Vazante atípica pode deixar municípios da Calha do Rio Negro ISOLADOS

Vazante atípica pode deixar municípios da Calha do Rio Negro ISOLADOS
3.5 (70%) 50 vote[s]

Uma estiagem atípica na calha do rio Negro está deixando as cidades dessa região isoladas, e podem está enfrentando a maior vazante dos últimos 5 anos, a  última seca considerada extrema, ocorreu em 2010 quando o nível do rio chegou a 13,63 metros no dia 24 de outubro.  O Rio Negro está em pico da Vazante e a  falta de chuvas estão causando prejuízos e deixando isoladas cerca de 95 mil pessoas nas cidades de Barcelos, Santa Isabel do Rio Negro e São Gabriel da Cachoeira.

BARCELOS

Seca no Rio Negro Barcelos
Seca no Rio em Barcelos (Foto: Wanderleia Marques)

O município de Barcelos no Amazonas a 402 km de Manaus, conhecido internacionalmente por sua beleza natural com belíssimas praias e pela Pesca Esportiva, está dividida entre a euforia da seca do Rio Negro e seus afluentes que facilita a atividade de Turismo e Pesca Esportiva no município, o que atraí uma grande quantidade de turistas na região, dando assim uma injeção na economia na cidade de Barcelos. Por outro lado, a população fica preocupada  com a possibilidade de sofrer com a falta de abastecimento de alimentos, remédios  e combustível, já que todo material chega ao município por intermédio de barcos e balsas. Outra importante preocupação é possibilidade de prejuízo com racionamento de energia elétrica, já que o combustível é transportado por  Balsa para a única Usina Termoelétrica da cidade (Eletrobras Amazonas Energia).

O transporte de passageiros também já está sendo atingido pela repentina seca do Rio Negro, alguns proprietários de embarcações já avisaram, se o rio continuar baixando, não será possível navegar normalmente até a cidade de Barcelos.  “O rio está secando rapidamente e nosso Barco está com dificuldades de navegação, são muitos bancos de areia que tem que ser desviado e assim tornando a viagem demorada e comprometendo a segurança de passageiros, só viajaremos mais esta semana de outubro com nossa Barco maior, depois teremos que usar um barco pequeno para chegar até a cidade e provavelmente haverá altas no preço da passagem e do frete, pelas dificuldades e gastos há mais nas viagens.” Disse Raul de Paula Oliveira, proprietário do Barco Comandante Natal VI.

SANTA ISABEL DO RIO NEGRO

Seca do Rio em Santa Isabel do Rio Negro
Seca do rio em Santa Isabel do Rio Negro (Foto: Regis Goes)

Com uma população de 22.404 habitantes, de acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2015. O município de Santa Isabel do Rio Negro (720 quilômetros de Manaus)  não possui escala de  vôos aéreos regulares, o único transporte  usado é o fluvial.
Mas com o nível do Rio Negro baixando repentinamente, está cada vez mais  difícil viajar para esta localidade, algumas embarcações que saem de Manaus  todas as terças e as sextas-feiras, estão sendo prejudicadas devido ao nível baixo do Rio Negro, as embarcações se  atrasam e não consegue completar o trajeto, deixando os passageiros irritados. Alguns recreios tem que ancorar no porto de Santa Isabel do Rio Negro e de lá, são transportados em lanchas  tipo “expresso”, até o destino final, São Gabriel da Cachoeira.
Segundo informações do observador  Antelmo de Braga que monitora o nível do rio no município, a situação pode se complicar ainda mais, já que o rio está baixando 8 centímetros por dia e está à 20 metros  do nível normal, o que preocupa os donos de embarcação, já que viajar por essas  águas, precisa de cuidado, pois praias e pedras escondidas no fundo do rio  são armadilhas constantes.

SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA

Seca do Rio Negro em São Gabriel da CachoeiraNo município de São Gabriel da Cachoeira, a 850 quilômetros de Manaus, o nível do Rio Negro está no nível mais baixo dos últimos 15 anos: 7 metros e 35 centímetros. O município pode ser o mais atingido e prejudica com esta seca de 2015, pois é de longe a mais distante cidade, fazendo fronteira com a Colômbia e Venezuela. A falta de chuvas no alto Rio Negro está impedindo quase que totalmente a passagem de barcos na região, o principal meio de transporte na área. Por isso, mais de 400 comunidades ribeirinhas estão isoladas.
Nesta região o Rio é composto por corredeiras e pedras o que dificulta a navegação de Barcos maiores, sendo feita apenas por Lanchas rápidas chamadas de Expresso.

Números
Um levantamento do CPRM com base nos registros feitos entre 1903 e 2014 apontou que a média das cotas mínimas do Rio Negro  é 17,67 metros. Já a média das máximas é de 27,86 metros.

Dados da CPRM Seca Rio Negro (Copy)

A maior vazante considerada extrema ocorreu em 2010 quando o nível do rio chegou a 13,63 metros no dia 24 de outubro. Já a cheia recorde foi de 2012 com cota máxima de 29,97 metros.

Dados do CPRM apontam que em 2013 e 2014, as cotas registradas ficaram acima dos 19 m. Até o fim do período de estiagem, o esperado é que o rio tenha volume abaixo dos 17 m.  A vazante é considerada extrema quando o nível da água do Rio Negro fica abaixo de 15 m.

El Niño
O Escritório Australiano de Meteorologia afirmou que o fenômeno climático El Niño se fortaleceu nas últimas semanas. A entidade diz ver agora apenas uma “pequena chance” de que o evento termine até o fim deste ano. As temperaturas do Oceano Pacífico nos trópicos estão bem acima dos patamares que definem o El Niño e os ventos enfraqueceram consistentemente, disse o escritório. Cientistas do governo americano já afirmaram que o El Niño, que começou este ano, pode ser dos mais fortes dos últimos 65 anos.

Colaborou com as informações: Regis Goes

 

Comentários

  1. […] Com a seca atípica deste ano, o volume de água do Rio Negro começa mudar a paisagem das cidades da Calha do Rio Negro, desde Manaus até São Gabriel da Cachoeira na fronteira . Há 20 dias o rio está estável com a cota em média de 2,58m de acordo com pescadores da região e o sistema SigSindarma, que reúne informações das condições de navegabilidade de rios que banham a Região Norte do Brasil. Apesar das belezas naturais que o forte verão proporciona, já está causando prejuízos e preocupação a população, principalmente na locomoção entre as cidades e abastecimentos de produtos e combustível, já que a principal estrada é o rio. […]