Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

“Precisa-se de português, este é um convite aceitável”

“Precisa-se de português, este é um convite aceitável”

Florença, 3 de junho de 2023 – Em Concorrência Para um posto de pesquisa A Filosofia do Direito Conhecimento do idioma necessário Português. Acontece que um dos potenciais candidatos, aluno do professor que chefia a comissão de seleção, tem equivalente “C2” em português nativo e tem muitos empregos em universidades brasileiras. Por esta razão, dois candidatos ao concurso solicitaram formalmente ao Reitor Alessandra Petrucci Cancelamento de prova de legítima defesa. Ou uma alteração a esse requisito que “parece limitar a lista de candidatos, com especificação direta da convocatória”. Além disso, uma nova comissão judicial. Em suma, não havia paz para a Universidade Florentina, ainda se recuperando do terremoto do concurso de Careggi.

Não é uma faculdade de medicina, mas de direito, mas se o que foi relatado pelos dois candidatos se confirmar (o caso também foi denunciado à Comissão Anticorrupção), novas sombras podem ser lançadas no mundo das já dolorosas disputas . Em 11 de abril, afirma a denúncia, foi lançado um convite para o preenchimento de 18 cargos de inspetores de prazo determinado, categoria “B”. Em 31 de maio, foi comunicada a composição da banca examinadora. E a lâmpada se apagou para os dois candidatos. A posição de pesquisador em filosofia do direito, de fato, exigia conhecimento da língua portuguesa e da língua inglesa.

Lei 240/2010, “A universidade pode especificar no edital uma língua estrangeira que exija conhecimentos em relação ao perfil multilíngue da universidade ou às exigências de ensino de cursos em língua estrangeira”. Mas os docentes assinalam que os ensinos nas licenciaturas da Universidade Florentina “são todos em italiano, não estando prevista a implementação de ensinos em português”. Além disso, o português “contraria o programa restrito, que não oferece vagas específicas para temas ou países que exijam o conhecimento da língua portuguesa”. Por fim, voltam a sublinhar que “os acordos de cooperação existentes entre o Departamento de Direito e as universidades portuguesas/brasileiras não justificam de forma alguma a exigência da língua portuguesa”.

READ  “Esta é a mãe de todas as reformas”

Depois, como volta a ser destacado no relatório, há laços entre um potencial candidato “português” e um membro nomeado da Comissão. O aspirante a pesquisador havia recebido duas bolsas anuais de pesquisa do mesmo professor que já era diretor científico e, ao concluir a segunda bolsa, ganhou um cargo de pesquisador por prazo determinado, em cuja comissão de seleção o mesmo professor ainda estava na catedral. .