Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

“As acusações contra os juízes são injustificáveis, algumas provas contra Olinto e Rosa”

“Frases encorpadas e profundas Eles não deixam espaço para confusão». “Propriedade do Trabalho do Ministério Público e dos Carabinieri”. ainda é”,confissões detalhadas Quanto a explicação Cada detalhe mínimo e mais brutal». lá advogado de CuomoCom documento oficial assinado pelo Ministério Público em exercício Massimo Astori Então intervém Solicitação de revisão do processo Massacre de Grama Procurador-Geral Suplente de Milão em 11 de dezembro de 2006 Kuno Tarfuser.

Açores – o que Ele já era magistrado do Ministério Público de Como em 2006 – Todas as etapas da matéria prática, e mesmo depois Julgamento Final do Supremo Tribunal Federal. Mais tarde, ele contestou abertamente a iniciativa de Darfusser e não exclui esforços legais para “proteger a imagem do escritório”. “Juízes em julgamentos de três graus expressaram e afirmaram avaliações positivas das evidências coletadas. correção O Ministério Público e o Trabalho dos Carabinieri”.

Astori lembra que, além dos três níveis de julgamento, houve ao longo dos anos Acórdãos adicionais de diferentes tribunais, após diversas demandas feitas pela defesa. “As aplicações são todas consideradas inovadoras e sem um espírito experimental significativo”, escreve Massimo Astori. O procurador do estado de Cuomo fala sobre isso Confissão de Olindo Romano e Rosa Pazzi“Em detalhe Uma descrição de todos os menores e mais horríveis detalhescom Evidências adicionais e conclusivas Cada uma dessas revelações, mesmo isoladamente, poderia ter levado a uma conclusão de responsabilidade total por parte dos réus.”

Então algo real Um aparente conflito com Cuno Tarfusser. “É surpreendente que a emenda proposta tenha sido concluída tão rápida e completamente divulgada antes de encaminhar à autoridade competente Para avaliá-lo e antes de seu possível uso prático – escreve Massimo Astori -. É surpreendente mencionar que no prefácio Cooperação de segurança. Finalmente, existem expressões ativas Alegações de má conduta e conduta ilegalNa ausência de crimes reais, contra os juízes do Ministério Público de Como, Após 16 anos de fatos e sem nenhuma justificativa.

READ  Roma cada vez mais portuguesa: Negociações para mais um jogador!

“Durante esses 16 anos, a Procuradoria de Como cumpriu um dever e um dever sério. paz – escreve Astori -. Advocate acredita que igual respeito será concedido a todos que abordarem esta história dramática, que tem profundidade em seu cerne a dor Quem foi afetado? Em qualquer caso, protegerá a imagem do escritório nos escritórios e com os formulários apropriados.