Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Portugal continua a violar o direito à habitação condigna da comunidade cigana residente no país

Postado por DPN / Lusa, Notícias · 02-04-2021 18:00:00 0 Comentários

A decisão foi baseada em uma queixa de 2010 da Comissão Europeia de Direitos Sociais do Conselho, que disse ter “tomado medidas adequadas para garantir que os ciganos vivam em casas que atendem aos padrões mínimos”, apesar do fato de o governo não ter provado que “moradias perigosas as condições persistem para a maioria da comunidade cigana “.

A Comissão Europeia para os Direitos Sociais do Conselho da Europa decidiu que Portugal continua a violar o direito à habitação condigna da comunidade cigana que vive no país.

A decisão baseia-se numa reclamação apresentada em 2010 e afirma que “persistem condições de habitação perigosas para a maioria da comunidade cigana, para além do facto de o governo não ter provado que o governo tomou as medidas adequadas para garantir que vive em casas que cumprem os padrões mínimos “.

Embora reconheça alguns dos passos que o país tem dado para melhorar as condições de vida das comunidades ciganas, a Comissão Europeia defende que os projectos habitacionais, como a Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas e o 1º Direito invocado por Portugal em resposta ao reclamação, continue.

O número exacto de ciganos em Portugal é desconhecido e baseia-se em estimativas, que indicam uma população entre 24.000 e 40.000, mas a Comissão Europeia nega que as estimativas de 45.000 a 50.000 sejam números “muito realistas”, que são “invisíveis”, significado, não especificado. Inclui famílias e famílias sem residência permanente.

O Conselho da Europa afirma ainda que “não se conhece o número de ciganos estrangeiros em Portugal, uma vez que não foi recolhida informação oficial sobre esta questão”.

READ  A DAP Air Portugal voa a primeira aeronave Cancún com um Airbus A330 Neo

No que diz respeito às condições de vida da comunidade cigana, 37 por cento dos ciganos portugueses vivem em favelas ou acampamentos, que se encontram em 70 concelhos.

As crianças geralmente estão todas matriculadas na mesma escola, o que cria uma atmosfera de “escolas ciganas” e as casas costumam estar superlotadas, pois as políticas de realocação não levam em consideração a expansão familiar.

Por isso, a Comissão Europeia, reconhecendo o esforço dos responsáveis ​​portugueses, defende que Portugal se encontra em estado de incumprimento, que são necessárias melhorias e que “ainda existem obstáculos” à falta de fiabilidade em quantidade e qualidade. Em formação.

Identificou “falhas persistentes” para garantir a igualdade de acesso aos direitos trabalhistas, discriminação no acesso ao emprego, desigualdades de gênero nos salários e falha em prevenir o trabalho forçado ou a exploração do trabalho.



Artigos relacionados


Tópicos interativos, envie-nos seus comentários / opinião sobre este artigo.