Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Ucrânia Rússia, últimas notícias de hoje, 24 de dezembro, sobre a guerra de Putin.  Ele vive

Ucrânia Rússia, últimas notícias de hoje, 24 de dezembro, sobre a guerra de Putin. Ele vive

A Comissão Eleitoral Central da Rússia rejeitou a candidatura da candidata pacífica Ekaterina Dontsova, citando “erros nos documentos” apresentados pela antiga jornalista e vereadora que lidera uma campanha que luta pela democracia e pelo fim da ofensiva na Ucrânia. Entretanto, segundo o New York Times, o presidente russo, Putin, tem utilizado desde setembro alguns mediadores para mostrar a sua vontade de pôr fim ao conflito.

A Comissão Eleitoral Central Russa rejeitou o pedido da candidata pacífica Ekaterina Dontsova para concorrer às eleições presidenciais marcadas para o próximo ano. A TV noticiou que o comitê apontou “erros nos documentos” apresentados por Dontsova, ex-jornalista e vereadora que lidera uma campanha de luta pela democracia e pelo fim do ataque na Ucrânia. Entretanto, de acordo com o New York Times, o presidente russo, Putin, tem utilizado alguns intermediários desde setembro para mostrar a sua vontade de pôr fim ao conflito.\n\n

Ideias:

\n\n

Para receber novidades do Sky TG24:

\n

    \n

  • Newsletter com as notícias mais lidas (clique aqui)
  • \n

  • Notificações no Facebook Messenger (clique aqui)
  • \n

  • Notícias em áudio com manchetes (clique aqui)
  • \n

“”,”postId”:”6a0e0604-625d-4b1c-b7be-9cc8804f865a”}],”postagens”:[{“timestamp”:”2023-12-24T08:12:11.066Z”,”timestampUtcIt”:”2023-12-24T09:12:11+0100″,”altBackground”:false,”title”:”Non solo Ucraina e Medio Oriente, dal Sudan al Myanmar le crisi che minacciano il 2024″,”content”:”

Le elezioni di gennaio a Taiwan rischiano di alimentare le  tensioni tra Cina e Stati Uniti mentre in America Latina il referendum  venezuelano per l’annessione della Guyana Esequiba ha già innescato la  risposta del Brasile. In Africa guerre e povertà flagellano soprattutto i  tre Paesi della \”cintura golpista\” Mali, Niger e Burkina Faso LEGGI

“,”postId”:”36362165-07fc-410b-a7cc-0a1507e39213″},{“timestamp”:”2023-12-24T06:55:00.435Z”,”timestampUtcIt”:”2023-12-24T07:55:00+0100″,”altBackground”:false,”title”:”Rottura con la tradizione russa, il Natale festeggiato domani”,”content”:”

Quest’anno gli ucraini celebreranno il Natale domani 25 dicembre e non il 7 gennaio come hanno fatto finora, così come la Chiesa ortodossa russa, segnando una rottura con la tradizione nel pieno della guerra con Mosca. La nuova data per la celebrazione cristiana, determinata secondo il calendario gregoriano, e’ stata approvata dal Parlamento ucraino a luglio e promulgata dal presidente Volodymyr Zelensky. \”Il popolo ucraino è stato a lungo soggetto all’ideologia russa in quasi tutte le sfere della vita, anche con il calendario giuliano e la celebrazione del Natale il 7 gennaio\”, si legge nella proposta di legge. Ma \”la potente rinascita della nazione ucraina continua\” e \”la continua e fruttuosa lotta per la sua identità contribuisce alla consapevolezza e al desiderio di ogni ucraino di vivere la propria vita, con le proprie tradizioni, le proprie festivita’\”, ha aggiunto. La decisione di spostare la data in cui i cristiani celebrano la nascita di Cristo fa parte di una serie di iniziative dell’Ucraina per prendere le distanze da Mosca, come la ridenominazione di strade e città che rimandano all’epoca in cui il Paese, indipendente dal 1991, faceva partem dell’Unione Sovietica. La legge illustra anche la spaccatura tra la Chiesa ucraina e quella russa, che si è allargata dopo l’invasione russa del febbraio 2022. La Chiesa ortodossa ucraina, per secoli sotto la tutela religiosa della Russia, si è dichiarata indipendente dal patriarcato di Mosca e \”autocefala\” nel 2019. Anche la Chiesa ucraina rimasta fedele a Mosca ha dichiarato la propria indipendenza nel maggio 2022, ripudiando il sostegno del Patriarca russo Cirillo all’invasione. Alcune chiese ortodosse, tra cui quelle in Russia e in Serbia, continuano a utilizzare il calendario giuliano per le loro celebrazioni religiose e non quello gregoriano, ideato alla fine del XVI secolo. Durante il regime sovietico (1917-1991), che sosteneva l’ateismo, le celebrazioni del Natale sono state fuse con quelle del Capodanno, che è ancora la festa principale per molte famiglie ucraine. Durante la cena di Natale, gli ucraini sono soliti servire dodici piatti senza carne, tra cui la \”kutia’\”, a base di chicchi di grano, miele, uva sultanina, noci tritate e semi di papavero. 

