Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

A China está violando os céus da ilha com bombardeiros H-6N modificados para lançar mísseis atômicos hipersônicos que temem os porta-aviões americanos.

A China está violando os céus da ilha com bombardeiros H-6N modificados para lançar mísseis atômicos hipersônicos que temem os porta-aviões americanos.

Ameaças nucleares nos céus de Taiwan foram violadas na madrugada por um esquadrão de 37 aeronaves militares chinesas que cruzou a Zona de Identificação de Defesa Aérea (ADIS) da ilha. Alguns dos aviões seguiram então para o oeste do Oceano Pacífico, onde manobraram os navios da frota americana. Taipei fez o scramble (decolagem rápida) dos F-16: as escaramuças, que começaram às 23h de quarta-feira, horário italiano, estão se tornando cada vez mais frequentes, embora sejam sobretudo os Estados Unidos que assistem com apreensão a esta nova incursão. Porque, como relata o Ministério da Defesa de Taiwan, além dos caças J-11 e J-16 usuais, as versões mais recentes dos bombardeiros H-6 com capacidade nuclear também foram vistas no canto sudoeste de Addis. A China considera Taiwan uma parte “inalienável” do seu território, e não é a primeira vez que um bombardeiro veterano que conhece, com grande generosidade, o “B-52” chinês sobrevoa os céus da ilha.

No entanto, o H-6N é a versão mais recente do Xian H-6 (nome da OTAN, Badger) derivado do bombardeiro bijato Tupolev Tu-16 soviético e construído desde 1959 em cerca de 180 unidades sob licença para a Força Aérea do Exército Popular. . Libertação da China. As versões mais recentes das 80 aeronaves disponíveis foram modificadas, segundo a inteligência dos EUA, para transformar a aeronave pesada em uma plataforma de lançamento de mísseis hipersônicos capazes de armar até ogivas nucleares. Segundo os americanos, é o CH-AS-X-13, um míssil derivado do míssil anti-navio “balístico” anti-navio DF-21D, que Pequim anuncia como o “assassino de porta-aviões”.

READ  Moscou está fechando um pouco - The Post

Em suma, mísseis que temem as frotas americanas que navegam no Mar da China, incluindo o Estreito de Taiwan, que estão intensificando suas atividades quando se trata de responder a esses ataques chineses. Nos últimos dias, um dos incidentes mais graves foi quando um navio pertencente à frota chinesa bloqueou o caminho de um navio da Marinha dos EUA.

vídeo

Nos últimos dias, o Pentágono manifestou preocupação com os movimentos agressivos das forças armadas chinesas na Ásia. “Continuamos preocupados com as atividades cada vez mais perigosas e coercitivas do PLA na região, mesmo nos últimos dias”, disse o porta-voz do Pentágono Pat Ryder, que trabalha com o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, no Shangri-La Dialogue. Fórum Anual de Segurança de Singapura. Ontem, havia risco de colisão entre duas unidades navais chinesas e americanas no Estreito de Taiwan, poucos dias depois de uma manobra arriscada no céu de uma aeronave chinesa a bordo de um avião de reconhecimento americano.

Os Estados Unidos, Taiwan e Japão compartilharão dados em tempo real coletados por drones de reconhecimento para aprimorar a coordenação diante da crescente assertividade da China na região. Foi o que noticiou o Financial Times, citando pessoas familiarizadas com o projeto. No final da presidência de Trump, os Estados Unidos anunciaram mais de US$ 5 bilhões em vendas de armas para Taiwan, incluindo quatro drones no valor de US$ 600 milhões, destinados a melhorar as capacidades da ilha e impedir uma invasão chinesa. A cidade também disse que Washington permitiria que esses aviões se integrassem ao sistema a ser usado pelos militares dos EUA na região e pela Força de Autodefesa do Japão. A iniciativa permitiria a Washington e seus parceiros monitorar todas as informações coletadas pelos drones simultaneamente.

READ  Covid, as últimas notícias hoje da Itália e do mundo | Surto na Coreia do Norte, 18.000 casos confirmados. Seul fornece vacinas e equipamentos para Pyongyang- Corriere.it