Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

“Museus ucranianos saqueados pelos russos O colossal tesouro dos antigos citas desapareceu de Melitopol”

KIEV – ouro da Scythia, exceto telefones celulares e TVs de marca. Os ucranianos vêm dizendo há semanas que “os russos estão roubando nossas casas com as duas mãos”, mas algo mais sério parece estar acontecendo do que os saques sistemáticos de porta em porta: uma série de tiros direcionados a museus e igrejas para roubar tesouros… e as raízes culturais dessas terras.

Uma das peças da coleção

A última reclamação vem de prefeito deposto de Melitopol, Ivan Fedorov, no sul ocupado por invasores. Fedorov, que foi sequestrado e libertado em 11 de março após vários dias em cativeiro, disse na televisão ucraniana que “os ogros – como os ucranianos chamam os invasores russos – levaram nosso ouro de junça. É um dos mais populares e preciosos da Ucrânia, e hoje não sabemos para onde o levaram, se foi escondido ou roubado. Não sabemos qual é o seu destino, mas este tesouro foi roubado da nossa sociedade e espero que possamos recuperá-lo.

Fedorov, que está seguro no território sob controle ucraniano, não falou apenas com base nos testemunhos que recebeu. Já circulou na mídia pró-Rússia um vídeo em que uma equipe especial de passageiros encontrou uma tigela de munição, que não estava bem escondida em um cofre, com o antigo grupo de ouro dos citas, nômades das estepes que entre o século VIII AC até o final do terceiro Cristo viveu sobre uma vasta área entre o norte do Mar Negro e a China.

para mim O jornal New York TimesCitando a diretora do Museu de História Local de Melitopol, Leyla Ibrahimova, o museu exibe 50.000 artefatos históricos que variam de antigos machados de batalha a medalhas da era soviética, mas a coleção mais importante era de antigos ornamentos de ouro dos citas. Para procurar esse tesouro, um grupo de soldados russos poderia ter se apresentado ao museu acompanhado por um misterioso especialista em “jaleco branco”, que, de luvas e a devida atenção, havia encontrado e adquirido as joias atemporais daquela cultura milenar.

Ibrahimova disse a todos Nate. Parte do grupo foi transferido com segurança para um porão em Kiev antes do início da invasão, mas não havia tempo para todo o resto: estava escondido em caixas de papelão em um porão. Mas os russos, sabendo da existência desse tesouro, duvidaram dos guardas e acabaram encontrando-o. Eles levaram “nada menos que 198 moedas de ouro, incluindo ornamentos em forma de flor, placas de ouro, armas antigas raras, moedas de prata e medalhas especiais”.

Já havia uma verdadeira batalha legal entre russos e ucranianos sobre o ouro cita: quando a Rússia decidiu anexar a Crimeia, algumas coleções muito valiosas de tesouros citas estavam em museus da Crimeia emprestados à Holanda. Ela implorou ao governo ucraniano para não devolvê-los aos russos e ganhou o caso: eles ainda estão na Holanda. Para os russos, aquela cultura antiga que unia a Crimeia, que hoje faz parte da Ucrânia e da Rússia, é outro símbolo do que eles desejam recriar agora, um império que é fruto de uma cultura.

Mas o ouro cravejado não é o único tesouro roubado pelos invasores na Ucrânia. Oleksandr Starukh, chefe da Administração Militar Regional de Zaporizhzhya, diz que em março as coleções mais valiosas desapareceram dos museus de Zaporizhia e de museus de outras cidades ucranianas. Funcionários do conselho da cidade de Mariupol escreveram sobre ele cabo Que os russos roubaram “mais de dois mil artefatos” dos museus da cidade martirizada, incluindo um “rolo manuscrito único da Torá” e “o Evangelho de 1811 preparado pela gráfica veneziana para os gregos em Mariupol”.

E são inúmeros os tesouros vilipendiados, como o disparo de afrescos e a profanação de locais de culto por ignorância ou indignação por parte dos invasores que professam outras religiões. Mas isso é outra história.

READ  Bombas na fronteira da UE, ataques violentos em Kiev- Corriere.it