Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

PAT * Roma – Pontifícia Universidade de Santa Croce: Fugatti, «Se a família aumentava, aumentava também o bem-estar – a coesão social – a economia»

PAT * Roma – Pontifícia Universidade de Santa Croce: Fugatti, «Se a família aumentava, aumentava também o bem-estar – a coesão social – a economia»

18.15 – Quarta-feira, 29 de março de 2023

Hoje na Pontifícia Universidade da Santa Cruz em Roma. Do Trentino a Roma: a família no centro de 150 comunas italianas.
“Se a família cresce, cresce o território, o bem-estar, a coesão social e a economia – declarou o Presidente da Província Autônoma de Trento, Maurizio Foggati, na abertura da conferência realizada na Pontifícia Universidade de Roma -. um dos princípios fundamentais que acompanham as políticas de bem-estar familiar desde o início, nasceu no Trentino em 2011 e se espalhou por todo o país em poucos anos, graças à criação em 2017 da Rede Nacional de Amigos da Família nos Municípios. data, um total de 125 administrações municipais aderiram na Itália e podemos dizer que mais de 4 milhões de pessoas em nosso país vivem em municípios credenciados ou membros da rede. Anos depois, um fato emergiu fortemente – continuou – que os municípios italianos com os certificados “família” estão ganhando maior atratividade econômica e turística, em relação aos demais, pois têm adquirido participações internas, iniciativas e projetos voltados para o crescimento e bem-estar da sociedade. Pontos O ponto forte dessa rede é: Adoção de um simples e metodologia prática Orientação para “ação”, “resultados” e “avaliação”, superando correntes ideológicas sociais e culturais O centro nevrálgico da rede é a rede de troca e comparação de experiências e boas práticas entre administrações municipais e organizações privadas que , adotou essa metodologia de trabalho no processo de adesão à rede. Uma metodologia que visa desenvolver políticas familiares baseadas no diálogo entre elementos unificadores e não divisores.

Há 17 anos, o Trentino é uma terra “amiga da família”, com políticas ativas de apoio à natalidade, bem-estar familiar e juvenil. No Trentino, mais de 90% da população vive em municípios “familiares” certificados e em 2017 a marca foi exportada para a Itália e nasceu a rede nacional de municípios amigos da família. São mais de 150 municípios italianos “família” certificados distribuídos em 11 regiões: um marco importante celebrado hoje em Roma em uma conferência repleta de testemunhos. A sessão foi moderada por Ilaria Vigorelli, professora da Pontifícia Universidade, que abriu com uma saudação da Ministra da Família, Natalidade e Igualdade de Oportunidades, Eugenia Maria Roccella: “A estratégia do Governo para apoiar a família e, portanto, a favor da natalidade face à crise demográfica, não se limita apenas ao nível organizacional. Para nós, esta é uma prioridade absoluta, como já deixámos claro nestes primeiros meses de actividade. Pretendemos assim estimular um clima cultural diferente daquele dos últimos anos, em que a família na Itália tem sido muitas vezes vítima de abusos.Queremos promover um desafio comum porque este desafio diz respeito a todos: instituições nacionais, e autoridades locais, e empresas, e parceiros sociais, e voluntariado. O nosso objectivo é construir um bem-estar próximo, num espírito inteiramente subsidiário, que não se limite a aspectos económicos mas ajude as famílias em termos de serviços. Neste sentido, é necessário sistematizar as muitas boas práticas que existem no nosso território e que em relação A região do Trentino se orgulha de exemplos de excelência. Por isso, iniciativas como a da Rede Amigos da Família de Municípios ajudam muito na aposta de que devemos vencer juntos.”

READ  O Federal Reserve aumenta as taxas de juros. O Banco Central Europeu, um escudo antiproliferação

O evento também foi saudado por Luis Navarro, Reitor da Pontifícia Universidade da Santa Cruz: “Como Universidade da Santa Cruz, estamos muito satisfeitos por acolher esta importante iniciativa de extensão que coloca a família no centro. Todos entendemos que deve ser valorizado como lugar de encontro, partilha e crescimento social. Entre outras coisas, como muitas vezes repetiu o Papa Francisco, a família também representa o melhor legado que podemos deixar às gerações futuras.

“Entre os traços distintivos da rede – começou Alfredo Caltapiano, Presidente da Associação Nacional das Famílias Numerosas – há que destacar o papel das associações familiares, que serviram de “fermento” no processo de propagação por todo o território nacional. além do princípio da subordinação horizontal, que vê as famílias como protagonistas, que não é visto como um problema, mas sim como um recurso, para o bem-estar geral da família. Porque se as famílias estão bem, nossa sociedade também está bem !

