando a ávida supervisão de Lecce para tirar o Hellas da zona de perigo, mas não fecha a ação. Primeiro com Theo, depois com Abraham e Leo. Todo mundo consegue jogar o primeiro, ninguém chega ao segundo, e o mais importante. Uma questao de tempo. Beoli joga em Kjaer, Bennacer e Saelemaekers nos anos 60. Fora Thiaw, Tonali e Messias, com quem o técnico rossoneri conversou longamente na pré-jogo. Corrida obscura para o brasileiro, no entanto. Por outro lado, a lichia é uma moeda de dois lados. Quando se trata de batalha, ela tem o melhor que pode, mas luta durante a fase de construção. A única defesa de Maignan veio aos 70 minutos, após um belo chute de pé direito de Streveza a vinte metros de distância, enquanto Liao voltou três minutos depois para tocar no gol do Euro com um nocaute. Os dois gols foram atrasados: aos 75 minutos ele começou a contra-atacar, andou cerca de trinta metros com a bola e depois sufocou o pé esquerdo apenas o suficiente para picar Falcon novamente, marcando seu décimo segundo gol na Série A. . Pioli dá a ele aplaudido de pé 10′ do final. O Milan voltou às vitórias após dois empates consecutivos e juntou-se à Roma na quarta posição, com 56 pontos, enquanto o Lecce vive uma crise negra: sete derrotas e um empate nos quartos-de-final. Verona em -2. Apenas a coluna 0-0 do Panda permanecerá infeliz.