Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Ataque jihadista em Burkina Faso, dois jornalistas espanhóis foram mortos: Brian morreu, autor de “Il mondo dei narcos”

Há também um famoso documentarista David Berryn Entre as quatro vítimas da emboscada jihadista em Burkina Faso. A confirmação veio do chanceler espanhol, Arantxa Gonzalez Laya, após confundir as informações sobre o atentado em que quatro pessoas, três europeus e um cidadão de Burkina Faso foram mortos durante toda a manhã. Todos faziam parte do mesmo grupo comprometido em fazer uma reportagem para ele Movistar Sobre a caça furtiva no leste do país com uma ONG que aparentemente incluía o irlandês que acompanhava Brian e o fotógrafo Roberto Friel.

De acordo com fontes locais, outras três pessoas ficaram feridas no ataque. Os agressores estavam em dois caminhões e cerca de vinte motocicletas e teriam roubado armas, drones e jipes para jornalistas. A emboscada ocorreu ao longo da estrada que leva à Reserva Florestal Big Bama.

No momento, nenhuma organização anunciou esta medida. Nos últimos anos, assistimos a muitos sequestros no Burkina Faso, onde os ataques jihadistas se multiplicaram desde 2015. Se antes se concentrava no norte do país, na fronteira com o Mali, então a violência do grupo que apoia o Islão e os muçulmanos pertencentes à Al Qaeda e o Estado Islâmico se espalhou até o Deserto do Saara, a capital e outras partes do país. ..

A guerra contra os jihadistas está ocorrendo em uma motocicleta

READ  Viagem rodoviária pela Escócia: aqui estão as paradas que você pode fazer em 10 dias começando em Edimburgo

Por Francesco Bosoletti



David Perrian, 34, de Navarra, como jornalista de TV, forneceu inúmeras reportagens em todo o mundo, do Iraque ao Afeganistão, ao México e à Líbia. Em seguida, Congo, Curdistão, Darfur e Colômbia. Ficou famoso na Itália por “Il mondo dei narcos” (Investigação sobre traficantes de drogas na América Latina) e há dois anos apresentou o programa “Clandestino” do canal. novo. Mas esta reportagem específica sobre Ndrangheta ofuscou seu trabalho como jornalista investigativo: há um mês, de fato, o Ministério Público de Milão o inseriu no registro de suspeitos de fraude, alegando que os depoimentos coletados eram na verdade partes interpretadas pelos atores contratados para a ocasião.