Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

O Reading Garden pretende ser reconhecido pela UNESCO

O Reading Garden pretende ser reconhecido pela UNESCO

postado por Daniela Schnal honra

O modelo e as suas boas práticas estão prontos para viajar para Portugal e Ucrânia

Morgex: Reading Garden visa reconhecimento da UNESCO.

O modelo e as boas práticas do Morgex Reading Park estão prontos para viajar para a Europa.

interesse

“Encontramos um grande interesse nacional no modelo Reading Garden, e também trabalhamos para proteger a ideia apresentando a marca – explica Julia Radin– Diretor da Fundação Natalino Sapegno, criativo com o município de Morgex del Parco. No entanto, temos o desejo de exportar nossa expertise para que se torne modelo em políticas de combate à pobreza educacional, e continuar enriquecendo o parque com novas ofertas culturais.

Para isso, a Fundação Natalino Sapegno, juntamente com a Fundação Santagata para a Economia e Cultura e as Cidades Criativas da Literatura da UNESCO, Lviv (Leopoli) na Ucrânia, e Ubidos em Portugal, apresentaram o projeto Reeplai. Os leitores da Europa brincam, aprendem e interagem.

Este projeto faz parte da iniciativa Europa Criativa – uma parceria colaborativa de pequena escala.

“A colaboração com a Fundação Santagata nos permitiu conectar com essas duas cidades mais remotas da Europa – explica Radin – e chamar a atenção para seu jardim de leitura único.”

O projeto

O projeto prevê a organização de seminários para quem vai movimentar jardins nos três países sobre autores italianos, portugueses e ucranianos. O objetivo do Morgex é propor outros livros, extraídos da cultura portuguesa e ucraniana, para iniciar intercâmbios e encontros envolvendo residentes e escolas, bem como organizar um encontro com a comunidade ucraniana no Valle d’Aosta.

“Exportaremos o modelo Reading Garden para um público diferente”, continua Radin. O princípio fundamental é jogar com as palavras, cada um o faz com os meios à sua disposição. Não há parques como os nossos, mas serão criados contextos inclusivos de acordo com as nossas diretrizes. Alguns dos jogos e alguns dos recursos são repetíveis e temos muito conteúdo a oferecer.”

READ  Alojamento para famílias que queiram viver a “vida selvagem” (galeria de fotos) — Idealista/notícias

Segundo Julia Radin, é difícil aceitar um projeto de primeira, mas é importante estabelecer relações com dois fatos importantes para se trabalhar.

(Érica Davi)