Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Pânico entre os democratas e reunião de emergência sobre Biden – notícias

Pânico entre os democratas e reunião de emergência sobre Biden – notícias

“Estamos condenados.” Cresce o pânico em relação à candidatura de Joe Biden ao Partido DemocrataO medo que prevalece é que a situação possa evoluir para um caos sem precedentes com a reabertura do Congresso. Para tentar unificar as fileiras e decidir que estratégia seguir, o líder democrata da Câmara, Hakeem Jeffries, convocou uma reunião de emergência dos líderes partidários, muitos dos quais esperam que o presidente decida se aposentar na próxima sexta-feira.

Embora apenas cinco deputados tenham apelado publicamente à retirada do presidente da corrida à Casa Branca, o perigo é que o número aumente com o passar dos dias. O New York Times noticiou que conversou com cerca de cinquenta membros do Congresso pedindo a renúncia de Biden, enquanto o Washington Post, citando um conselheiro de alguns grandes financiadores, informou que “para cada 10 pessoas que o querem fora, há uma quem quer que ele fique.

“Nossa missão é retomar a Casa Branca”, disse um democrata convidado a participar da reunião virtual. “Na verdade, precisamos ter uma discussão familiar”. Outro admitiu, dizendo: “Acabamos com Biden”, referindo-se à preocupação em perder não só a Casa Branca, mas também o Congresso. No Senado, que Biden chama de lar pelos anos que lá passou, o chefe do poderoso Comitê de Inteligência, Mark Warner, tenta reunir um grupo de senadores para pedir ao líder que se aposente. “Não sei de nada”, disse o senador Chris Murphy à CNN sobre o assunto. Ele acrescentou: “O presidente deve fazer mais. Esta semana será a semana decisiva”. O congressista da Califórnia, Adam Schiff, também pareceu cauteloso quanto às chances de Biden, convencido de que a vice-presidente Kamala Harris pode vencer Trump com uma vitória esmagadora.

READ  Os caças italianos Eurofighter interceptam aviões russos que sobrevoam o Mar Báltico, num duplo confronto das provocações de Moscovo contra a NATO.

Ele acrescentou: “De qualquer forma, estamos votando em Harris, mesmo que Biden continue na disputa, porque está claro que ela não poderá governar por mais quatro anos. chance de estabelecer sua posição?” “em si?” perguntou o ex-conselheiro de Obama e comentarista da CNN, Van Jones. Em vez disso, o senador Bernie Sanders defendeu o presidente, aconselhando-o a mudar de estratégia e a concentrar-se nas políticas, não na idade.

Para a republicana Lindsey Graham, um dos principais aliados de Trump, Biden acabará por ser substituído. Muita atenção tem sido dada aos próximos passos da ex-presidente da Câmara, Nancy Pelosi, a única com posição política para ter uma discussão franca com o presidente sobre a sua possível saída. Muitos também recorrem a Jill Biden, a primeira-dama e conselheira sênior do presidente, para as escolhas mais importantes. Enquanto a Rússia observa de longe os acontecimentos, ridiculariza e fala, através do Ministro dos Negócios Estrangeiros Lavrov, de uma “cena infeliz”.

Enquanto o partido discute seu futuro, Biden está na Pensilvânia, um dos estados-chave antes de novembro. Biden venceu em 2020, mas atualmente as pesquisas mostram que ele está 4,5 pontos percentuais atrás de Trump. Na Filadélfia, ele parou em uma igreja afro-americana: o presidente citou versículos bíblicos, brincou sobre sua idade – “Parece que tenho 40 anos” – e nos incentivou a “permanecer unidos”. A recepção que recebeu foi calorosa, com os presentes gritando para ele: “Mais quatro anos”. A próxima paragem foi Harrisburg, depois regresso a Washington, onde Biden aguarda uma semana crucial entre a cimeira da NATO e a pressão para a retirada: o tempo está a esgotar-se para uma retirada.

Para saber mais ANSA Biden diz diretamente: “Não me renderei a menos que Deus me diga” – Notícias – Ansa.it Democratas estão furiosos e outro representante pede retirada (ANSA)

A entrevista do Presidente dos EUA à ABC não teve o efeito desejado em tranquilizar os democratas, muitos dos quais acreditam que Biden deveria sair.

READ  Três histórias de voos sequestrados e prisões subsequentes

Ex-marido de Jill Biden: ‘Ele deveria fazer um teste cognitivo’

Bill Stevenson, ex-marido de Jill Biden, disse estar “preocupado”: ​​Joe Biden deveria passar por um “teste cognitivo” porque parece estar “tendo problemas”. Numa entrevista ao New York Post, Stevenson – que foi casado com a primeira-dama de 1970 a 1975 – disse esperar que Biden “permaneça na corrida e seja derrotado por Donald Trump. “Minha vida estava melhor, a economia estava melhor, tudo estava melhor com Trump.”

Trump está se aproximando de seu companheiro de chapa, com J.D. Vance e Marco Rubio em primeiro lugar

Donald Trump está a pressionar para escolher o seu companheiro de chapa e pretende anunciá-lo talvez dentro de alguns dias, e certamente até 15 de julho, quando for aberta a convenção do Partido Republicano.

As atenções estão voltadas para dois nomes: por um lado, o senador J.D. Vance, por Ohio, e, por outro, Marco Rubio, mesmo que – como relata o Washington Post – o governador da Dakota do Norte, Doug Burgum, não tenha saído definitivamente da disputa.

Ao escolher o seu segundo em comando, Trump está, em parte, a determinar a nova liderança do Partido Republicano, liderança que irá recolher o seu legado e levá-lo adiante. Na verdade, o representante provavelmente liderará a chapa presidencial em 2028. Por esta razão, a idade é um dos requisitos básicos na seleção: Trump precisa de um “jovem” que o apoie e depois voe nas próximas eleições. Rubio e J.D. Vance, de 53 e 39 anos, têm esse importante requisito. Assim como outros nomes que estão circulando para vice-presidente, incluindo a congressista republicana Elise Stefanik, de 40 anos, e o senador Tim Scott, de 58 anos.

Apesar de ter superado a sua antipatia pelo “Pequeno Marco”, como Rubio o chamou durante a campanha de 2016, Trump ainda parece estar inclinado para Vance. O senador por Ohio, segundo noticiado pela mídia americana, ficará em primeiro lugar. Autor do livro best-seller “Hillibilly Eleby”, Vance está ao seu lado por causa de sua juventude, por ser um defensor da classe trabalhadora – os eleitores que formam a base do movimento MAGA – e por suas posições de política externa que o tornam contra a “guerra eterna”, guerras sem fim à vista como o Afeganistão.

Reprodução © Direitos Autorais ANSA