Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Em Wimbledon, o clássico é do Sinner, mas que show com Berrettini – tênis

Em Wimbledon, o clássico é do Sinner, mas que show com Berrettini – tênis

Ao final de uma partida intensa e animada, uma batalha de nervos e não apenas de chutes, como convém a todo clássico, Jannik Sinner vence o desafio puramente italiano contra Matteo Berrettini, que joga em igualdade, mas perde em quatro sets: continua, portanto , a carreira do número um do mundo começa nas quadras do clube All England, onde o sérvio Miomir Kekmanovic o aguarda na terceira rodada.

O show italiano no terceiro dia do torneio: Diante de uma quadra central lotada, como só acontece em finais, Siner joga forte os dois primeiros sets, sofrendo e sofrendo com a recuperação do romeno na terceira parte, antes de se afirmar no final da noite, após quase quatro horas de jogar (7-6) 3), 7-6(4), 2-6, 7-6(4)). O equilíbrio prevaleceu no primeiro set, que só foi resolvido no tie-break, após Berrettini, no décimo game, anular com coragem e habilidade um set point a favor de Sinner. A rendição foi adiada por apenas alguns minutos, pois no tie-break foi o número 1 do mundo quem venceu a primeira parte.

O equilíbrio parece ter sido confirmado também no segundo grupo, até que o romeno marcou no primeiro tempo da partida e liderou por 4 a 2. A resposta de Sinner não tardou a chegar, já que mandou o jogo novamente para o tie-break, mais uma vez a favor da equipa do Tirol do Sul.

A terceira partida começa com novo contra-ataque de Berrettini, que aproveita passe errado de Sinner para quebrar novamente e prolongar a partida.

A quarta parte se transforma em um longo duelo psicológico: BErrettini salva um match point, mas o tiebreak subsequente recompensa Sinner novamenteQue parecia mais exausto do que feliz após a vitória.

Wimbledon: Os chapéus errados


Melhor resposta para Carlos Alcaraz Que há poucas horas demorou menos de duas horas para eliminar o australiano Aleksandar Vukic (76 (5) 62 62). Uma demonstração de força para legitimar as probabilidades das casas de apostas, que continuam a apontá-lo como o homem a vencer nos relvados de Church Road.

Na tarde do terceiro dia de Wimbledon A conquista de Fabio Fognini se destaca, que – aos 37 anos – ultrapassa o número 8 do mundo, Casper Ruud, pela primeira vez na carreira. Apesar do atraso de duas horas por causa da chuva, os Liguori entraram em quadra no melhor dia e venceram merecidamente os dois primeiros sets. Depois de perder o terceiro gol no tie-break, Fognini se recuperou a tempo de encerrar a partida em menos de três horas e meia (6-4, 7-5, 6-7 (1) 6-3), dando-se a terceira rodada da partida. Campeonato pela sétima vez na carreira. Ele se tornou o segundo italiano, depois de Nicola Pietrangeli, a vencer duas partidas consecutivas em Londres aos 37 anos.

Para saber mais ANSA Conquista de Fognini em Wimbledon: “Feliz, gosto desses momentos” – Tênis – Ansa.it Sonego parou após ser derrotado por Bautista Agut. Paolini derrota o italiano Menin na terceira rodada (ANSA)

“É um grande presente, são essas partidas que eu amo e odeio tanto o tênis”, comentou imediatamente Fognini. Para chegar – pela primeira vez na carreira – às oitavas de final do torneio, o italiano terá que enfrentar o espanhol Roberto Bautista Agut, vencedor em quatro sets sobre Lorenzo Sonego (63, 36, 63, 64). Na competição feminina, Yasmine Paolini continua sua jornada, vencendo dois sets e uma hora e meia de jogo sobre a belga Grete Minnen (76(5)62).

Reprodução © Direitos Autorais ANSA

READ  Milan, Tomori fez cirurgia de menisco: foto “Até breve”. Oficial: mês fora | primeira página