Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Hamilton e Leclerc, pés de gato – Fórmula 1

Eles têm muitas vidas e são oportunistas: Lewis hamilton (No pólo) e Charles Leclerc (Iv) A. Imola O lado deles são os gatos. Apesar da competição acirrada da Red Bull e da McLaren, respectivamente, o piloto da Mercedes e da Ferrari precederam seus competidores diretos no grid. E mesmo que a corrida conte outra história, entretanto eles mostraram que estão prontos para enfrentar as luvas do desafio.

Em tempos não emocionantes, com uma Ferrari que definitivamente não pode sonhar com o título, um campeão como Leclerc é um legado que deve ser protegido. Como um tom muito bom forçado a se apresentar sem público. Ele ainda tem coisas para aprender o que é normal, ele é tão jovem. Mas seu talento é cristalino. Hoje em dia, a Ferrari é a mesma. Então, é claro, ele não poderia vencer sozinho. Resta saber como o vermelho se comportará à distância, no ritmo da corrida. Existem muitas dúvidas aquiLeo Torini escreveu em Resto del Carlino.

Hamilton: “Vencer a Red Bull exige perfeição”

99 polos em 30 círculos diferentes. Lewis Hamilton cresce em tamanho a cada Grande Prêmio até agora em que a competição diminuiu. Nos testes de inverno, o Red Bull parece ser mais rápido que o Mercedes e o Max Verstappen é mais agressivo. Então, No final das contas, talento, experiência, em uma palavra, grandeza faz a diferença: Lewis permanece à frente de seu oponente, embora a diferença esteja diminuindo. No desafio entre as duas equipes, a Ferrari conseguiu encontrar um assento na segunda fila que é bom para os corações dos fãs presos na frente da televisão após mais de um ano de pandemia e decepções no ringue. Como no Bahrein, Leclerc é novamente o terapeuta qualificado. A diferença é que as expectativas na corrida desta vez são melhoresLemos na imprensa.

READ  Inacreditável Sergio Ramos, pode deixar o PSG em janeiro

Lewis venceu apesar da supremacia da Red Bull, proporcionando perfeição na presença de pressão. É o seu caráter, algo que não pode mitigar sua vitória, não há registro, e ele ainda carece de quem tem os meios, desta vez, para vencê-lo, a saber, Verstappen, novamente impreciso na ultrapassagem. […] O que permite ao herói melhorar sem ceder à realização de um sonho aparentemente desproporcional. Quando assim é, o adversário, a dificuldade e a ferida tornam-se contratempos inevitáveis ​​que devem ser superados isoladamente, sem desculpas.“Corriere della Sera”, assinado por Giorgio Terrozzi.