Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

GB, PM Boris Johnson na calçada: “O fim do mês não vai chegar”

É precisamente o risco de chantagem do primeiro-ministro que preocupa o mundo político britânico. Esta é minha lista de despesas que afetam o orçamento pessoal de Johnson Corriere della Sera, ele é alto. Há uma reforma no apartamento particular na Downing Street onde ele mora com sua namorada Carrie Symonds: 58.000 libras pagas com uma contribuição (nunca anunciada) de alguns financistas conservadores do partido. Para os móveis de design, aparentemente escolhidos por Symonds em uma clara ruptura com o estilo de Theresa May, o custo teria sido de £ 200.000 (cerca de € 250.000).

Mas o que nos preocupa acima de tudo é o capítulo relacionado à vida privada de Johnson: o divórcio extremamente salgado de sua ex-esposa Marina, os seis filhos “oficiais” que devem ser sustentados (mas há aqueles que sussurram esta lista, e aquela também contam como “informais”, muito mais tempo), é uma hipoteca de mais de um milhão e meio de euros pela casa no sul de Londres, para onde vai morar com Carrie e sua casa de campo em Oxfordshire.

Despesas dispendiosas, enfim, face a receitas que sofreram um abrandamento acentuado: o vencimento oficial do Primeiro-Ministro Aqim 157 mil por ano, que desce após impostos para 95 mil (cerca de 110 mil euros), dos quais pelo menos 10 milhares de euros devem ser deduzidos dos impostos em um apartamento de Downing Street, os custos de refeições pessoais de Pogo e custos de todos os seus hóspedes. Está longe do valor anual de meio milhão que ele estima ter sido capaz de acumular antes de ascender ao cargo de primeiro-ministro: sozinho como colunista de telégrafo, ganharia mais de 300.000 euros por ano.

READ  Edema facial e miocardite, novo aviso de vacina

Para consertar e tentar pagar as contas no final do mês, Johnson recorreu a financiadores do partido conservador (babás e personal trainers também estão na lista de despesas a serem pagas). Então ele teria pedido um empréstimo ao banco, e não foi oficialmente anunciado. É justamente por causa da transparência que surge a polêmica, com os trabalhistas torcendo pelo escândalo e pela corrupção.