Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Singapura, Canadá e Portugal põem fim ao investimento estrangeiro

Singapura, Canadá e Portugal põem fim ao investimento estrangeiro

Roma, 29 de abril de 2023 – Muitos capital estrangeiro, o boom dos preços da habitação e a ameaça de revolta popular: são estas as componentes do contexto imobiliário que existe em três mercados diferentes, em três continentes diferentes, todos unidos pelo mesmo “problema”: o excesso de investimento estrangeiro, sobretudo chinês. Vamos falar sobre Singapura, Canadá e Portugal: Três fatos que incentivaram nos últimos cinco anos, por diversos meios, a atrair capital estrangeiro para sua carteira imobiliária, com resultados que, porém, no longo prazo, obrigaram os governos a recuar, e introduziram políticas cada vez mais restritivas para a compra de imóveis imóveis por estrangeiros.

Cingapura: impostos de compra para estrangeiros são dobrados

O mais recente em ordem cronológica para restringir o acesso às propriedades é Cingapura. A pequena, mas riquíssima cidade-estado aprovou ontem uma lei que duplica o imposto de selo predial sobre investimentos imobiliários feitos por estrangeiros, até 60% do valor cadastral. O objetivo é dizer Desmond Lee, Ministro do DesenvolvimentoNum mercado onde a renda média de um apartamento T1, no centro da cidade, já ultrapassa os 2.500€, bem acima da média londrina. Ainda é, nas palavras do ministro, uma medida “preventiva” para desestimular a demanda por investimentos, principalmente estrangeiros, porque os cingapurianos não sofrerão os mesmos aumentos. 44% do capital investido no mercado imobiliário de Singapura é de origem estrangeira, principalmente da China.

Canadá proíbe a compra de imóveis por estrangeiros

rei capitais chinesas Eles foram um aumento de preço no Canadá, onde a proibição da compra de imóveis residenciais para estrangeiros está em vigor desde janeiro deste ano, com algumas exceções limitadas. Os dados mostram que o preço médio de uma casa unifamiliar na área Vancouver, somente durante o boom de 2016-2017 aumentou em um ano, tanto quanto em 1981-2005. De 2019 até o presente, as tarifas dobraram na área metropolitana, forçando muitos canadenses a procurar soluções alternativas. A urbanização e a oferta limitada de imóveis não ajudaram a controlar os preços. Hoje, cerca de um terço das propriedades de Vancouver é propriedade da China.

READ  Com este erro o papel é engolido

Portugal e o cancelamento do visto gold

Portugal está a tomar uma atitude diferente: não proibir as compras, mas eliminar a oportunidade de adquirir Visto GoodenO sistema estadual permitia que estrangeiros obtivessem residência através da compra de imóveis. Uma oportunidade explorada sobretudo por compradores interessados ​​em obter um visto para a Europa sem impedimentos devido à sua nacionalidade (uma dinâmica muito comum para russos e chineses, mas também para cidadãos de outros países). Acredita-se que esta lei tenha contribuído, juntamente com outros fatores, como a recuperação econômica pós-Covid, e Explosão de Trabalho Inteligente, para aumentar os preços dos imóveis e dos arrendamentos, em locais como a Madeira, que viu os preços médios subirem mais de 17% ou Lisboa onde os preços dos imóveis subiram 10,1% em termos homólogos. De facto, a maior parte do investimento estrangeiro em Portugal provém de França, Espanha e Reino Unido, mas esta medida pode ter sido considerada cautelar.

influências na Itália

As restrições impostas em vários países do mundo também podem afetar a Itália? A pergunta é legítima, mas a resposta não é simples. A Itália não oferece a opção imobiliária no sistema Golden Visa. Quem quiser solicitar essa permissão precisa doar ou investir em negócios inovadores ou startups. Portanto, a Itália dificilmente pode se colocar em posição de competir com aqueles que oferecem essa oportunidade hoje (por exemplo, Grécia ou Turquia, que também oferece cidadania). No entanto, ao mesmo tempo, não há restrições à compra de imóveis por estrangeiros. Os estrangeiros que acreditam no mercado italiano poderão investir sem limites.