Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Espanha, duas igrejas atacadas com um facão. Sacristão morreu, 4 feridos – Corriere.it

para Lorenzo Nicolau

A tragédia ocorrida em Algeciras, na província de Cádiz. O agressor, de origem marroquina, foi preso. A polícia está investigando por terrorismo

O sacristão morreu e outras quatro pessoas ficaram feridas no sul da Espanha por um ataque de facão (no início falava-se de uma katana, que é a típica espada japonesa). De acordo com reportagens de jornais El MundoO ataque teria ocorrido em igrejas San Isidro é de Algeciras e na freguesia de Nossa Senhora de La Palma por volta das 20h
na província meridional de Cádiz. Entre os feridos estava o pároco, que se encontra em estado grave, enquanto nada puderam fazer pelo sacristão, que morreu pouco depois do ataque fora do local de culto.

identificar o autor do crime, Yassin KanserA., 25 anos, descendente de marroquinos, foi parado por agentes. As autoridades e o Tribunal de Audiência Nacional (o tribunal de Madrid com jurisdição em todo o território nacional) estão a investigar o terrorismo, embora a natureza do ataque ainda não tenha sido determinada. Após os ataques às igrejas de San Isidro e Nossa Senhora de La Palma, o jovem marroquino parecia dirigir-se, segundo depoimentos de testemunhas, à Igreja da Virgem da Europa. Disse-o, citando o El País, um sacerdote de Algeciras. As três igrejas estão localizadas no centro da cidade.

primeiro ministro espanhol Pedro Sanches Ele enviou condolências aos parentes do sacristão que morreram no ataque. Em um tweet, o primeiro-ministro descreveu o ataque da seguinte forma: um episódio horrível. O primeiro-ministro concluiu todo o nosso apoio ao trabalho das forças de segurança e armamento do estado. O governador da Andaluzia repete Juanma Moreno: Condeno veementemente o crime. A intolerância não terá lugar em nossa sociedade.

READ  Ucrânia, direto. Mísseis sobre Kiev durante a visita de Guterres. Uso: forças russas deixam Mariupol

25 de janeiro de 2023 (alterado em 26 de janeiro de 2023 | 00:05)