Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Ataque jihadista em Burkina Faso, dois jornalistas espanhóis foram mortos: Brian morreu, autor de “Il mondo dei narcos”

Há também um famoso documentarista David Berryn Entre as quatro vítimas da emboscada jihadista em Burkina Faso. A confirmação veio do chanceler espanhol, Arantxa Gonzalez Laya, após confundir as informações sobre o atentado em que quatro pessoas, três europeus e um cidadão de Burkina Faso foram mortos durante toda a manhã. Todos faziam parte do mesmo grupo comprometido em fazer uma reportagem para ele Movistar Sobre a caça furtiva no leste do país com uma ONG que aparentemente incluía o irlandês que acompanhava Brian e o fotógrafo Roberto Friel.

De acordo com fontes locais, outras três pessoas ficaram feridas no ataque. Os agressores estavam em dois caminhões e cerca de vinte motocicletas e teriam roubado armas, drones e jipes para jornalistas. A emboscada ocorreu ao longo da estrada que leva à Reserva Florestal Big Bama.

No momento, nenhuma organização anunciou esta medida. Nos últimos anos, assistimos a muitos sequestros no Burkina Faso, onde os ataques jihadistas se multiplicaram desde 2015. Se antes se concentrava no norte do país, na fronteira com o Mali, então a violência do grupo que apoia o Islão e os muçulmanos pertencentes à Al Qaeda e o Estado Islâmico se espalhou até o Deserto do Saara, a capital e outras partes do país. ..

A guerra contra os jihadistas está ocorrendo em uma motocicleta

Por Francesco Bosoletti

READ  Hungria, uma dura batalha com Bruxelas. Orbàn: "Ataque sem precedentes, não queremos lobistas LGBTQ em nossas escolas"



David Perrian, 34, de Navarra, como jornalista de TV, forneceu inúmeras reportagens em todo o mundo, do Iraque ao Afeganistão, ao México e à Líbia. Em seguida, Congo, Curdistão, Darfur e Colômbia. Ficou famoso na Itália por “Il mondo dei narcos” (Investigação sobre traficantes de drogas na América Latina) e há dois anos apresentou o programa “Clandestino” do canal. novo. Mas esta reportagem específica sobre Ndrangheta ofuscou seu trabalho como jornalista investigativo: há um mês, de fato, o Ministério Público de Milão o inseriu no registro de suspeitos de fraude, alegando que os depoimentos coletados eram na verdade partes interpretadas pelos atores contratados para a ocasião.