Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Mulher assassinada em Roma, restaurantes: ‘Tentámos proteger o advogado’ – Crónica

Discussão na sala, a vítima na casa de banho e a sua fúria na rua: uma cena que não passou despercebida por muitos no restaurante romeno Prado na passada sexta-feira, mas não foi suficiente. Suspeita dos motivos de Costantino Bonaiuti, a engenheira e sindicalista do Enav, Martina Scialdone, de 61 anos, matou um advogado romeno de 35 anos fora do clube porque ele se recusou a aceitar o fim do relacionamento. De fato, a discussão entre as mesas parecia encerrada e ninguém ali via sinais de que aquilo se tornaria uma tragédia. Mas talvez o advogado estivesse tentando enviar sinais porque sabia que estava em perigo. Os inquéritos esclarecerão isso, mas para aqueles que agora refletem sobre o que já aconteceu, essas palavras gritadas em voz alta podem ter sido um alerta. Por isso muitos nas redes sociais nestas horas apontaram o dedo aos funcionários e donos do restaurante que hoje esteve encerrado para mostrar grande proximidade aos clientes e, sobretudo, aos familiares e amigos da vítima. “Quando ela entrou na casa de banho, em vez de dar a mão, o dono disse-lhe para sair para não incomodar os clientes”, disse uma testemunha ao microfone Tg3. Mas os funcionários e garçons se negam e se defendem: “Martina não foi expulsa do banheiro do nosso restaurante, ela saiu sozinha, e agora todos nós estávamos convencidos de que a pessoa estava desaparecida, porque ele saiu do restaurante. nós tentamos protegê-la, e então ela também se foi: a pobre menina foi morta a cem metros de nosso restaurante, apenas para voltar ferida após ser atingida. Nesse momento, dizem eles, “imediatamente tomamos providências para ajudá-la”. Também um cliente do restaurante, que possui perícia médica, escreveu um post na página do Facebook do ‘Prado’. Lendo o post, ele imediatamente tentou reanimar a garota: “Fizemos todo o possível e alertamos as autoridades no primeiro momento” , explica a equipe local. Ele então observa: “Ainda estamos conduzindo as investigações necessárias sobre o incidente. Estamos totalmente preparados para cooperar com a polícia que vier.” Os investigadores estão analisando imagens de câmeras dentro e fora do restaurante para esclarecer diversas dúvidas sobre a atitude de clientes, donos e funcionários do restaurante e esclarecer a foto da história. Com a prisão de Bonauti: Após matar Martina, o homem de 61 anos fugiu em um carro e foi parado em sua casa, no bairro de Fidan. Não está excluído que no final das investigações, se os passivos forem revelados, a ação para fechar o local pode ser alcançada. Agora, o Ministério Público Capitolino também contesta uma liminar contra o homem, que já foi preso pela polícia e passará por um processo de apuração nas próximas horas: Bonaiuti, graças à licença para porte de arma de fogo para uso esportivo, entrou no quarto com uma arma no bolso. Um ponto sobre porte de armas, começando com o prefeito de Roma, Roberto Gualtieri. Talvez, diz, “devêssemos pensar na necessidade de limitar a posse de armas, de reduzir o número em circulação, de aumentar a segurança de todos”. Além de homicídio culposo agravado, as acusações levantadas pelos promotores de Claudio incluíam motivos agravados e fúteis e ação contra uma pessoa com quem o homem mantinha um relacionamento amoroso. Até a frente política está balançando e tentando reagir à história. Na próxima semana, a Comissão de Assuntos Sociais da Câmara será chamada para estudar o projeto de lei que estabelece inquérito bicameral sobre feminicídio e violência de gênero (já aprovado no Senado) e Luana Zanella, presidente da comissão de Alessana Verdi. Sinistra e membro da Comissão declara que seu partido “pediu na última conferência dos chefes de comissão da Câmara para planejar o projeto de lei”. “É preciso acompanhar com atenção um fenômeno perverso e generalizado – acrescenta – difícil de combater, como demonstra a recente tragédia de Roma. Apesar das ferramentas culturais, do profissionalismo e da experiência específica, a advogada Martina Cialdone foi assassinada. de um homem que ele tem medo e com quem está armado. Para avaliar novas medidas diferentes A Comissão também será um instrumento muito importante”.

READ  Quem foi o primeiro? Exceto Ronaldo e Messi