Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Sequestrou o voo da Ryanair para Minsk para prender Roman Protasevic, um oponente do regime bielorrusso

O canal da oposição bielorrussa NEXTA anunciou que um de seus ex-colaboradores foi preso em Minsk depois que o vôo em que ele viajava foi transferido de Atenas para Vilnius para a capital bielorrussa. Roman Protasevi, 26, foi rebaixado e levado embora. A trajetória de vôo foi desviada após um “alerta de bomba”. O Serviço de Imprensa Presidencial da Bielo-Rússia anunciou no Telegram que um caça a jato MIG-29 havia sido enviado para interceptar a aeronave.

Em novembro passado, os serviços de segurança de Minsk colocaram o nome Protasevic na lista de “indivíduos envolvidos em atividades terroristas”. Protasevi era um colaborador do Nexta, um meio de comunicação que desempenhou um papel de liderança na onda massiva de protestos que se seguiu à reeleição do presidente Alexander Lukashenko no ano passado, no cargo desde 1994.

Svetlana Tikanovskaya, a conhecida oposição bielorrussa no exílio, rapidamente condenou a prisão de Protasevich: ela disse no Twitter que tinha certeza de que o regime queria sequestrar o avião de Protasevich, que – ela avisou – do risco de pena de morte.

O presidente da Lituânia exigiu a libertação imediata de Protasevic: “Este sequestro constitui uma ameaça para a aviação civil internacional.”

Os protestos do último outono viram dezenas de milhares de pessoas mobilizadas em Minsk e outras cidades, mas a repressão violenta subsequentemente desacelerou os protestos.

READ  Ameaçado pelo Talibã e esquecido pela Itália. Então Zara nos salvou