“,”postId”:”cfb67d5c-2048-4bba-b0f3-f1d414befad8″},{“timestamp”:”2023-12-24T06:45:56.407Z”,”timestampUtcIt”:”2023-12-24T07:45:56+0100″,”altBackground”:false,”title”:”Zelensky, ‘saper abbattere caccia è chiave per vincere guerra'”,”content”:”

La capacità dell’Ucraina di abbattere i caccia russi è una delle chiavi per terminare la guerra e per farlo in modo giusto. Lo ha dichiarato il presidente ucraino Volodymyr Zelensky durante il suo discorso serale, diffuso anche su Telegram. \”Questa settimana ha dimostrato ancora una volta l’efficacia del rafforzamento della nostra difesa aerea. Non solo per proteggere città e villaggi dai droni e dai missili russi, ma anche per le operazioni in prima linea. La capacità di abbattere i caccia da combattimento russi è una delle chiavi per porre fine a questa guerra in modo giusto\” ha dichiarato Zelensky. L’Ucraina, ha riportato il presidente ucraino, ha deciso di imporre nuove sanzioni: \”Ho firmato i relativi decreti, che sono già stati pubblicati. In totale, sono state prese di mira più di 130 entità legali e più di 20 individui. Chi lavora per l’aggressione russa, chi la assiste, chi intraprende l’ignobile strada della collaborazione con lo Stato terrorista. Tutti loro saranno chiamati a rispondere delle loro azioni\” ha concluso Zelensky.

“,”postId”:”994d9229-ab49-4935-b1d3-7168e053e76d”}]}” query='{“live”:true,”configurationName”: “LIVEBLOG_CONTAINER_WIDGET”, “liveblogId”: “99491e74-4c86-465a-ad18-87f389155aee”, “tenant”: “tg24”, “page”: 1, “Limite”:20}' >

A Comissão Eleitoral Central Russa rejeitou o pedido da candidata pacífica Ekaterina Dontsova para concorrer às eleições presidenciais marcadas para o próximo ano. A TV noticiou que o comitê apontou “erros nos documentos” apresentados por Dontsova, ex-jornalista e vereadora que lidera uma campanha de luta pela democracia e pelo fim do ataque na Ucrânia. Entretanto, segundo o New York Times, o presidente russo, Putin, tem utilizado desde setembro alguns mediadores para mostrar a sua vontade de pôr fim ao conflito.

