Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

“condenado por tortura”. Novos problemas para Maduro

Tribunal de Miami ordena que Maduro e o cartel de los Solz paguem US$ 153 milhões por torturar um preso político

Juiz Frederico A. Moreno que o advogado Carlos Marrón, detido por 878 dias e torturado durante seu cativeiro na Venezuela, assim como sua esposa e dois filhos menores, sejam indenizados pela ditadura. Além de Maduro, FARC, Cartel de los Sols, Vladimir Padrino Lopez, ministro da Defesa de Maduro, Mikel Moreno, presidente do Supremo Tribunal com cidadania italiana, Tariq William Saab, procurador-geral do regime e Tariq El Aissami, ministro do Petróleo de Maduro.

Lula superstar em Buenos Aires: sim à moeda única, ajudem os irmãos “democráticos” de Cuba e Venezuela, bilhões pelo gasoduto (gás de xisto, proibido na Europa e no Brasil por ser poluído) Nestor Kirchner, processo contra Dilma foi golpe

A 7ª Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) começa hoje em Buenos Aires, mas ontem no bilateral entre Lula e o presidente argentino ele disse isso no discurso e muito mais. A cúpula relançou a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos, órgão criado por Chávez e Lula em 2010 para neutralizar outros instrumentos de integração regional como a Organização dos Estados Americanos (OEA), da qual os Estados Unidos fazem parte, ou o Ibero-Americano Organizações americanas nas quais a Espanha participa. Portugal integrado. É importante que o principal problema regional, a grave crise que o Peru vive, não esteja na pauta das conversações, entre outras, porque Bolívia, Argentina, México e Colômbia já declararam claramente que apoiam o golpista Pedro Castillo e quem incendeia o Peru (ontem foi outro dos ataques às estruturas do Estado pelos marxistas de Castillo).

Venezuela adere à ideia de moeda única de Brasil e Argentina

READ  Rede de Universidades do Mediterrâneo para a Paz

O ditador venezuelano Nicolás Maduro anunciou que seu país, campeão da inflação na América Latina, apoia a iniciativa do Brasil e da Argentina, segundo país da região em termos de inflação, de criar uma moeda comum. Declaro que a Venezuela está pronta e apoiamos a iniciativa de criar uma moeda para a América Latina e o Caribe. Independência, união e libertação da América Latina e Caribe! Ele disse à United Networks durante uma manifestação em Miraflores contra o bloqueio ianque de Caracas.

Manifestação em massa contra Maduro por um salário decente na Venezuela

Funcionários públicos e privados saíram às ruas de Caracas com o slogan “Estamos nas ruas por um salário decente”. Eram milhares de funcionários públicos e privados, professores, médicos e aposentados, que “ganham” 6 euros por mês, e marcharam em Caracas pela terceira semana consecutiva para exigir salários mais altos e repudiar o governo Maduro, que apesar da inflação descontrolada ( 320). %) confirma que a economia venezuelana está crescendo e que a crise acabou. Eles queriam chegar a Miraflores, mas o regime os impediu. “Somos professores, não criminosos” e “Não aos salários de fome ou às pensões por morte” foram dois dos lemas que caracterizaram o protesto. As pessoas estão exaustas e não conseguem viver com US$ 6 por mês quando a cesta básica é de US$ 500.

Por sua vez, o deputado Oscar Figuera, secretário do Partido Comunista da Venezuela (PCV, aliado do chavismo) também declarou no comício que o CPC “rompe” com o governo porque “trai o projeto histórico do presidente Chávez”. Ele disse: “O partido decidiu romper com Maduro por causa de sua política econômica antitrabalhadora, repressão contra líderes, salários miseráveis ​​e uma política que beneficia grandes setores do capital e não o povo”. Ao mesmo tempo, o chavismo realizou sua habitual marcha de contramarcha para exigir o “fim do bloqueio” e das sanções impostas pelos Estados Unidos e outros países. A contramarcha de Maduro, chamada de “rebelião contra o imperialismo”, partiu de dois pontos da capital venezuelana e chegou ao Palácio de Miraflores, onde foi recebida pelo próprio Maduro com gols unidos.

READ  Holidays 2021, escolha de casas de férias e políticas de viagens aumentam - Corriere.it

Diaz-Canel celebra investimento empresarial e negócios em Havana

Em meio à suspensão das visitas de seus pares Nicolás Maduro (Venezuela), Daniel Ortega (Nicarágua) e Guillermo Lasso (Equador), o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, está de olho na chegada de líderes regionais a Buenos Aires para a Cúpula da Comunidade de Nações da América Latina e Caribe (CELAC). Em um hotel da Rua Reconquista, 900, o embaixador cubano, Pedro Pablo Prada, é convidado para um brinde com Díaz-Canel, o único dos três presidentes a ser denunciado pelos abusos de direitos humanos existentes na Argentina. O ditador incluiu em sua agenda um encontro bilateral com Alberto Fernandez e outro com Lula.

Mas Díaz-Canel se reuniu principalmente com os empresários de Kirchner. “Estou convencido de que continuaremos avançando e consolidando nosso relacionamento, e que cada vez que nos desenvolvermos juntos será um benefício crescente para ambas as partes”, disse ele a Vovó. O presidente cubano disse: “Hoje, na Argentina, iniciamos um frutífero intercâmbio com empresários sobre investimentos e oportunidades de negócios em Cuba. Notamos o interesse e o potencial para desenvolver e ampliar as relações econômicas e comerciais entre empresas de ambos os países”. Conta do Twitter. Seguindo os empresários, o sucessor de Raúl Castro conheceu intelectuais, artistas e acadêmicos argentinos.

Haiti insiste em enviar uma força internacional urgente para combater gangues armadas

O secretário-geral da ONU, António Guterres, propôs a formação de uma “força de ação rápida” composta por soldados de um ou mais países que não estão sob a bandeira da ONU. No entanto, o projeto está parado por enquanto por falta de um país disposto a liderá-lo. Os Estados Unidos e o Canadá têm incentivado conversas sobre o assunto, mas ainda não indicaram qualquer intenção de liderar a operação militar solicitada pelo governo haitiano.

READ  Decreto Sostegni Bis, a chegada de um novo bônus de 700 euros para despesas e contas

Paolo Manzo, 25 de janeiro de 2023


Tudo sobre a América Latina e seu impacto na economia e na política do velho continente. Subscreva a newsletter gratuitamente xixi Eu no http: // @paolomanzo.subak com. Após uma semana, se pretender uma subscrição de 30€ por ano, terá direito a webinars e inquéritos exclusivos, bem como à newsletter.