Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Com a Taça do Porto no Vale do Douro

Nos últimos anos, Portugal mudou muito e, especialmente, a sua capital Lisboa, que hoje está repleta de oportunidades de entretenimento e animação. No entanto, o icônico bonde e o vento frio que vem do oeste, descem e sobem, e panquecas de creme Recém-assado e bacaloo.
No entanto, o encanto desta terra não se encontra apenas em Lisboa: encontra-se nas infinitas praias do Algarve e nas ondulantes praias da costa de Vicenza frequentadas pelos surfistas; Encontra-se em mosteiros escondidos em regiões periféricas como os de Tomar, construídos pelos Cavaleiros Templários e que ainda guardam a sua história, e nas paredes de castelos em ruínas, de Sintra a Óbidos. Mas o encanto de Portugal flui sobretudo ao longo do Douro, o rio que nasce na vizinha Espanha, atravessa o norte de Portugal e desagua no Atlântico, separando o Porto de Vila Nova de Gaia, a praia onde muitos vinhos fortificados são produzidos pelos grandes produtores locais nas suas próprias casas.A envelhecer, aproveitando a humidade garantida pelas costas.

As margens do Porto e de Vila Nova de Gaia estão ligadas pela Ponte Dom Luís, obra de arquitectura que em 1996 foi declarada Património da Humanidade pela UNESCO, frequentemente atravessada por visitantes interessados ​​em visitar as caves de Vila Nova de Gaia e provar diferentes tipos de vinhos locais, do Porto, incluindo rubi, variegados Jovens bebíveis, cor de safira, avelã, obtidos a partir da mesma uva rubi, mas em processo de maturação diferente, que confere ao vinho uma tonalidade âmbar, menos doce, rica no paladar com notas de nozes, avelãs, chocolate preto, alguns sabores muito valiosos, para serem acompanhados por frutos secos e chocolate E queijo ou alguns segundos fazem justiça.

Foto de Alessandra Lanza

READ  Pino Daniele, seu irmão Salvatore morreu de ataque cardíaco. Ele foi a cara do álbum "Terra mia".

Com vista para um dos muitos Pontos de vista Empoleirados na cidade, os sinais e logotipos de Càlem, Graham’s, Fonseca, Taylor e muitos outros já podem ser vistos à distância, oferecendo a turistas e entusiastas visitas às suas adegas repletas de barris e bombas (O latido Portuguesa), um pouco da história da região do Rio Doro e do sabor incontornável, sempre generoso e para todos os bolsos. E se não tiver dúvidas ao navegar pela oferta de passeios que sobem o rio de barco, vale a pena alugar um carro e explorar as incríveis colinas escondidas por cadeias montanhosas que bloqueiam a influência do oceano, criando uma experiência excepcional. Clima – nove meses de inverno e três meses de inferno, dizem os locais, para descrever o congelamento e depois temperaturas muito altas – que combinadas com solo rochoso e seco e muitos outros fatores dão vida às uvas que são únicas no mundo.

Claro, pode provar o vinho do Douro, o vinho verde produzido no norte do país ou o vinho do Alentej, quase em todo o lado em Portugal. Mas quer dormir na margem do rio e acordar no meio desta paisagem, para passar a panorâmica estrada N222 que liga Peso da Régua a Pinhão? Se é realmente maravilhoso no verão, sem falar no outono, quando o amarelo da terra, o verde das folhas e a cor do céu e do rio – ouro na estação das chuvas, a que você deve o nome – são acrescentados os tons mais quentes que preparam para o inverno, enquanto as uvas cortadas são espremidas, às vezes nem ainda sob os pés. O poeta português Miguel Torga, falando do Alto Doro, escreveu “a única evidência incomensurável que nos permite deslumbrar o mundo”, que juntamente com Baixo Corgo e Cima Corgo formam a região e que há vinte anos é reconhecida como património. Patrimônio da Humanidade, na categoria “Paisagem Cultural Viva e Evolutiva”.

READ  Progresso 11 e 12 de julho de 2021, a trama do episódio
Foto de Alessandra Lanza

Os primeiros plantadores de vinhas há milhares de anos foram os nossos antepassados ​​romanos, mas para tornar as uvas desta região populares e procuradas foram os ingleses, que tiveram de encontrar um caminho já na Idade Média, mas especialmente no século XVII para ser. capaz de importar vinho sem os franceses, desde a guerra As relações comerciais em curso têm dificultado. Não é surpreendente que muitos dos principais fabricantes confiem nos chamados Quinty Para produzir seu vinho, subsidiado ou não, eles têm nomes e histórias que vêm de todo o canal. E é precisamente naquelas partes onde continua a ser consumido em grandes quantidades, e onde está bombas Em carvalho no final do ciclo de envelhecimento do vinho, pronto a dar novos sabores aos destilados da Irlanda e da Grã-Bretanha. Para quem quer saber mais, para além da degustação, existe o Museu do Douro em Peso da Régua, uma cidade talvez não muito impressionante, mas estratégica para explorar os arredores.

Sangria com sede no Porto – Foto de Alessandra Lanza

Não só o vinho: Lamego, a sul do rio, é uma das vilas mais bonitas do norte de Portugal, com o seu refúgio dedicado a Nossa Senhora dos Remédios, um destino de peregrinação acessível através de uma escada cansada adornada com azulejos. Em Pinhão, vale a pena dar uma passada no talho Qualifer Quinta das Barrocas, uma profusão de charcutaria defumada para levar com um pão e uns pedaços de queijo para um lanche saboroso e muito barato, antes de embarcar no comboio que o leva até lá . Vai acompanhar, infelizmente apenas em alguns dias do ano, até o Pochinho, de passagem pelo Tua. Portanto, se você bebe muito, pode parar de dirigir por um tempo. Vale a pena visitar, de regresso ao Porto, a Casa de Mateus, em Vila Real, que ficou famosa pelos rótulos das garrafas rosa famosa É reconhecida internacionalmente por seus quase 80 anos de história. O palácio e seus jardins estão no seu melhor ao pôr do sol e as amoras serão roubadas.

READ  Esta noite na TV em 15 de junho: Eu, Eles, Lara e Euro 2020: França


Azulejo Gli sulle Scalinate del Santuario de Nossa Senhora dos Remédio – Foto di Alessandra Lanza