Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Bispos americanos contra o aborto e nenhuma empresa para Biden?

Manipulação proibida para Joe Biden e políticos americanos que apoiam o aborto? Os bispos católicos dos Estados Unidos votaram para estabelecer diretrizes sobre a comunhão, um movimento polêmico que pode levar a restrições aos políticos católicos que, como o presidente Biden, defendem a interrupção da gravidez. A medida foi aprovada por 168 votos a 55 contra e seis se abstiveram após mais de três horas e meia de acalorado debate na Conferência dos Bispos da Primavera, que foi realizada online.


A questão da comunhão de políticos católicos que não se opõem ao aborto há muito divide o episcopal americano, mas ficou mais quente desde que Biden, um católico praticante que vai à missa e se comunica todos os domingos, foi eleito presidente. Em maio passado, o Vaticano alertou os bispos dos Estados Unidos que definir procedimentos especiais para políticos católicos pode causar divisões e só deve ser seguido se levar a uma maior unidade. Em apoio à sua pregação, o Vaticano também citou um documento de 2002 assinado pelo Papa João Paulo II e prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, futuro Papa Bento XVI.

“Nossa credibilidade está em jogo”, disse ele. “Os olhos do país estão sobre nós. Se não agirmos com coragem, clareza e firmeza sobre esse valor católico central, como podemos esperar levar outras coisas a sério?” Falando em aborto, o arcebispo de São Francisco, Salvatore Cordelion, é favorável à aprovação do documento.

O arcebispo de San Diego, Robert McIlroy, que alertou para o perigo de politizar a Eucaristia, foi claramente contra. Ele ressaltou que “a Eucaristia corre o risco de se tornar um instrumento em um feroz confronto partidário … uma vez que legitimamos a exclusão em uma base política … teremos convidado a hostilidade política para o coração da celebração da Eucaristia”.

READ  Afeganistão: ataque de drones dos EUA, membro do ISIS morto - Ásia

O cardeal Wilton Gregory disse que os padres em sua diocese em Washington, D.C. nunca negariam a conexão de Biden e os exortou a ficarem vigilantes. “A escolha que temos é percorrer o caminho da unidade ou caminhar para um documento que não conduza à unidade, mas sim a prejudicará”, disse.

Biden

O presidente dos EUA, o católico Joe Biden, disse a repórteres em resposta a uma pergunta sobre o debate dos bispos norte-americanos sobre a possibilidade de proibir a comunhão para políticos que não gostam dele, que se opõem ao aborto, relata The Hill. Biden é um católico devoto e vai à missa e se comunica todos os domingos.