Regina Maroncelli, Presidente da Federação Europeia de Famílias Numerosas, explicou que “ser familiar” significa estar atento às necessidades dos mais fracos, a começar pelas crianças. Diz respeito a todas as áreas de interesse da administração e requer uma nova visão orgânica e holística de todos os aspectos da vida da cidade. 125 municípios italianos foram infectados com este princípio e a parcela da Europa: cidades de Portugal, Grécia, Letônia, Croácia, Hungria, Polônia, Romênia, Espanha e Itália aderiram à rede. Mas não basta para nós: agora também queremos atingir as empresas que partilham com muitos municípios as repercussões negativas da baixa natalidade, não conseguem encontrar trabalhadores e vê-los fugir em busca de melhores praias. Empresas e municípios são chamados a se unirem para dar a seus cidadãos e trabalhadores espaços, tempos e lugares que lhes permitam viver plenamente seus projetos de vida.

READ  História comovente - Blog: notas sobre globalização

Sua Excelência Lauro Tessi, Bispo da Diocese de Trento: “O elemento qualificador que caracteriza a experiência de ‘amigos em comum da família’ é a identificação de como a família nunca é um custo ou um problema, mas um recurso, possibilidades e força. Os requisitos para fazer parte dela não são principalmente de natureza econômica, mas vão para lançar a criatividade política e social na ativação de sinergias, processos e boas práticas que transformam a família em um motor de desenvolvimento e oportunidades. A rede de “Amigos de a Família na Sociedade” testemunha a força e a inovação que emana do diálogo, da comparação e da comunicação entre experiências virtuosas para todos.

Em seguida, Sua Eminência Matteo Maria Zubi, Presidente da Conferência Episcopal Italiana, falou: “A família não é um problema ou uma herança do passado, mas o pilar da sociedade, a garantia da prosperidade e do futuro: sem ela, as crises econômicas e várias epidemias teriam sido muito mais trágicas, por isso é necessário implementar políticas eficazes a favor da natalidade e de apoio à família, reconstruindo aquela confiança no futuro que parece ter diminuído ao longo dos anos”.

Luciano Malfier, Diretor Geral da Agência para a Coesão Social da Província Autônoma de Trento, falou sobre os pontos fortes do processo “municípios amigos da família”: “Os municípios dedicados às políticas familiares são um modelo de excelência nacional e ultrapassam os 150 em toda a Itália, distribuídas em 11 regiões. Todas desenvolveram – E prosseguiu – Mais de 3.000 medidas concretas de apoio às famílias e à natalidade e sem custos adicionais para o orçamento das administrações municipais. O segredo? – disse o director – está em aplicar o direito método a cada realidade territorial e respondendo às necessidades específicas das comunidades. Precisamos de uma nova abordagem da família que seja um recurso, não um custo, e uma rede que permita o intercâmbio Boas práticas, como a nossa rede, aprender a repensar gradualmente o utilização de recursos de forma familiar Uma estratégia de sucesso que beneficia os cidadãos e gestores locais, o bem-estar familiar, a coesão comunitária, o sentido de responsabilidade colectiva, a confiança nas instituições e a atractividade turística e económica dos municípios.

READ  Bolsa de Valores Italiana, suspensão da sessão de 28 de fevereiro de 2024

O valor social e econômico da Operação Amigo da Família foi o foco da palestra de Vera e Stefano Zamani, professores da Universidade Johns Hopkins. “O objetivo da nossa intervenção é duplo. Por um lado, provar que o projeto Comuna Amigos da Família constitui um exemplo bem-sucedido de dependência circular, ou seja, do modelo de ordem social para o qual todo o nosso país deve caminhar, se quer mesmo dar passos decisivos para uma dimensão de deliberação. Por outro lado, o projeto em questão faz jus à forma como a Itália tratou até agora a família, como instituição fundamental do nosso sistema constitucional. A nossa intervenção centra-se – e prosseguiu – em duas áreas específicas de política desejável: a dos cuidados familiares e o alinhamento dos horários de trabalho e dos tempos da vida familiar. É preciso demonstrar que o afastamento da lógica da filantropia assistencialista e o ressurgimento do novo taylorismo também beneficiam o mundo dos negócios, desde que liderados por gestores capazes de inovar.