Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

A raiva de Meloni: “Olhe para este Cristo LGBT …”

Enquanto continuamos a discutir DDL John, Aumentando as tensões nas ruas italianas, marchando em apoio aos direitos LGBT hoje. Pelo menos seis cidades de start-up, de Milão a Roma, na província de Toronto a Ancona, El Aquila, Fenza e Martina Franca. Durante os comícios, também houve expressões de intolerância: no dia da abertura da homossexualidade de Bolonha, pegadas deliberadamente rosa foram impressas nos rostos de alguns políticos proeminentes da direita, a saber Matteo Salvini, Georgia Meloni, Simon Billan, Mario Adenolpi, Victor e Vencedor.

Mas as provocações do povo do arco-íris não acabaram, como mostrou o líder dos irmãos italianos em sua página no Facebook.

“Cristo LGBT”

Na verdade, ele era o garoto que liderou a parada do Orgulho Roma de hoje. “Cristo LGBT“Algumas identidades religiosas são difíceis de aceitar por quem se importa. “A procissão do Orgulho de Roma é aberta por um menino disfarçado de ‘Cristo LGBT’, com mancha colorida e bandeira de arco-íris”, Georgia Meloni, postou uma foto do show. “Pelo que você me pergunta, não consigo encontrar uma resposta para esta pergunta: Qual é a necessidade de desrespeitar milhões de crentes para apoiar suas teorias?”, Questionado sobre o chefe de investimento estrangeiro direto. Ainda é: “Acrescento: Como a luta contra a discriminação, violência e ódio se reconcilia com os slogans de desprezo e ameaças contra aqueles que discordam do John Bill? Se você acredita firmemente em suas idéias e posições, não precisa insultar ninguém. Eu penso que sim. Alguém obviamente não é

Com sua atitude intransigente para com aqueles que não pensam como eles, aqueles que apóiam o John Bill apenas mostram esse comportamento. Discriminatório É altamente condenado.

READ  Jonah Lemos, namorada de Labo Elkon: tudo sobre ela

“A igreja quer que eu morra”

Entre os manifestantes, também existem aqueles que não respeitam as instituições religiosas e chegam a condená-las.“A Igreja tem perseguido as pessoas LGBT por mais de 2.000 anos., Ele declarou abertamenteAdnKronos Um manifestante de um comício em Roma marchou com uma placa dizendo: ‘Eu sou gay, a Igreja Católica quer que eu morra.’ Na verdade, as intenções da Igreja contrastavam fortemente com o apelo da Igreja por uma reforma legislativa, conforme anunciou o secretário de Estado Pietro Parolin, mas a notícia não estava disponível.