Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Guerra Ucrânia-Rússia, notícias de hoje.  Kyiv: Bakhmut sitiado

Guerra Ucrânia-Rússia, notícias de hoje. Kyiv: Bakhmut sitiado

O Kremlin declara estar a estudar o plano chinês com “grande interesse”, mas reitera que “não há condições para a paz” e que a Crimeia nunca poderá regressar à Ucrânia porque é “parte integrante da Rússia”. A luta continua no terreno e Zelensky fala de uma “situação cada vez mais complexa” em Bakhmut. Drones russos também atacaram Kiev novamente.


365 dias desde o início da guerra na Ucrânia

arquivo faixas de guerra


Notícias ao vivo do conflito entre a Ucrânia e a Rússia

São Petersburgo fecha o Aeroporto de Pulkovo para todos os voos

aeroporto de Pulkovo São Petroburgo Suspensão de todos os voos de entrada e saída no aeroporto sem justificativa. Segundo canais de notícias russos, o motivo foi o avistamento de uma “aeronave não identificada”, possivelmente um drone. Isso foi relatado pela administração da cidade no Telegram. Espera-se que o espaço aéreo em um raio de 200 km ao redor do aeroporto permaneça fechado até 13h20, horário local, informa a Tass.

Blinken em Astana: “Os Estados Unidos apóiam a independência e a soberania do Cazaquistão”

Como você bem sabe, os Estados Unidos apóiam fortemente a soberania, independência e integridade territorial do Cazaquistão. “Isso foi confirmado pelo Secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, durante sua visita a Astana, no âmbito de uma turnê que visitará o Uzbequistão e a Índia com o objetivo de enfrentar a influência russa. E o chefe da diplomacia dos EUA sublinhou, referindo-se à guerra na Ucrânia: “Às vezes dizemos estas palavras mas na realidade não têm significado e claro sabemos que neste preciso momento têm um maior ressonância do que o habitual”, referindo-se à guerra na Ucrânia. Blinken então reiterou a “determinação” dos EUA em tornar as relações com o Cazaquistão “mais fortes do que nunca”.

READ  Os Red Devils, o primeiro F35 da Sexta Asa desembarcou em Gedi

Anthony Blinken (Reuters)

Rússia: “Os Estados Unidos estão preparando uma provocação com armas químicas”

A Rússia acusou os Estados Unidos e seus aliados de preparar uma provocação com agentes químicos tóxicos na Ucrânia e confirmou que um carregamento desses materiais chegou em 10 de fevereiro a Kramatorsk, principal reduto ucraniano na região de Donetsk, que Moscou anexou em setembro passado. 30. Segundo o comandante das forças de proteção química e biológica da defesa de Moscou, Igor Kirillov, os preparativos para esta provocação estão “a todo vapor”.

Kiev: “As forças russas estão tentando romper as defesas de Bakhmut”

A situação em torno da cidade sitiada de Bakhmut, no leste da Ucrânia, é “extremamente tensa”: apesar das pesadas perdas, “o inimigo lançou as unidades ofensivas mais preparadas (do grupo Wagner), que estão tentando romper as defesas de nossas forças e cercam a cidade”. torná-lo conhecido em cabo, Como mencionado anteriormente guardião, Comandante das Forças Terrestres Ucranianas, General Oleksandr Sersky.

Japão anuncia novas sanções contra Moscou

Hoje, o governo japonês anunciou novas sanções contra a Rússia “destinadas a contribuir para os esforços internacionais de paz”. O ministro das Relações Exteriores de Tóquio disse que vai congelar os bens de 39 indivíduos, 73 entidades da Federação Russa, um banco e nove pessoas nas regiões ocupadas do leste e sul da Ucrânia, por envolvimento na anexação dessas regiões. Além disso, foi imposta a proibição da exportação de 21 entidades que poderiam contribuir para a melhoria das capacidades industriais da Rússia. Entre os sancionados por Tóquio estão o vice-ministro da Defesa, Viktor Goremykin, e o principal acionista da Kalashnikov, Alan Luchnikov.

Zelensky: “A situação em Bakhmut está ficando cada vez mais difícil”

A situação em Pakhmut, uma localização estratégica na região ucraniana de Donetsk que está cercada pelos russos há várias semanas, é “cada vez mais difícil”. Isso foi reconhecido pelo presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky. O inimigo está constantemente destruindo tudo o que pode ser usado para proteger nossas posições, ganhar posição e garantir a defesa.

Moscou: os Estados Unidos estão preparando uma provocação química na Ucrânia

O Ministério da Defesa da Rússia disse que os americanos estão planejando uma provocação química na Ucrânia

Chefe da Inteligência Ucraniana: Não há indícios de armas chinesas em Moscou

O chefe do serviço de inteligência da Ucrânia, Kirillo Budanov, não vê “nenhuma indicação” de que a China entregará armas à Rússia. Ele disse isso em uma entrevista transmitida ontem na Voice of America. “Não compartilho dessa opinião”, disse Budanov, referindo-se às alegações dos EUA – que Pequim negou veementemente – de que a China está considerando fornecer armas à Rússia para ajudar no ataque à Ucrânia. “No momento, não acho que a China concordará com a transferência de armas para a Rússia… não vejo nenhuma indicação de discutir esses assuntos”, disse ele.

Ex-boxeador Klitschko testa tanque: “Há um ano eu não poderia imaginar dirigir um carro desses”

Moscou não reativará o START se os Estados Unidos não ouvirem suas razões

A Rússia não voltará a implementar o tratado START sobre armas nucleares até que os Estados Unidos considerem seriamente as posições de Moscou. Isto foi afirmado pelo porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov

EUA: Haverá consequências se a China fornecer armas a Moscou

“Não é do interesse da China” fornecer armas à Rússia, e os EUA disseram que “claramente haverá consequências”. Foi o que afirmou o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, John Kirby, em entrevista à CNN, ao responder a uma pergunta sobre a possível reação dos Estados Unidos caso Pequim forneça armas à Rússia para a guerra na Ucrânia.

O Kremlin: Putin está aberto a contatos, mas França e Alemanha não são neutros

O presidente russo, Vladimir Putin, “estava e continua aberto a quaisquer contatos que possam ajudar a Rússia a atingir seus objetivos, de preferência por meios pacíficos”. Isso foi afirmado pelo porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, em entrevista ao jornal russo Izvestia. Peskov observou que o chanceler alemão Olaf Scholz e o presidente francês Emmanuel Macron confirmaram repetidamente que tentarão entrar em contato com o presidente russo, mas Peskov argumenta que “não houve pedidos”. Ele enfatizou que a França e a Alemanha estão participando indiretamente das hostilidades ao lado da Ucrânia, o que põe em questão seu papel como potenciais mediadores nas negociações.

Sanchez: Enviar combatentes para Kiev não é uma opção na mesa

O envio de caças militares para a Ucrânia “não é neste momento uma opção” nas discussões entre a OTAN e os países da UE que apoiam Kiev: afirmou o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchez, numa entrevista transmitida à noite pelo canal de televisão Telecinco. “Por outro lado, existe a opção de fornecer tanques Leopard, artilharia, munição e recursos econômicos para ajudar o próprio Estado ucraniano a pagar professores ou profissionais de saúde, trabalhos de reconstrução e ajuda humanitária”. Na semana passada, Sanchez disse após uma reunião com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, em Kiev, que o pedido da Ucrânia para receber tropas de outros países deveria ser “considerado”.