Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Covid na Grã-Bretanha, Inglaterra Green Pass provavelmente será cancelado em 26 de janeiro – Corriere.it

O certificado de vacinação dado antes do Natal, em 26 de janeiro, quando o governo revisa os regulamentos anti-Covid, provavelmente será revogado: a obrigação de usar máscaras deve permanecer apenas em ambientes fechados

do nosso repórter
LONDRES – EM O corredor verde do inglês: Certificado de vacinação fornecido por Londres antes do Natal Apenas para discotecas e grandes eventos, deverá ser revogado em 26 de janeiro, quando o governo revisar as disposições aplicáveis.

A referência ao trabalho a partir de casa também será superada e assim será considerada a única limitação Apenas as máscaras devem ser mantidas dentro (Aquelas ao ar livre não foram aplicadas na Grã-Bretanha, em nenhum momento da pandemia.) Mas acima de tudo, o Corredor Verde, uma medida que se revelou particularmente controversa: ontem o ministro da Saúde, Sajid Javid, pediu aos deputados que partilhem o seu “aborrecimento instintivo” perante um certificado de vacinação.

Por outro lado, quando foi introduzido no mês passado, a Passagem Verde testemunhou Até cem vice-governadores se rebelaram A medida só foi aprovada graças ao apoio do Partido Trabalhista (até os Liberais Democratas votaram contra). Até Lord Frost, o ministro do Brexit, quando renunciou em dezembro, citou o Corredor Verde como um dos principais motivos de sua ruptura.

Em um país onde não há carteiras de identidade, é uma violação da liberdade individual, e onde eles não pedem que você se identifique mesmo quando você vai votar na mesa de voto, a ideia de obter um certificado para acessar diariamente atividades sempre apareceu em todos os alienígenas: assim, não é coincidência ter Apresse-se para se livrar dele. Além disso, Boris Johnson é tão fraco politicamente que não teria forças para forçar uma extensão da medida sem correr o risco de ser expulso de Downing Street.

READ  Lukashenko ameaça interromper transferência de gás para a União Européia - Ultima Ora

semana passada também espectador, o semanário conservador do qual Johnson era editor, dedicou a capa ao Corredor Verde com a eloquente manchete “Rip it up!” (rasgue!). lá recuo do governo Isso se justifica pelos dados positivos que chegaram na frente da pandemia: Javid disse que há “sinais encorajadores” de que as infecções estão diminuindo e que o sistema de saúde está sofrendo o impacto da variável Omicron. Durante esta vaga – explicou o ministro – não se assistiu a um aumento do número de doentes nos cuidados intensivos e há indícios de que o ritmo de internamento começou a abrandar.

Ontem, os novos casos caíram para menos de 120 mil e o número de pacientes internados caiu para 16,7 mil. vezes, no que diz respeito ao corredor verde, sempre existiu um limiar muito elevado para a sua entrada e é cada vez mais provável que dentro de duas semanas esse limiar não seja atingido. Dada a direção que as questões estão tomando, seria difícil justificar uma extensão. Além disso, os assessores científicos do governo questionam a validade da solicitação de vacinação como condição de acesso a determinados serviços, pois está comprovado que mesmo duas doses não são suficientes para interromper a infecção por omícron. E assim Javid enfatizou que não manteríamos o passe verde por um momento extra que não é estritamente necessário.

14 de janeiro de 2022 (alteração em 14 de janeiro de 2022 | 16:04)