Ideias:

Para receber novidades do Sky TG24:

  • Newsletter com as notícias mais lidas (clique aqui)
  • Notificações no Facebook Messenger (clique aqui)
  • Notícias em áudio com manchetes (clique aqui)

Ele vive

Não são apenas a Ucrânia e o Médio Oriente, do Sudão a Mianmar, que ameaçam 2024

As eleições de Janeiro em Taiwan correm o risco de inflamar as tensões entre a China e os Estados Unidos, enquanto na América Latina o referendo venezuelano para anexar a Guiana Esquipa já provocou uma reacção brasileira. Em África, a guerra e a pobreza afectam particularmente os três países do “cinturão golpista”: Mali, Níger e Burkina Faso.

Rompendo com a tradição russa, o Natal será comemorado amanhã

Este ano, os ucranianos celebrarão o Natal amanhã, 25 de dezembro, e não no dia 7 de janeiro, como têm feito até agora, e o mesmo acontecerá com a Igreja Ortodoxa Russa, marcando uma ruptura com a tradição no meio da guerra com Moscovo. A nova data para a celebração cristã, fixada de acordo com o calendário gregoriano, foi aprovada pelo parlamento ucraniano em julho e emitida pelo presidente Volodymyr Zelensky. A lei proposta afirma que “o povo ucraniano está há muito sujeito à ideologia russa em quase todas as áreas da vida, incluindo o calendário juliano e a celebração do Natal em 7 de janeiro”. Acrescentou que “o poderoso renascimento da nação ucraniana continua” e “a luta contínua e frutífera pela sua identidade contribui para a consciência e o desejo de cada ucraniano de viver a sua própria vida, com as suas próprias tradições, com as suas próprias férias”. A decisão de adiar a data em que os cristãos celebram o nascimento de Cristo faz parte de uma série de iniciativas tomadas pela Ucrânia para se distanciar de Moscovo, como renomear ruas e cidades que remontam à época em que o país era independente, desde 1991, e fazia parte da União Soviética. A lei também descreve o fosso entre as igrejas ucraniana e russa, que se alargou desde a invasão russa em Fevereiro de 2022. A Igreja Ortodoxa Ucraniana, que durante séculos esteve sob a tutela religiosa da Rússia, declarou-se independente do Patriarcado de Moscovo e “Autônomo.” “Em 2019. A Igreja Ucraniana, que permaneceu leal a Moscovo, também declarou a sua independência em Maio de 2022, rejeitando o apoio do Patriarca Russo Cirilo à invasão. Algumas igrejas Ortodoxas, incluindo as da Rússia e da Sérvia, continuam a usar o calendário juliano para suas observâncias religiosas e não o calendário gregoriano que foi criado no final do século 16. Durante o regime soviético (1917-1991), que apoiou o ateísmo, as celebrações do Natal foram combinadas com as celebrações do Ano Novo, que continua a ser o feriado principal para muitas famílias ucranianas. Durante a ceia de Natal, é servido. Os ucranianos costumam preparar doze pratos sem carne, incluindo o “kutya”, feito com grãos de trigo, mel, groselha, nozes picadas e sementes de papoula.

Zelensky: Saber abater caças é a chave para vencer uma guerra

A capacidade da Ucrânia de abater caças russos é uma das chaves para acabar com a guerra e fazê-la bem. O anúncio foi feito pelo presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, durante seu discurso noturno, que também foi transmitido pelo aplicativo Telegram. “Esta semana demonstrou mais uma vez a eficácia do fortalecimento da nossa defesa aérea. Não apenas para proteger cidades e vilas de drones e mísseis russos, mas também para operações nas linhas de frente. A capacidade de abater caças russos é uma das chaves .” “Para acabar com esta guerra de uma forma justa”, disse Zelensky. O presidente ucraniano informou que a Ucrânia decidiu impor novas sanções: “Assinou os decretos relevantes, que já foram publicados. No total, mais de 130 pessoas jurídicas e mais de 20 pessoas físicas foram visadas. Aqueles que trabalham nos interesses da agressão russa, aqueles que “Ajudem-na, aqueles que seguem o vil caminho de colaborar com o Estado terrorista. Todos eles serão responsabilizados por suas ações.”

READ  "Eles caem em casa." E nas garras da luz .. - Libero Quotidiano