Cidades e comunidades indígenas da Calha do Rio Negro entre elas Barcelos, serão atendidas por Equipe do INSS no início de Outubro.

Equipe de servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) zarpa na próxima terça (1) no Barco Puxirum 2, pertencente ao projeto PAI – Pronto Atendimento Itinerante, para uma missão de atendimento previdenciário em quatro municípios e oito comunidades indígenas da calha do Rio Negro. A viagem terá duração de 102 dias, começando em 1 º de outubro, na sede do município de São Gabriel da Cachoeira (AM), distante 850 km de Manaus/AM. O encerramento da missão está previsto para o dia 10 de dezembro, na cidade de Novo Airão.

Nesta missão, o atendimento previdenciário será levado a indígenas das etnias Coripacu, Baniwa, Hupda e Pira-Tapuia. Foto: Tony Ceará

Acessível somente por barco ou avião, São Gabriel da Cachoeira faz fronteira com a Colômbia e a Venezuela. A cidade destaca-se por abrigar 23 etnias indígenas, sendo que 90% da população é composta por índios e descendentes. Na rota do barco Puxirum 2, estão previstas para receber atendimento previdenciário as sedes dos municípios de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro, Barcelos e Novo Airão e as comunidades indígenas Tarauacá, Iauraretê, São Joaquim, Itapereira, Livramento, Massarabi e Nazaré, que habitam ao longo do rio Negro e seus afluentes.

Integram a equipe desta missão oito servidores do INSS de Brasília /DF, Canoas/RS, Manaus/AM Maués/AM, Niterói/RJ, Salvador/BA, São Paulo/SP e Tabatinga/AM. O deslocamento da equipe será até São Gabriel da Cachoeira, de onde os servidores seguirão de carro, por mais 20 km, até o Porto Camanaus, onde o Puxirum 2 estará atracado.

Sem a visita da equipe do INSS, os indígenas teriam que navegar por vários dias até Manaus para obter serviços previdenciários. No entanto, como o custo desse deslocamento é muito alto, os indígenas não tem condições para custear a viagem.

Convênio Pai – Iniciado em junho de 2003, o convênio firmado entre Gerência-Executiva do INSS Manaus e o Governo do Estado do Amazonas, tem o objetivo de ampliar a rede de atendimento por meio de embarcações no interior do Amazonas, complementando o atendimento já feito pelo PREVBarco, a unidade móvel flutuante própria da Previdência Social. Em ambas embarcações, são oferecidos todos os serviços de uma agência fixa da Previdência Social, inclusive perícia médica e serviço social.

Em 10 anos de parceria com o Governo do Estado, o INSS já realizou 89.594 atendimentos aos ribeirinhos, moradores do coração da selva amazônica. Já o PREVBarco Manaus/AM fez cerca de 180 mil atendimentos aos ribeirinhos que buscam as unidades móveis flutuantes para reconhecimento de seus direitos previdenciários.

A região Cabeça do Cachorro, no Estado do Amazonas, na divisa do Brasil com a Colômbia e Venezuela

Esta é a última missão do barco Puxirum 2 em 2013. O atendimento previdenciário será levado também  à região conhecida como Cabeça do Cachorro, uma área situada no extremo noroeste do Brasil, em região de fronteira com a Colômbia e Venezuela. O nome da região deve-se ao desenho formado pela linha da fronteira brasileira com com seus países vizinhos, que lembram o formato da cabeça de um cachorrol, quando está com a boca aberta. Esta região é habitada tradicionalmente, há pelo menos dois mil anos, por 23 etnias que falam idiomas pertencentes a três famílias linguísticas: Aruak, Maku e Tukano. Nesses casos, para realizar o atendimento aos indígenas, a equipe do INSS contará com o apoio de tradutor da Fundação Nacional do Indio (FUNAI). (Seção de Comunicação do INSS/AM)

Notícias Relacionadas