Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Maloney: “Sim para pressionar por proteção especial” – Política

Maloney: “Sim para pressionar por proteção especial” – Política

O objetivo declarado do governo, e reiterado por Adis Abeba, é “eliminá-lo”. Mas, por enquanto, a maioria, com acordo a ser testado no Senado na terça-feira, impõe novo endurecimento nas proteções especiais, que já passaram por um corte acentuado por meio do chamado despacho Cutro. “Uma pena”, dizem os democratas. No final da sua missão à Etiópia, o primeiro-ministro faz questão de sublinhar que “não existem divergências” nesta matéria entre os partidos que apoiam o seu governo. Pelo contrário. Há uma vontade de “caminhar juntos” e é melhor ir por aqui, porque “a pluralidade é um enriquecimento”, Guido Croceto manifestou-se recentemente sobre a hipótese de um partido que reduz os seus ouvintes. Depois do fiel Giovanbattista Fassolari. “Não sabes o que ele disse, com Fassolari”, brincou o primeiro-ministro, após dois dias de uma “excelente” visita para retomar “o papel da Itália” no Corno de África, qualificando a sua estabilização de “prioridade”. Especialmente para gerir os fluxos migratórios. Meloni diz que não há conflito “recente” com Matteo Salvini sobre a questão especial de segurança, que paralisou os trabalhos da comissão no Senado por vários dias. Mas seus parlamentares não querem que a corrida da Liga volte aos “decretos Salvini” e alguns temem mais infiltrações, o que poderia abalar o acordo. E as 21 emendas da Liga do Norte ao decreto ainda não foram retiradas.

Por outro lado, a liga quer avaliar o andamento do trabalho da comissão, já que a oposição anunciou as proibições, como diz a secretária do Partido Democrata Ellie Schlein: “É uma pena abolir a proteção especial”. Se a disputa real for, com toda probabilidade, disputada na câmara, apenas a emenda para dar efeito ao tratado deve ser reapresentada. Aperta, mas não anula a proteção especial, ainda que impeça a possibilidade de transformá-la em carteira de trabalho. O mesmo vale para autorizações de residência para desastres e tratamento médico, que são reduzidos. No entanto, ele acrescenta uma nova salvaguarda para evitar a deportação devido a casos como casamentos arranjados e “noivas infantis”. Uma escolha de “bom senso”, explica o ranking do Fdi, embora preconize a opção de limitar o uso de proteção especial, que se tornou a principal forma de obtenção de permissão ao longo do tempo (cerca de 10 mil no ano passado, cerca de 6 mil contra refugiados e o mesmo número que recebeu proteção subsidiária). Cancele O objetivo é se reunir com outros países da UE. Gradualmente, para evitar entrar em conflito com Collie, intervenções particularmente cuidadosas gerenciamento de imigração, aparentemente, segue cuidadosamente o processo de trabalho das regras do Quirinale e o leque de restrições anunciadas. No entanto, não é possível a intervenção direta do Presidente, que muito respeita a autonomia do Parlamento. Porque, já avaliou, não existem neste momento quaisquer pormenores inconstitucionais emergentes ou acordos internacionais que proíbam o governo do Mas, como observou o Quirinal, é impossível que o chefe de Estado se deixe arrastar para o terreno do conflito institucional sobre uma matéria cuja constitucionalidade é de facto duvidosa. Em suma, é claro que o Presidente quer manter-se fiel aos seus deveres institucionais de controlo e garantia, para os quais certamente conduzirá a oposição, respeitando integralmente os restantes órgãos do governo. Destes, o Parlamento, formado por eleições livres, permanece soberano.

READ  "Carabinieri decola". Movimento da Itália para mediar entre israelenses e palestinos