Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Estudantes em comparação com o sistema de supervisão bancária

Estudantes em comparação com o sistema de supervisão bancária

O sistema bancário europeu de hoje, apesar das dificuldades dos últimos anos e do impacto da Covid, “no seu conjunto é mais sólido do que há dez anos, graças às importantes medidas de consolidação implementadas pelos bancos e pelas autoridades. Os bancos estão muito mais capitalizados do que em no passado, e eles foram reduzidos Dívida de 1 trilhão de euros para 300 bilhões de euros. Estas são as palavras de Paolo Corradino, Diretor Geral Adjunto do Banco Central Europeu, presente hoje no Departamento de Economia e Negócios da Universidade de Catania, para o encontro com os alunos que marca o início das atividades do segundo semestre do curso de graduação em Economia Corporativa. Ao lado dele estão o titular do curso, Sebastiano Mazzo, e o diretor da sucursal de Catania do Banco da Itália, Gennaro Gigante. No Grande Salão do Palazzo delle Scienze, especialmente para alunos dos cursos de economia e gestão dos intermediários financeiros, Corradino sugeriu que aprofundassem os seus conhecimentos sobre “o tecido económico local e as novas fronteiras das tecnologias”, porque “IT (it is) um setor no qual estamos focando cada vez mais, não apenas no relacionamento com o cliente, mas em prol de processos produtivos e sistemas de pagamento eficientes. No que respeita à digitalização, a cimeira do BCE estima os investimentos em “300 mil milhões de euros anuais”.

Leia também – Banco da Itália, relatório sobre crédito para famílias e empresas na Sicília em 2022

Supervisão bancária conjunta e internacional

De seu observatório, o diretor do Banquetalia Catania, Gigante, relembrou sua experiência universitária e o quanto as coisas mudaram na supervisão bancária em 30 anos: “Primeiro – explicou – houve um papel para a coordenação europeia da política monetária, depois houve uma grande mudança no sistema com supervisores enfrentando supervisores de qualquer mundo. Money and Banking Passámos de uma fase de supervisão nacional para uma fase de supervisão conjunta e internacional, com um papel fixo do Banco Central Europeu a ser gradualmente preenchido com outros conteúdos importantes”, uma mudança de competências “o que é um sintoma do desenvolvimento do próprio mercado e dos players desse mercado.” Corradino passou em revista a evolução do Banco Central Europeu, desde os países frágeis assolados por ondas financeiras negativas, aos exemplos da economia espanhola, que cresceu significativamente apostando na especulação imobiliária como modelo de negócio, até à instabilidade bancária na Irlanda, Portugal, Chipre e Alemanha. Corradino falou da “migração em curso entre as economias real e financeira” e de “uma falência bancária que pode ter implicações mais amplas na solvência de nações inteiras”, enquanto o desafio era reduzir de forma significativa e rápida “o impacto do mal”. dívidas aos bancos. O desafio alcançado com o regime europeu de supervisão do Banco Central Europeu assenta nas autoridades nacionais de supervisão.

READ  Milhares dizem adeus ao trabalho inteligente: servidores públicos voltam aos escritórios

Leia também – Menos empréstimos, mais depósitos bancários: os sicilianos optam por poupar

A crise bancária tem repercussões na economia

Um banco bem gerido desempenha um papel vital no desenvolvimento da economia. Se houver inadimplência e essa dívida for congelada em grandes quantidades no balanço, a gestão do banco torna-se impossível e, mais cedo ou mais tarde, a instituição de crédito estará condenada à falência, com efeitos devastadores nos clientes depositantes, no real economia. Para empresas que obtêm financiamento do mesmo banco. É por isso que hoje os bancos são obrigados a fazer grandes provisões para empréstimos não garantidos e para Corradino “o BCE assumiu características próprias também do ponto de vista regulatório, porque mantém junto um guia central no banco central e as equipes locais no autoridades nacionais de supervisão foi um desafio que ainda enfrentamos. É uma questão A criação de uma comunidade europeia de supervisores, um grupo com uma missão comum, com uma cultura comum, para proteger a estabilidade do sistema financeiro como um todo e contribuir para o bem-estar dos cidadãos. É o guardião da eficiência da economia.”

Leia também – Preços de energia em alta aumentam riscos de deterioração de empréstimos bancários

O tema da incerteza geopolítica é muito relevante

O que Corradino disse representa o primeiro pilar de um sistema completo com autoridade europeia para resolver bancos em dificuldade (liquidação) e seguro de depósito europeu. Também temos que lidar com as incertezas geopolíticas “Desde que a guerra na Ucrânia começou, há um ano, houve tensões absolutamente sem precedentes nos mercados financeiros e no abastecimento de energia”, enfatizou Corradino, mas “graças às medidas tomadas a nível europeu e na Itália com a diversificação energética, algumas dessas preocupações diminuíram significativamente”, mas a questão da incerteza “continua bastante relevante porque pode desencadear recessões cujas consequências não são mensuráveis”, dada a forma como as economias globais estão interligadas. Prova disso – entre os exemplos dados por Corradino – são os grandes grupos industriais que, após uma transição gradual, estão agora a ser induzidos a deslocalizar-se relativamente à China, ou mesmo a devolver parte da sua produção para a Europa”. de incertezas geopolíticas, portanto, continua sendo um elemento Os três grandes a serem considerados, juntamente com as prioridades de supervisão bancária e investimentos em digitalização.

READ  Ligeiras movimentações nas bolsas europeias e de Milão em paridade na última sessão do ano