Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Campeonato Europeu de Judô em Lisboa, 17 seleções açorianas em prova: de volta aos tatames Lombardo

De sexta-feira, dia 16, a domingo, dia 18 de abril, arranca em Portugal a Continental Review: os pontos importantes da classificação olímpica estão à sua frente

O Campeonato Europeu de Judo começa sexta-feira na Altes Arena, em Lisboa. A revista continental em Portugal vai ser um acontecimento muito especial: não é só a segunda realizada desde o início da epidemia, mas é também uma das últimas oportunidades para disputar esta posição no ranking mundial que, a partir de 28 de junho, distribuirá autorizações de entrada para as competições olímpicas de Tóquio. O primeiro lugar no Campeonato da Europa em Lisboa valerá 700 pontos, e o primeiro lugar no Grand Slam de Kazan (5-7 de maio) valerá 1000 pontos, enquanto o Campeonato do Mundo em Budapeste (6-13 de junho) que encerrará a corrida no passe olímpico, são atribuídos. O vencedor é de 2.000 pontos e se um atleta vencer, segundo a hipótese, nas três corridas e assim marcar 3.700 pontos, é muito provável que alcance a qualificação, porque essa aposta hoje em grande parte merece um posição “segura” em qualquer classe de peso, tanto para mulheres como para homens. .

Eu sou PREMI

Mas se houver variáveis ​​na lista de classificação (cinco primeiros, redução da pontuação ao longo do tempo, etc.) que deixam margens de imprevisibilidade em aberto, a Itália parte para Lisboa tomando cuidado para não voltar de mãos vazias. De facto, na cerimónia de entrega de prémios organizada pela EJU (European Judo Association), Roberta Sciorlia, que será galardoada com o prémio de Melhor Árbitro Feminino 2020, e Attilio Sacribante, serão premiadas pelo contributo essencial que deu ao trabalho científico. comissão. “Esta é a terceira vez que recebo este prestigioso prêmio – disse Roberta Sciorlia – e é um verdadeiro sonho. Agradeço profundamente ao Comitê EJU, que me acompanhou pela maioria de seus membros desde o início da minha carreira como árbitro .Em competições continentais., E assim contribuiu para o meu crescimento. Dedico este apreço. À minha família, totalmente devotada ao desporto, pela sua incontestável paixão, competência, perseverança e consistência, é um exemplo constante para mim. Nunca teria tido atingi esses objetivos, mas agora quero fazer mais. Isso é apenas o começo. ” Na verdade, Roberta Sciorlia também foi convocada para fazer parte de um pequeno círculo de árbitros escolhidos para a Olimpíada. Esta será a primeira vez que governará o judô italiano nas Olimpíadas. “Mas você tem certeza?” Em vez disso, disse com um sorriso, Attilio Sacribante, professor de biomecânica do esporte e mestre de judô, citando a resposta dada à correspondência dando reconhecimento à Federação de Judô, esclarecendo que era a terceira vez que a pesquisa realizada no estrutura do Comitê de Estudos Científicos tinha alcançado resultados prestigiosos. “Neste caso, a satisfação pessoal é algo privada porque é inesperada, mas também quero salientar que é através de mim que todo o trabalho científico é recompensado, um serviço tão precioso quanto silencioso”.

READ  O técnico Roberto Mancini recebeu um diploma honorário em Ciências do Esporte

Os Azuis

De sexta-feira, dia 16 de abril, a domingo, dia 18, de um universo de 370 atletas de 45 países, estarão 17 açurianos, entre os quais Manuel Lombardo, que finalmente voltará a competir na categoria de 66kg, enquanto não haverá Alice Bilandi de 70kg para o técnico. A seleção, relacionada com os mecanismos de classificação, foi desenvolvida em conjunto com o staff e clube a que pertencem, Fiamme Gialle. A equipe azul é formada por 9 atletas na categoria masculina: Angelo Pantano, Alessandro Aramo na categoria 60kg, Manuel Lombardo, Mattia Messili (66kg), Giovanni Esposito, Fabio Basile (73kg), Antonio Esposito, Christian Barlatti (66kg). Peso 81 kg, Nicholas Mongai com 90 kg. E de 8 atletas femininas nas categorias femininas: Francesca Giorda, Francesca Milani com 48 kg, Odette Giovreda, Martina Castagnwall com 52 kg, Silvia Pelletieri, Veronica Toniolo com 57 kg, Maria Centracio com 63 kg, Georgia Stangerlin com 78 kg Azzurri Equipe técnica com o Diretor Artístico Nacional Kyoshi Murakami, técnicos Dario Romano, Francesco Bruyer, Raphael Parlati, Raphael Toniolo, Diretor da Covid Alessandro Comey, Dr. Stefano Bonagura e Fisioterapeuta Marco Chitaro. O treinador Francesco Bruyer, que chegou a Lisboa com o grupo dos leves, afirmou: “A equipa está bem e o ambiente é positivo – suportado também pelos resultados obtidos nos últimos Grand Slams. Estivemos bem e com muita harmonia, estamos confiantes . ” .