Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Migrantes, cheques inter-europeus, facilitando o retorno aos países de primeira entrada: Último esboço de sanções da UE Itália

foco especial movimentos secundários, com procedimentos em menor escala para Retorne aos países do primeiro desembarque bem como a possibilidade de Reimplementação de controles de fronteiras internas No caso de fluxos massivos para estados membros individuais. Sugestão Comissão Europeia, que deve ter aprovação final na terça-feira, em relação às mudanças no Código Schengen. O plano da Comissão centrou-se emEmergência de migrante Especialmente nas pressões na fronteira entre Bielo-Rússia E os três países europeus vizinhos PolôniaE Lituânia e Letônia, corre o risco de criar um novo distanciamento na questão da imigração entre os 27 conselheiros. Já os estados fronteiriços, sejam os de leste ou os que margeiam o Mediterrâneo, como ItaliaE EspanhaE Malta e Grécia, perguntando há mais anos Solidariedade europeia Por parte dos outros Estados-Membros, esta proposta, que em todo o caso requer a aprovação do Parlamento Europeu e, por último, do Conselho, visto que pode ser significativamente reduzida, ameaça criar um novo conflito interno. de novo no tópico imigrantes.

Assim, os principais beneficiários da proposta serão os países de destino final, como AlemanhaE HolandaE Bélgica a França, que teria a possibilidade de rejeitar mesmo no seio da União Europeia e mais simplesmente, as tentativas de entrada para além das suas fronteiras, à custa dos primeiros países de desembarque. Estes, por sua vez, poderão tirar partido de uma série de excepções no âmbito do espaço Schengen, na sequência do que foi decidido em relação à Polónia, Lituânia e Letónia, para Suspensão de alguns procedimentos de asilo. Entre estes estão também aqueles relacionados comemergência pandêmica ou qualquer ataques terroristas.

Além disso, a comissão presidida pelo Presidente Ursula von der Leyen Também abre a possibilidade de ter controles de fronteira No espaço Schengen, mas apenas em casos excepcionais, isto é, se um Estado-Membro encontrar grandes movimentos secundários e provar que não pode implementar soluções alternativas. Além disso, para qualquer disposição desta natureza, continua a ser necessário evitar a discussão no Conselho da União Europeia Iniciativas sem ordem específica Como aconteceu durante as recentes ondas da epidemia. Para limitar o uso excessivo de reintrodução de controles, a. Deve ser usado Patrulhas Conjuntas Dos limites externos e no final Acordos bilaterais Com países terceiros para reduzir os fluxos migratórios.

READ  Príncipe Harry, outra tempestade de escolta: um custo enorme para os contribuintes

A proposta de alguma forma representa o outro lado do projeto Conserto de Schengen solicitado pelo presidente francês, Emmanuel Macron, e Com o apoio do Primeiro Ministro, Mario DraghiPor ocasião da conferência de imprensa que se seguiu à assinatura do acordo Tratado Quirinale. Entre os principais pontos destacados pelo caciqueEliseo Para relançar o projeto da UE havia precisamente um projeto “A Europa é mais soberana”, O que também se traduz em controles mais rígidos nas fronteiras externas. No entanto, também não havia o desejo de restringir à força as movimentações secundárias dentro do espaço Schengen.

A questão dos migrantes também está na agenda da cúpula da UE em 16 de dezembro e não se pode descartar que os Estados membros mais interessados ​​nesta mudança possam pressionar para incluir restrições aos movimentos secundários no texto final. O que se espera que países como Itália ou Espanha resistam, algo semelhante ao que aconteceu há cerca de dois meses, quando conseguiram frustrar a primeira tentativa. Na verdade, parece que a intenção de Roma é manter a discussão dentro de uma dimensão externa.