Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

“Estamos mirando no Scudetto. Todos aqui me perguntaram, Ibra é como um irmão mais velho.”

Brahim Diaz deu uma longa entrevista à AS Microphones. Estas são suas palavras:

Sobre seu momento: “Gosto de ter liderança e ser campeão, sim, sinto que meu caráter cresceu. Estou mais integrado do que há um ano, conheço meus companheiros melhor e o trabalho é mais fácil assim.”

Sobre o refrão da torcida: “Pra mim ele é lindo. Kaká é uma lenda, um jogador de futebol que é admirado por qualquer jovem jogador, ele tem sido incrível. Para mim é uma honra, mas também agradeço aos fãs pela maneira como brincar “, ele me tratou, por afeto desde o primeiro dia. Estou tentando recuperá-lo me saindo bem em campo. “

Sobre o Scudetto: “Se almejamos o Scudetto? Sim, será uma batalha bem equilibrada com muitas equipes participantes. Estamos bem, pensando de uma partida para a outra, mas posso dizer que temos um grupo que tem talento, sacrifícios, um ambiente que combina perfeitamente juventude e experiência. Vamos lutar até o último dia ”.

No início da temporada: “Este ano consigo mais golos, isso mesmo, e quero ajudar a equipa a jogar perto da área adversária. Os golos estão aí, mas estou mais interessado nos resultados”.

Sobre o gol favorito dos rossoneri: “Bem, depois de sete anos sem jogar na Champions League, nunca esquecerei de marcar 1-2 em Anfield, mas também adoro o que fiz contra a Juventus um ano atrás.”

Sobre seu papel ideal: “Me adapto a todos os papéis, mas é verdade que atrás do primeiro atacante me sinto muito confortável. Gosto de administrar os espaços entre as linhas e receber muitas bolas, como acontece naquela área de o campo de futebol. “

READ  Juventus, Andrea Pirlo se alegra e explica a exclusão de Ronaldo

Na camisa 10: “Todo mundo sabe quanto talento ela usou e é um privilégio para mim. Espero estar à altura disso, tentando com todas as minhas forças.”

Sobre Paolo Maldini: “Temos uma ótima relação, ele tem muita confiança em mim, valoriza o meu talento e estou muito grato a ele e ao Masara, e a Gazidis, ao treinador: todos queriam que eu estivesse aqui. Paolo como jogador era uma lenda e também prova o seu valor como treinador. ”

Sobre Theo Hernandez: “Ele foi ótimo comigo dentro e fora de campo. Ele me ajudou muito: todos o viam como um grande jogador de futebol, mas garanto que ele é ainda melhor como pessoa. O trio com ele e Castilego? Bem , Eu acalmo os três (risos) mas nos divertimos muito juntos. Ter amigos como eles facilita a sua vida. E sim, a piada é verdade: no ônibus, sempre incomodamos quem está sentado na frente deles. “

Sobre o Ibra: “Ele é como um irmão mais velho. Ele sempre pede o máximo, mas depois te dá ótimos conselhos. Ele tem um carinho muito grande por mim e isso me deu confiança. Ele sempre faz a diferença, jogando ou não: tê-lo na equipa é uma vantagem acrescida. Ainda muito forte e isso transparece em todos os treinos ”.

Sobre a Champions League: “O Liverpool é muito forte e o jogo foi difícil. Sofremos no início, mas depois mostramos nosso talento. Marcar dois gols em Anfield não é fácil: vamos continuar lutando no grupo. A casa do O Milan, o mundo inteiro sabe disso, e será uma noite especial. O Atlético é rival. É difícil, vai ser um jogo duro para os dois times. Temos nossas armas, e jogamos em casa ”.

READ  O mercado de transferências da Juventus, com Ronaldo, acabou

Sobre o jogo com o Atlético de Madrid: “O fato de ser uma equipe que não só é rica em talento, mas também funciona muito bem e está pronta para se sacrificar. Eles têm jogadores muito fortes e eu não escolheria um deles porque iria ser injusto. Nesse caso, prefiro centrar-me no Milan: também somos excepcionais e estamos mais unidos do que nunca ”.

Sobre Ancelotti: “Carlito é um grande treinador e uma pessoa especial, pelo que pude saber. Estou muito grato a ele, mas agora estou focado no Milan.”

Sobre a decisão de voltar ao Milan: “Voltei porque o Milan é uma grande equipe e imediatamente senti o carinho do clube e de sua torcida. Me diverti muito lá no ano passado e até agora estou muito feliz aqui. O futuro?” Acredito mesmo. Estou gostando do presente e estou feliz, quero continuar ajudando o Milan com gols, assistências e acima de tudo muito trabalho ”.

Sobre a Seleção: “Minha única presença com a primeira seleção, contra a Lituânia, foi especial: tantos dos meus companheiros apareceram comigo que até consegui fazer um gol. Foi uma sensação muito boa e vou continuar dando tudo de mim em campo., Aguardando “outra ligação” do treinador. Se eu for bem, isso virá mais cedo ou mais tarde. “