Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Texas, todos os reféns da sinagoga foram libertados


“Todos os reféns estão vivos e seguros”, escreveu o governador do Texas, Greg Abbott, no Twitter.

Mais de 200 agentes em ação

Após mais de 10 horas, a crise na sinagoga foi resolvida graças à Operação Maxi com mais de 200 clientes implantados. A polícia liberou os reféns e matou o sequestrador. Para o homem, os detalhes ainda são poucos, além do forte sotaque britânico. Ele entrou na sinagoga enquanto a cerimônia de sábado estava sendo transmitida ao vivo no Facebook: para os participantes, quatro ao todo, incluindo o rabino, ele se descreveu armado com granadas em sua mochila. Ele gritou e pronunciou frases anti-semitas, mas ao mesmo tempo repetidamente deixou claro que não é um criminoso.

Desde o início, ele exigiu a libertação de Afia Siddiqui, também conhecida como Sra. Al-Qaeda, uma neurocientista paquistanesa que está cumprindo 86 anos de prisão por tentar matar soldados americanos e agentes do FBI. O sequestrador disse que era irmão da mulher e foi inicialmente identificado por alguns meios de comunicação dos EUA, incluindo a ABC, como Muhammad Siddiqi. Mas o advogado de Muhammad e a família do meu amigo negaram veementemente esse gesto maluco.

As negociações duraram horas

A polícia, a SWAT e o FBI vigiaram a área por horas e mantiveram contato com o sequestrador que, enquanto isso, pediu a um dos reféns que contatasse o rabino de Nova York para pedir que suas conexões fossem exploradas e defender sua libertação. Minha amiga. As negociações entre o homem e os negociadores continuaram por horas, e então o primeiro refém foi libertado.

Por volta das 21h30, hora local, após uma explosão e tiroteio na sinagoga. Em uma breve entrevista coletiva após a libertação dos reféns, as autoridades disseram que a polícia e o FBI não forneceram muitos detalhes: o sequestrador foi identificado, mas “ainda não estamos prontos para compartilhar suas informações”.

READ  PIB, Bonomi: "Dados levantam medo de recessão, precisamos de reformas"

Biden: ‘Os Estados Unidos se oporão ao antissemitismo e ao extremismo’ O presidente Joe Biden agradeceu a aplicação da lei ao garantir aos americanos e àqueles que querem espalhar o ódio que os Estados Unidos se oporiam ao “antissemitismo e ao extremismo”.