Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

“Não recebíamos e trabalhávamos ilegalmente.”

“Não recebíamos e trabalhávamos ilegalmente.”

Ele não teria ocupado ilegalmente o imóvel desapropriado que durante anos foi transformado em academia, mas não teria pago os salários de alguns funcionários que também trabalharam ilegalmente por curtos períodos. Esta é a última notícia que surge de uma reportagem do Striscia la Notizia, programa de notícias satíricas da Mediaset, sobre o caso da empresária “legalista” Valeria Grasso, que, após o confisco do seu negócio há duas semanas, também foi denunciada pelo município. por ocupar um edifício público. O caso surgiu após investigação do PalermoToday. Mais problemas recaem sobre Valeria Grasso que, além da ordem de despejo da Agência de Bens Confiscados, recebeu um pedido de pagamento de 212 mil euros de indemnização pela ocupação ilegal.

“Trabalhei alguns meses para Valeria Grasso, mas saí quase imediatamente – diz uma mulher a Stefania Petix – porque não recebia salário. Durante um tempo também tive que trabalhar ilegalmente. As pessoas vinham constantemente à academia para exigir indenizações que eles não receberam, mas ela os chamou de loucos. Outro trabalhador repetiu: “Não recebi minha última parcela nem minhas comissões. Fui demitido e não recebo mais nada”. “Trabalhamos em condições desumanas”, conclui um ex-colaborador. A lista de pessoas que se somam à já grande lista de credores inclui ainda a ex-eurodeputada Sonia Alfano e o seu irmão Chico, que lhe ia emprestar 20 mil euros para cobrir as suas dívidas.

A reportagem de Stricia também reconstrói a história de uma mulher que foi vítima de violência, agredida por um homem que tentou matá-la e se viu com a empresária no palco de uma iniciativa. Durante a manifestação, a mulher disse que estava desempregada e Valéria Grasso sugeriu que lhe oferecesse um emprego em sua academia. “Ela nos disse – continua Petix – que sentirá que a está usando para causar uma boa impressão. Este trabalho durará pouco tempo e ele terá dificuldade em receber o pagamento devido. Outros ex-colaboradores recorreram a advogados para se recuperarem. salários não pagos pelo trabalho realizado dentro da propriedade confiscada.

READ  Por que o céu fica amarelo? A resposta está entre conhecimento e crença

Outra questão diz respeito aos pagamentos aos sócios do ginásio, gerido oficialmente por uma empresa, que, no momento do pagamento da mensalidade, recebem um recibo não financeiro, sem imposto de selo e sem número de série, pago em dinheiro com carimbo. Leva o código tributário e o nome da Associação “Legitimidade e Liberdade”, chefiada por Valéria Grasso.