Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

O acordo entre Marina Berlusconi e Giorgia Meloni e o papel de Marta Pacina para partido, instituições e governo

O acordo entre Marina Berlusconi e Giorgia Meloni e o papel de Marta Pacina para partido, instituições e governo

Não apenas a candidatura de Paolo Berlusconi à cadeira de Silvio em Monza. Marina Berlusconi e Giorgia Meloni têm um “acordo de conveniência mútua” após a morte do ex-primeiro-ministro. Um tratado foi assinado a esta hora. O objetivo é manter o status quo. A Forza Italia deve ser posicionada evitando uma debandada de parlamentares em direção ao FDI e à Lega. Além disso, ajuda a isolar o governo de quaisquer choques relacionados. Mas não há guerra na estrutura acionária da Mediaset. Os potenciais compradores ficarão com a boca seca. Também estrela Marta Bacina em uma participação especial. Pode tornar-se o “embaixador” da família junto da gestão e das organizações em geral. O acordo é válido pelo menos até as eleições europeias. Os resultados do Forza Italia farão o resto.

Acordo entre Georgia, Marina e Marta

República Ele diz que Meloni deu o primeiro passo. Ele recebeu um convite para uma reunião por via diplomática do patrono da Vivendi, Vincent Bollore. E ele rejeitou. Ou, ele não aceitou o pedido. E este não é o caso. Porque as intenções da Mediaset (e do Tim) já são conhecidas há algum tempo. Com o adiamento, Meloni quis dar um sinal: as estruturas de propriedade das empresas italianas não podem ser tocadas sem a aprovação do governo. A expansão da gama Golden Power é um sinal neste sentido. Haverá pouco espaço para ofertas de aquisição hostis. E não há espaço para anti-organizações com ofertas públicas. Marina Berlusconi também precisa de um acordo com a Mediaset. Quem sabe o que os filhos de Veronica Lario pretendiam depois que o testamento foi aberto.

Divisão de funções

Desse ponto de vista, Meloni recebe garantias de Marina sobre o destino do governo. Porque a “terceira perna” que a sustenta deve ser firme. Perder sete ou oito senadores agora poderia colocar o governo em apuros. Assim, Antonio Tajani fará o papel de destaque com a filha mais velha de Silvio nos bastidores. Entre outras coisas, o partido tem dívidas a pagar. Se o ex-primeiro-ministro não tivesse pensado nisso em seu último testamento, a ajuda da família seria muito necessária. A terceira é “Czarina”, explica o jornal, em vez de Fascina. Que perdeu o poder porque era ela quem decidia quem podia falar com Silvio e quem não podia. Agora ele pode confiar na delegação de Marina.

READ  Em Kovit, na Sardenha, 8 pessoas morreram em 24 horas. Há 1.600 novos casos

Leia sobre o Open

consulte Mais informação: