Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

AstraZeneca, Suryut CEO Gold Salary Aumento: controverso

Mais uma vez, a AstraZeneca está no centro da tempestade, mas desta vez não por causa das tensões com Bruxelas sobre o momento do fornecimento da vacina contra o Coronavírus, mas por causa do enorme bônus salarial que prometeu a seu CEO, o francês Pascal Suryo, que muitos investidores na cidade considerados inadequados e excessivos.
**** Assine o boletim informativo Coronavirus
Conforme antecipado nas últimas semanas pelo Financial Times e relançado ontem pelo Mail, o conselho se reuniu para aprovar um aumento nos bônus na Syriot em mais 2,3 milhões de libras, equivalente a mais de 20 milhões de euros por ano, versus. A imagem de fundo ainda é muito positiva para a gigante farmacêutica anglo-sueca, apesar do recente anúncio de não renovação do contrato da Covid com a União Europeia. Um aumento que poucos acionistas consideram mais do que merecedor, números e perspectivas ao alcance, mas que não encontram aprovação unânime na City de Londres. Começando pelos investidores da Aviva Investors ou da Standard Life Aberdeen, eles estão preocupados com o quadro internacional da empresa: que produzia a vacina feita pela Universidade de Oxford a preço de custo de produção, mas que a União Européia então acusou de não cumprir os prazos de entrega. Outros grupos consultivos também expressaram perplexidade, confirmando como – devido à emergência de saúde – os salários de mais da metade dos CEOs das empresas listadas no FTSE100 foram congelados para 2021. No entanto, os sucessos da Soryo permanecem. Mesmo antes da pandemia, desde que assumiu a posição da AstraZeneca em 2012, a receita cresceu 11% (US $ 7,32 bilhões) nos últimos 12 meses. “Ele merece todo o dinheiro”, disse Samuel Gohar, presidente da Buchanan Harvey, ao The Times.

READ  Recompensa os mosquiteiros, como funcionam e quem pode encomendá-los