Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Folheto antissemita da década de 1980 que pode mudar as eleições na Baviera

Folheto antissemita da década de 1980 que pode mudar as eleições na Baviera

Na Baviera, o maior estado federal da Alemanha, no sul do país, há poucos dias houve uma discussão sobre um folheto anti-semita distribuído numa escola secundária na década de 1980: alguns dias depois detecção do jornal Alemão do Sul ZeitungO vice-presidente e ministro da Economia da Baviera, Hubert Ewanger, admitiu que, quando tinha 17 anos, participou na distribuição do folheto que continha conteúdos abertamente pró-nazis e anti-semitas.

Agora, muitos pedem a sua demissão do governo da Baviera, mesmo a nível nacional, e o caso poderá ter um grande impacto nas eleições estaduais da Baviera marcadas para 8 de Outubro.

Boletim informativo contestado Ele aparece Como uma página um tanto vazia na qual é descrito um concurso simulado chamado “Quem é o maior traidor da pátria?”: os judeus são apresentados como traidores e o primeiro prêmio é “uma carona pela chaminé de Auschwitz”, uma referência ao campo de concentração e extermínio na Polónia onde mais de um milhão de pessoas foram assassinadas.Durante a Segunda Guerra Mundial, quase todos eram judeus.

Ewanger disse que achou o conteúdo do panfleto “nojento e desumano” e negou que o tivesse escrito, alegando que só participou na sua distribuição na escola quando ainda não tinha atingido a maioridade. No fim de semana, seu irmão Helmut Iwanger divulgou um comunicado identificando-se como o autor da postagem e distanciando-se de seu conteúdo. lá Alemão do Sul Zeitung Mas, ao mesmo tempo, recolheu os testemunhos de alguns antigos professores da escola, que descreveram Hubert Ewanger, de 17 anos, como um fã declarado do nazismo, e confirmaram que ele próprio era o autor do post.

Os sociais-democratas, que estão no governo a nível nacional, mas na oposição na Baviera, apelaram à demissão de Iwanger. O chanceler alemão, Olaf Schultz, também fez uma declaração na qual falou da necessidade de “consequências políticas” no país. O caso arrisca consequências não só para as próximas eleições na Baviera, mas também a nível nacional, dada a importância da política bávara para a Alemanha como um todo.

READ  Irã protesta contra o regime: até o ex-jogador de futebol Azadani está no corredor da morte

E na Baviera, o principal partido de centro-direita da Alemanha (o partido liderado durante anos por Angela Merkel, a CDU) é agora governado por uma coligação liderada pela União Social Cristã, a secção local da CDU. Em coligação com a CSU estão os Eleitores Livres (FW), um partido conservador à direita da CSU, activo a nível nacional mas sobretudo na Baviera, onde o seu líder é precisamente Hubert Ewanger.

O Presidente da Baviera, dublado pela CSU, é Markus Söder, conhecido em toda a Alemanha e considerado um dos principais aspirantes à liderança nacional da CDU, com ambições de concorrer a chanceler nas eleições gerais de 2025. Söder pediu uma reunião extraordinária do seu governo de coligação na Baviera, na qual Ewanger terá de responder a algumas das perguntas dos seus aliados: O que Söder decidir fazer com Ewanger e gerir o caso irá provavelmente determinar uma parte importante do seu futuro político.

Markus Soder e Hubert Iwanger assinam um contrato governamental para lançar sua coalizão em 2018. (AP Photo/Matthias Schrader)

Neste momento, a CSU tem uma grande vantagem nas sondagens na Baviera, com 39% dos votos: mais do que os 37 que obteve em 2018, mas certamente inferior aos resultados a que o partido está habituado naquelas zonas, onde tem governou por décadas. Praticamente indiscutível. Nos últimos anos, o consenso da CSU na Baviera – tal como no resto do país – foi corroído em parte pela ascensão da Alternativa para a Alemanha (AfD), de extrema-direita, razão pela qual em 2018 a CSU decidiu aliar-se. com os Eleitores Livres, que atualmente têm entre 12 e 14 por cento.

A CSU considera uma aliança com a AfD totalmente impraticável devido às suas posições extremas, e Söder e Ewinger já anunciaram que irão propor novamente a mesma coligação que já governa a Baviera nestas eleições: mas tudo isso aconteceu antes de a questão se espalhar. Pelo boletim, e neste momento não é possível prever se haverá consequências.

READ  Críticas ao Projeto Eni Forest na Zâmbia