Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Os Estados Unidos, o primeiro caso da Suprema Corte que pode minar o direito ao aborto

A primeira polêmica sobre a interrupção da gravidez que poderia levantar questões sobre o direito ao aborto nos Estados Unidos, que foi confirmada em 1973 com a sentença histórica “Roe v. Wade”, chega ao Supremo Tribunal dos Estados Unidos. O mais alto órgão judicial dos Estados Unidos, pela primeira vez desde que ostentou uma esmagadora maioria de juízes conservadores (6 a 3), terá que avaliar a constitucionalidade da lei do Mississippi que proíbe quase todos os abortos após a 15ª semana.

Um recente apelo ao Supremo Tribunal em favor de uma lei semelhante na Louisiana foi rejeitado por Talli (5 a 4), graças a um voto contra o Chefe de Justiça John Roberts, que se juntou aos Liberais liderados por Ruth Bader Ginsburg, que desapareceu no dia 18 de setembro passado ano e foi substituído pela linha dura católica conservadora, Amy Connie Barrett, indicada por Donald Trump.

O direito ao aborto no caso “Roe v. Wade” de 1973 foi reafirmado depois de 19 anos pela decisão da Suprema Corte no sudeste da Pensilvânia contra Casey. De acordo com o Instituto Guttmacher, os abortos diminuíram gradualmente desde a década de 1980 nos Estados Unidos, atingindo um nível recorde recentemente.

READ  "Você é o fogo dos incineradores da Covid, nós somos um foguete no espaço" - Corriere.it