Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Digo ao Corriere – Michela Murgia prefere ser odiada a ter pena

Digo ao Corriere – Michela Murgia prefere ser odiada a ter pena

Caro AldoE
Murgia trabalha duro para aparecer fora do bando, faz declarações intencionalmente extremas e se delicia em escandalizar com a arrogância típica de seu contra-papel. Achei inaceitável falar do câncer como uma doença muito legal. E simpatizo com os pacientes com câncer que lêem esta declaração ridícula e provocativa.
Andrea MingoVeneza

Deixe-me criticar o que Murgia disse por dois motivos: não concordo com a propaganda da doença. A realidade da resistência além do governo de Meloni é um ressentimento irracional em relação a um governo eleito livremente.
Guido RajniMilão

queridos leitoresE
Muitos de vocês escreveram para comentar a entrevista com Michela Murgia. Alguém afirma, na esteira do professor Burioni, que sua doença ainda pode diminuir. Alguém me enviou um relato detalhado da cura milagrosa em Lourdes. Muitos me pedem notícias de como foi o diálogo: certamente não foi fácil, em alguns momentos fomos afetados; Mas sempre me senti incomodado ao ler como e quando as entrevistas eram feitas, e tirei espaço das palavras do entrevistado, as únicas palavras que importavam. A maioria dos leitores admira a severidade seca com que Michela Murgia deu a notícia. Alguém que não a perdoa por criticar Giorgia Meloni, ao que acho que ela respondeu com eficácia. Como comentou Guia Soncini, a melhor coisa a fazer por alguém que está morrendo é continuar a tratá-lo como se estivesse vivo. Michela não quer ter pena. Ela não descartou a possibilidade de ser odiada ou amada. Mulher forte, tem a firmeza e a doçura da Sardenha. Se ela tivesse vivido em Dakota dois séculos atrás, ela teria sido uma chefe militante, uma daquelas que preferiria cavalgar contra a Sétima Cavalaria do que ser presa em reservas. Seu livro, Three Bowls, só sai às terças, mas é o mais pedido na Amazon há uma semana. Um livro importante que permanecerá. Não há nada de ostentoso na escolha do autor. Toda literatura. e política. Em nosso tempo, a doença costuma ser disfarçada de vergonha. A morte foi expulsa e escondida. Não era mais uma morte geral como antes; Quando uma pessoa famosa desaparece, quase não há sinal de uma doença longa ou curta. Mas é mais difícil depois da Covid. Porque a morte entrou na vida e não podemos mais continuar a negá-la.

READ  Lulu Selassié desfoca "Que loquacidade, por * ab * a" / Signorini solicita ações de GF VIP

Outras mensagens do dia

Adeus

Caro Matteo, 43 anos e sete dias com você. Obrigado

Tão cedo, 14 de maio do ano desde que você partiu Across the Universe, tão cedo, tão jovem. Eles pregaram você de todas as maneiras, mas simplesmente você era um artista de espírito livre, doce e simpático. Um artista que se aperfeiçoou nas várias artes, do desenho à pintura, da escrita ao ensino, da história da arte à música. Os críticos o definem como um Bosch contemporâneo… um homem renascentista com exuberantes mundos tribais. Uma pessoa muito bonita, educada e honesta, um trabalhador insaciável através de suas obras que nunca se cansava de falar sobre a diversidade e a beleza dos seres e do universo e que sempre enfatizava a importância de saber de onde vêm as coisas. Um artista generoso que nos deixou uma riqueza de quadros maravilhosos com um traço claro e cheio de significados simbólicos, que sempre presenciou o estado das coisas através de sua arte, agindo de acordo, com gentileza, simpatia e um sorriso maravilhoso. Seu trabalho foi exibido nos principais museus e galerias internacionais. Quanto à cultura, era um grande contador de histórias. Ele fez muito pelo Milan, quero pensar e espero que o Milan lhe dê o devido reconhecimento. Matthew sempre desenha, mesmo quando passa pelo universo. Sinto muito sua falta, por mim e por todos. Com imenso amor e minha mão na sua para sempre. Obrigado por 43 anos e 7 dias com você cercado de beleza, obrigado Matteo Guarnaccia. sua esposa.
Tiziana Corbella

terça-feira – programa

Publicamos a carta em que um jovem ou trabalhador já formado mostra as suas aptidões: línguas estrangeiras, inovação tecnológica, gosto pelo bom trabalho, artesanato artístico; Fale chinês, invente um aplicativo, tenha um técnico, toque ou conserte um violino

Envie seu currículo

Quarta – oferta de emprego

Damos espaço a uma empresa, de qualquer ramo, que esteja com dificuldades para encontrar funcionários: intérpretes, aprendizes, soldadores, luteranos.

Envie a oferta

quinta-feira – injustiça

Pedimos que nos conte sobre as injustiças que viveu: um caso de erro médico, um problema com o banco; Mas também em um restaurante onde comi comida ruim, ou em uma repartição pública onde fui tratado ainda pior. Obviamente, o direito de resposta estaria garantido

Relate o caso

sexta-feira – amor

Pedimos que nos conte uma história de amor, ou envie uma mensagem para a pessoa que você ama por correio. Não é um e-mail de coração. Uma janela aberta para a vida.

Conte a história

sábado – adeus

Sugerimos que você fixe a memória de uma pessoa que foi fundamental para você. A filha poderá contar ao pai, o marido à mulher e o aluno à professora. É assim que escolhemos um perfil italiano deixado todo sábado. Mas leia-os todos, e todos nos enriquecerão.

Envie a carta

domingo – data

Hospedamos o Story Reader. História real ou fictícia.

Envie a história

imagem do leitor

Todos os dias escolhemos uma foto que te deixou com raiva ou emocionado. Um testemunho do declínio ou da beleza de nossas cidades.

Envie-nos suas fotos do Instagram para a conta @corriere